Os irmãos Duffer, criadores do fenômeno Stranger Things, pronunciaram-se após as acusações de plágio, feitas pelo cineasta Charlie Kessler. Na última quarta-feira (04), Alex Kohner, advogado de Matt e Ross, divulgou um comunicado à imprensa em nome da dupla.

A alegação de Charlie Kessler é completamente sem mérito. Ele não teve conexão com a criação ou desenvolvimento de Stranger Things. Os irmãos Duffer não viram o curta-metragem do cineasta citado anteriormente nem discutiram com ele, qualquer projeto“, diz o texto. “Esta é apenas uma tentativa de lucrar com a criatividade e o trabalho árduo de outras pessoas“, declarou o advogado.

Entenda o caso

De acordo com o site TMZ, em 2014, Kessler disse que teria apresentado aos irmãos Duffer, um projeto de um curta-metragem (lançado pelo mesmo em 2012) intitulado Montauk, onde relatava alguns experimentos do governo. Segundo Kessler, os irmãos Duffer teria rejeitaram o curta-metragem e anos depois, venderam a Netflix, uma história similar. O cineasta afirmou ainda, que o seriado foi vendido, inicialmente, com o mesmo nome do curta-metragem, The Montauk Project, mas posteriormente, fora renomeada.

O site Entertainment Weekly relata que os criadores de Stranger Things, tem a seu favor, o fato de que Montauk é o mesmo nome de um suposto programa secreto do governo americano, que realizava alguns experimentos a fim de desenvolver técnicas de guerras psicológicas, durante a década de 70 e que portanto, a série de Matt e Ross Duffer, relata os eventos que inspiraram o projeto de Charlie Kessler mesclado a outros clássicos da cultura pop dos anos 80.

Apesar do processo, os irmãos Duffer seguem firmes na pré-produção da terceira temporada de Stranger Things, que retorna em 2019 no catálogo da Netflix. Já o streaming, até o momento, não se pronunciou sobre o caso.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here