Toda adaptação tem suas mudanças e cortes, é inevitável. Algumas delas são graves, outras melhoram o resultado final do filme. Como Eu Era Antes de Você não fugiu dessas mudanças.

Veja quais foram e qual foi o impacto de cada uma na obra abaixo.

Caso não conheça nada da premissa de Como Eu Era Antes de Você, antes leia a crítica do filme clicando aqui ou a do livro clicando aqui.

***Atenção: Contem Spoilers das obras***

 

1. Lou não se demite quando descobre o plano de suicídio

No livro, logo que começamos a acostumar com Will, descobrimos que ele pretende acabar com sua vida. Foi um acordo feito com seus pais, depois de tentar suicídio sozinho. O rapaz concordou que iria dar 6 meses e então iria para uma clinica na Suíça onde a eutanásia é legalizada. Quando Lou ouve isso, fica desesperada e pensa que seu trabalho ali era só vigiar Will para que cumprisse o acordo e não tentasse nada nesses 6 meses. Ela fica horrorizada ao pensar que ele irá morrer e se demite, indo embora e deixando uma carta, fazendo a mãe de Will praticamente implorar para ela voltar, explicando direito a situação.

Fez diferença no filme?  Não muita. Ela chega a falar que vai embora, mas após uma breve conversa com a irmã acaba decidindo que quer tentar fazer Will voltar a ter vontade de viver. Bom, na realidade é a mãe que quer isso, exatamente por isso que Lou foi contratada e o longa deixa a entender que tudo foi ideia dela. Não chega a afetar o entendimento, mas inverte os papéis.

 

2. Amenizaram muito os desastres nas primeiras tentativas de saídas de Lou e Will

Quando Lou resolve tirar Will de casa pela primeira vez, usando de desculpas para ir na corrida de cavalos, o desastre do passeio é tão grande que chega a dar desespero. No longa, mostraram esse passeio, com alguns dos problemas, mas poucos e puxados para o lado cômico.

Fez diferença no filme? Sim, pois esse é o primeiro contato verdadeiro com a realidade de Will fora do conforto de sua casa e podemos perceber a dificuldade que sofre em uma interação social. Também demostra o quão complicado será para Lou manter seu plano de anima-lo a viver com suas ideias, visto que um simples passeio desse se transformou em dia horroroso. Deixar esse passeio mais leve tirou muito do drama da situação.

 

3. Georgina não existe

Sim, a irmã de Will foi cortada do longa. Todas as objeções que ela faz no livro são feitas pela mãe no filme e não e através dela que Lou descobre os planos, e sim por uma conversa que ouve entre os pais dele.

Fez diferença no filme? Não. Por mais estranho que possa parecer, tirar um personagem não fez diferença nenhuma, já que todas as questões de Georgina são levantadas pela mãe. 

 

4. Não teve a traição do pai de Will

O livro menciona várias vezes que o pai de Will tinha uma amante, inclusive tem um capítulo inteiro sobre ela. No longa nada é mencionado, apenas uma vez dão a entender que Lou não deve dizer à esposa dele que ele saiu, mas não exploram isso.

Fez diferença no filme? Não. Na realidade, não vejo muito motivo para isso nem mesmo no livro, é apenas um fato da família que não faz diferença na história. 

 

5. Não mostram a cena do labirinto, nem mencionam que Lou foi violentada

Em vários momentos durante a leitura, Lou menciona que tem trauma de uma certa noite em que ficou bêbada em uma festa no Castelo, tão embriagada que ficou perdida no labirinto e sua irmã precisou resgata-la. Após isso, nunca mais retornou para lá. O modo como ela fala desse dia deixa a entender que algo muito grave aconteceu e descobrimos que ela foi abusada por vários garotos quando ela conta para Will. Em um dos passeios, os dois vão para o Castelo e Will a convence a ir ao labirinto. Ela entra em pânico e se perde ali, precisando dele para ir até a entrada (pois sua cadeira de rodas não a permitia entrar) para resgata-lá e só então conta a ele o que aconteceu.

Fez diferença no filme? Sim. É uma cena muito profunda e não só aproxima os dois (Lou nunca contou isso para ninguém), como explica os desvios de comportamentos da personagem.

 

6. Não tem a parte das Tatuagens

Em uma das tentativas de tirar Will de casa, Lou menciona que queria fazer uma tatuagem. Como o rapaz acha que ela tem que sair da sua zona de conforto, vai com ela até um estúdio de tatuagem e promete fazer uma se ela fizer. Ela faz uma de abelha no quadril e ele uma escrito “validade 19 de março de 2007” na lateral do tronco. É uma menção ao seu acidente.

Faz diferença no filme? Não, mas é uma cena legal.

 

7. Lou não vai morar com o Patrick, não chega a morar no anexo e não briga com a mãe de Will por causa da mudança

Em certo momento, estão todos preocupados com o pouco tempo que resta até chegar a eutanásia de Will. Nesse período Lou sofre alguns problemas de espaço na casa dos pais e vai dormir na casa do namorado. Will também oferece um quartinho no anexo para ela, mas Patrick, de uma maneira nada romântica, acaba pedindo para ela se mudar para o apartamento dele. Ela vai, e quando a mãe de Will descobre, provoca uma briga séria em público, dizendo que ela podia esperar, que o filho dela está apegado a ela e que Lou está esfregando sua felicidade na cara dele.

Faz diferença no filme? Não muita. No livro esses fatos são usados para mostrar a transição romântica de Will e Lou, já que a briga com a mãe dele mostra que ela tinha esperanças que de esse amor salvasse o filho. Também é mais uma chance de odiarmos Patrick, já que eles estavam há 7 anos juntos e ele só sugeriu a mudança por “parecer lógico”.

 

8. Não mostra o plano de viagem inicial, com os esportes radicais.

No livro, quanto Lou finalmente convence Will a fazer uma viagem, consegue encontrar um local que oferece a oportunidade de esportes rádicais para deficiente. Todos acham a ideia sensacional, mas a pneumonia de Will não permite essa viagem.

Faz diferença no filme? Um pouco. No livro, essa viagem dá uma enorme esperança de que Will irá mudar de ideia, já que coisas radicais é o que mais sente faltaÉ ruim pq aquilo mostrava que ele podia voltar a fazer o que gostava da vida e deixa a dúvida se teria resolvido

 

9. Lou  não conta sobre o suicídio para Patrick. Conseqüentemente ele não conta para os Jornais.

Quando Patrick começa a reclamar da proximidade de Lou e Will, ela acaba contando o real motivo dela se dedicar tanto a esse trabalho. Ainda assim, um tempo depois, Patrick acaba ficando incomodado demais com a viagem que Lou pretendia fazer e o relacionamento acaba. Por vingança, ele conta para os Jornais sobre os planos de Will.

Faz diferença no filme? Nenhuma, acho que não faria nem no livro. Essa parte é pouco explorada, só servindo para reforçar que o Patrick era mesmo um babaca. No filme ele nem é tão chato assim…

10. Lou não pesquisa sobre os eletrônicos que Wll pode usar para facilitar sua vida e nem conversa com outros Tetraplégicos

Lou faz uma pesquisa intensa para tentar saber o que Will sente em relação à sua condição. Ela fica horas em sites e fóruns tentando perguntar para pessoas que passaram por isso como ajudar o amigo. Nessas pesquisas, ela encontra vários aparelhos que podem ajudar na vida prática dele, como teclados adaptados e isso ajuda bastante a família toda. No filme, Will já possuía vários desses acessórios quando Lou o conhece e ela nunca chega a pesquisar em fóruns.

Faz diferença no filme? Um pouco, principalmente a parte da pesquisa, já que mostra o quanto Lou estava empenhada em ajudar e como ela conseguiu ficar tão intima de Will.

 

11. Se quiser uma segunda opinião sobre as mudanças, veja o texto abaixo com o depoimento de uma leitora:

De acordo com a jornalista Bruna Trindade, especialista em literatura, o filme teve cenas essenciais cortadas mas não perdeu o encanto das páginas para as telonas. “Algumas cenas foram ignoradas, como por exemplo, a cena do castelo, em que Lou relembra o acontecido com ela, o término do romance dom Patrick, os diálogos com o sobrinho… senti que foi algo rápido, sabe, não tão intenso quanto no livro. Foi como se essa cena deveria ter entrado pra preencher tempo e feita às pressas”, relatou.

Mas essa foi só a parte ruim mesmo. Bruna confessa que durante algumas cenas do filme, o envolvimento com a história foi tanto, que os espectadores aplaudiam juntamente com o elenco do filme, como se algo tivesse sido combinado entre ambos, o que não foi verdade. “Foi na cena em que Lou ganha o presente de aniversário, assim como eu, os espectadores aplaudiram e se emocionaram”, anuiu. “O roteirista do filme fez algumas adaptações. Tornou a morte de Will algo leve, não tão dramático ­ algo que no livro está longe de ser isso e o colocou como se ele amasse Lou, o que no livro, nunca aconteceu. Ele nutria um carinho por ela e apenas isso”, disse.

A jornalista confessa que se tornou fã de carteirinha de Jojo Moyes, autora do livro. Em sua experiência de análise e resenhas literárias, Bruna chegou a conclusão que o livro que mais a tocou durante todo esse tempo, foi “Como eu era antes de você” e que chorou tanto durante o período de leitura, quanto no cinema.”O livro é lindo, o filme tanto quanto. Jojo é surpreendente”, concluiu.
Texto de Luã Stewart.

3 COMENTÁRIOS

  1. Eu achei que não custava nada demostrar com ela ficou abalada quando soube que ele iria para o dignista, não entendi o pq de ter cortado a cena dela cortando o cabelo dele (isso mostrou que ele estava se abrindo para ela), também não gostei que diminuiram as dificuldades que eles tiveram na primeira saida deles; pois no livro ficou bem real quais são as dificuldades de um cadeirante. E a parte que Will tira ela do labirinto e que ela conta para ele sofre abuso sofrido (essa parte foi bem legal no livro e mostra que ela confia nele e ele diz coisas para confortar ela). Não mostra também os problemas que ela sofre em casa e de como a familia dela oprime ela e prefere a irmã mais velha.
    Mas apesar dessas coisas importantes que tiraram do filme, ele não perdeu a sua beleza e a sua mensagem porque é uma história maravilhosa e triste infelizmente, rs, mas como fã da Jojo eu gostei do filme e amei o livro!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui