Os casos de Ed e Loraine Warren conquistaram alguns fãs após o sucesso de Invocação do Mal. Desde então, vários relatos do casal demonologista foram adaptados para o cinema e colocados em obras literárias. Annabelle foi um desses casos, que ao se mostrar interessante para o público ganhou seu próprio filme solo situado no Universo de Invocação do Mal, porém sem ter ligação direta com Ed e Loraine.

Agora, a medonha boneca ganha um novo longa, com foco em sua origem. Essa premissa já se torna de cara algo controverso para todos que assistiram a obra anterior, visto que nele a criação de Annabelle já é explicada e se encaixa no roteiro. Obviamente, não havia necessidade de uma obra inteira para explicar essa origem, foi mesmo uma questão de aproveitar o sucesso da boneca para ganhar mais bilheteria, entretanto o roteiro consegue uma explicação plausível para encaixar essa origem com a do primeiro filme e esse é o ponto alto da trama.

Outro ponto positivo de Annabelle 2: A Criação do Mal é servir como apresentação para a ótima atriz Talitha Bateman, que mesmo apresentada ao público em A 5ª Onda, consegue um bom destaque nessa produção e mostra todo seu talento.

Crítica: Annabelle 2: A Criação do Mal 1
Talitha Bateman em Annabelle 2 | Imagem: Warner Bros.

E esses são os únicos pontos a favor do longa. A franquia de Invocação do Mal, tão famosa por, mesmo tendo seus exageros, ser um terror mais coerente e original, enfim caiu nos clichês da temática e em Annabelle 2- A Criação do Mal entrega o famoso “terror barulho”. Cenas exageradas onde o espectador já consegue prever os acontecimentos apenas pela mudança da trilha e barulhos altos são muito comuns nesse filme.

Com esse padrão dos filmes de terror vem também a falta de coerência, onde constantemente uma cena, que é colocada apenas para tentar dar mais tensão, acaba anulando a explicação do roteiro. Claro que terror nunca foi muito realista, mas quando a explicação para uma manifestação do mal bate de frente com como ela é derrotada, acaba danificando a qualidade do longa- e esse é apenas um dos exemplos.

Annabelle 2- A Criação do Mal acaba aproveitando de sua ligação indireta com Invocação do Mal para chamar o público, mas não passa de uma obra de horror comum que abusa de todos os elementos geralmente usados nelas. Seu desfecho acaba sendo interligado com o filme Annabelle, por isso é aconselhável a quem quiser encarar essa nova produção que tenha assistido o antecessor primeiro.



Vale lembrar que Annabelle 2 tem duas cenas pós-créditos, que se mostram interessantes para o futuro da franquia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui