quarta-feira, 23, setembro, 2020
Início Filmes Críticas Crítica: Clube de Compras Dallas

Crítica: Clube de Compras Dallas

Um verdadeiro relato sobre HIV

Matthew McConaughey é um ator que provou seu caminho por Hollywood. Começando em filmes fracos, geralmente vazios, constantemente teve sua participação limitada à mostrar seu físico. Ultimamente essa visão do ator vem mudando drasticamente, com sua recente mudança de papeis, partindo para obras mais sérias e significativas como Killer Joe – Matador de Aluguel, Obsessão, True Detective e até mesmo sua participação em O Lobo de Wall Street, Matthew vem mostrando seu talento e a mudança física em Clube de Compras Dallas foi o golpe de misericórdia para provar ao mundo do que é capaz.

Clube de Compras Dallas (Dallas Buyers Club) conta a história real de Ron Woodroof (McConaughey), um Texano sem muita ambição na vida que contraí o vírus HIV nos anos 1980, onde a doença ainda era sinônimo de homossexualidade. Ron era um cara que não se preocupava com muito na vida, trabalhava de eletricista e apenas se interessava em fazer sexo com o maior números de mulheres possíveis, o que incluía uma boa cota de prostitutas. Quando foi diagnosticado, os médicos lhe deram 30 dias de vida, mas a maior preocupação dele era ser considerado homossexual por causa da doença.

Clube de Compras Dallas
Clube de Compras Dallas | Imagem: Universal Pictures

No início dessa epidemia de AIDS, o FDA, órgão do governo dos EUA que libera e testa novos medicamentos, começou testes com a droga experimental AZT. O que inicialmente era uma esperança para os que carregavam a doença, se revelou em poucos meses ser um complicador, visto que o remédio destruía todas a células do corpo e não só as células “doentes”.

No desespero por salvar sua vida, Ron rapidamente percebe que a AZT não está ajudando e acaba recorrendo à uma droga ilegal nos EUA, mas que dá bons resultados. Após isso, com a ajuda de seu, no momento, conhecido Rayon (Jared Leto), começa a exportar a droga e daí surge o Clube de Compras, que finalmente, quase na metade do filme, nos explica o porquê do título.

A trama explora a fundo a polêmica da AIDS, mostrando questões importantes, porém acaba caindo em uma certa repetição e falha em explorar assuntos igualmente importantes, como o lado negro da indústria farmacêutica, que visa apenas os lucros. O roteiro é interessante e satisfatório, mas deixa a sensação de que podia ser um pouco mais.

As atuações são, sem dúvida, o ponto alto do longa. Visado representar perfeitamente a transformação física das vítimas do HIV, os atores sofreram mudanças drásticas e chocantes em seus corpos. McConaughey chegou a ficar com menos de 60 kgs para assumir esse complicado protagonista, mas não foi só ele que abraçou essa causa, todo o elenco estava terrivelmente magro, principalmente Jared Leto, que chegou a dar nervoso quando aparecia na tela sem as vestes femininas.

Sim, é o Jared Leto!
A incrível transformação de Jared Leto

A  dupla vai além da transformação, dá um show na atuação. Matthew encarna um caipira enfezado, debilitado, tão convincente que justifica todas as indicações e prêmios que ganhou até agora. Leto encarna um personagem ainda mais complexo, um travesti viciado em drogas, HIV positivo, que rouba a cena. E é o personagem de Jared que mostra o outro lado bonito da história. Além da beleza de um cara simples, que foi forçado a pesquisar sobre a doença que contraiu, brigar pelo direito das outras vítimas em tomar o remédio que de fato ajuda, temos a relação de Ron com Rayon. Ron, que começou sendo um belo preconceituoso, acaba criando uma forte amizade com um travesti.

Clube de Compras Dallas
Clube de Compras Dallas | Imagem: Universal Pictures

O diretor Jean-Marc Vallée também merece um certo mérito por essas maravilhosas atuações. Sem as cenas perfeitamente planejadas para tirar o melhor dos atores, sem nenhum exagero sensacionalista (por exemplo, em nenhum momento a magreza de Matthew foi excessivamente explorada com várias cenas exibicionistas para forçar o drama do filme), todas as cenas mais dramáticas foram ambientadas no momento certo para dar o clima. O ambiente enfermo também foi muito bem explorado, dando uma sensação quase claustrofóbica no telespectador.

Clube de Compras Dallas possui muitos atrativos, um enredo interessante, uma história rica e maravilhosas atuações que compensam alguns problemas do roteiro.

Veja a ficha técnica e elenco completo de Clube de Compras Dallas

Nota do Thunder Wave
Com ótimas atuações e um enrendo muito interessante, o longa trata de assuntos importantes, mas poderia ter explorado melhor outros pontos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Siga nossas redes sociais

7,010FãsCurtir
3,084SeguidoresSeguir
4,362SeguidoresSeguir

Resenha | Com amor, Simon

0
Com amor, Simon é uma história de amor adolescente que aquece qualquer coração e nos faz torcer para que eles fiquem juntos e que consigam superar todos os conflitos, dificuldades e julgamentos que essa nova realidade lhes reserva... todo amor é válido.

The Walking Dead | Cena de momento íntimo causa nojo nos...

0
Cena de momento íntimo entre Negan e Alpha causou reações negativas nos fãs de The Walking Dead. Veja.
pt_BRPT_BR
en_USEN pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave