quarta-feira, 20, outubro, 2021

Conheça (quase) tudo o que Metrópolis inspirou na cultura pop

É inegável a importância do filme Metrópolis (1927) para a história do cinema e da cultura moderna. No entanto, curiosamente, o que ficou pouco (ou quase nada) conhecido foi o livro homônimo, escrito pela autora alemã Thea von Harbou em 1925, que serviu como base para a obra cinematográfica de Fritz Lang.

Também roteirista do filme, Harbou foi responsável por criar um universo futurista que ainda encontrava pouco espaço na literatura e ousou ao usar a expressão “robô”, só empregada antes na peça teatral R.U.R, do tcheco Karel Čapek, em 1920. Sem a escritora, Metrópolis (tanto o livro quanto o filme) não existiria e a história da ficção científica no cinema e na literatura poderia ser completamente diferente.

Conheça (quase) tudo o que Metrópolis inspirou na cultura pop 1
Fritz Lang e Thea von Harbou, 1923. Foto: Waldemar Titzenthaler.

Porém, com a mesma justiça, o marido de Thea (o próprio Fritz Lang) conseguiu não apenas extrair das palavras de sua esposa o mundo que se tornou um marco na história do cinema, como também influenciou diversos segmentos culturais por sua estética e simbolismo. Fizemos uma lista com algumas produções que se inspiraram em Metrópolis.

Conheça (quase) tudo o que Metrópolis inspirou na cultura pop 2Ma

Em uma galáxia muito, muito distante…

Mesmo que separados por exatos 50 anos, não há como ser indiferente à influência de Metrópolis sobre o universo de Star Wars, iniciado por George Lucas em 1977 com o Episódio IV – Uma nova esperança. Principalmente na criação do androide C-3PO. Não apenas sua versão final se assemelha com a criação robótica do Dr. Rotwang, como a arte conceitual do designer Ralph McQuarrie foi influenciada pela icônica bad Maria. Uma referência que explode a cabeça de qualquer fã.

Conheça (quase) tudo o que Metrópolis inspirou na cultura pop 3
Bastidores de Star Wars IV – Uma nova esperança (1977), com os atores
Anthony Daniels, intérprete de C-3PO, e Mark Hamill, intérprete de Luke Skywalker. (Lucasfilm)

Personas gratas

Já nos personagens feitos de carne e osso, dois exemplos chamam a atenção: Dr. Rotwang (interpretado por Rudolf Klein-Rogge) e Freder (Gustav Fröhlich). Enquanto o primeiro ganhou ares bem mais cômicos ao inspirar o visual e trejeitos do Dr. Emmett Brown (Christopher Lloyd) na trilogia De volta para o futuro (1985-1990), o segundo ficou ainda mais maluco graças a Jack Nicholson, que se inspirou no personagem para criar sua versão do Coringa em Batman (1989).

Conheça (quase) tudo o que Metrópolis inspirou na cultura pop 4
Pôster do filme “De volta para o futuro” (1985).

Cidades forjadas nas trevas

Claustrofóbica e imponente, é assim que enxergamos a cidade de Metrópolis em outros centros urbanos da ficção. O mais famoso é a cidade de Gotham, lar do Homem-Morcego, que ganhou a atenção dos leitores de quadrinhos com os seus traços góticos, construções opressoras e clima de permanente mistério. Metrópolis influenciou bastante a interpretação de Gotham do diretor Tim Burton no já citado Batman (1989), e na sequência Batman: o retorno (1992).
Aliás, você se lembra do nome da cidade na qual o Supeman/Clark Kent vive em suas aventuras nas HQs? Spoiler: não é coincidência.

Conheça (quase) tudo o que Metrópolis inspirou na cultura pop 5
Bastidores de Batman (1989) com os atores Michael Keaton, intérprete de Bruce Wayne/Batman, e Jack Nicholson, intérprete de Jack Napier/O Coringa, e o diretor Tim Burton.

Metrópolis é pop

A estética do filme também ganhou forma na música graças a dois ícones do pop: Lady Gaga e Madonna. No primeiro caso, a estrela de “Telephone”, feat Beyoncé, nunca escondeu seu amor pela obra, incorporando referências dela nos clipes de “Applause”, “Born This Way” e “Alejandro”. Por outro lado, a rainha do pop homenageou Metrópolis no clipe de “Express Yourself”, com seus operários, fábricas hostis e magnatas cheios de dinheiro.

E é rock também…

Já em terras inglesas, quem não deixou escapar a chance de explorar o universo de Metrópolis foi a banda Queen. Mas em vez de apenas se inspirar na obra, como muitos artistas fizeram, o grupo de Freddie Mercury, Brian May, Roger Taylor e John Deacon inseriu trechos do filme no antológico clipe de “Radio Ga Ga”. E não satisfeitos, os membros da banda entraram na história, quase que literalmente, para saírem voando entre os arranha-céus da cidade expressionista.

Sonhadores de ovelhas

Uma das relações mais curiosas do cinema é entre o filme de Fritz Lang e a obra de Ridley Scott Blade Runner – O caçador de androides (1982). Sim! O longa adaptado do livro Androides sonham com ovelhas elétricas?, de Philip K. Dick, aproveita os assuntos em comum com a produção alemã (como a relação homem × máquina e o conceito de high tech, low life) para criar planos e sequências inspirados nela. E talvez a mais icônica seja o close em um dos olhos (hipnotizados) de Deckard (Harrison Ford), logo no início do filme, que remete diretamente a uma cena idêntica em Metrópolis.

Confira o vídeo com comparativos entre os filmes:

Expressionismo alemão na passarela

Embora de forma muito discreta, Metrópolis também pôde ser visto como fonte de inspiração (acredite!) para a moda. Em 2012, grandes marcas como Givenchy e Versace se renderam à estética gótica industrial do filme para criarem suas coleções de primavera/verão. E o mesmo foi visto com as coleções de Tom Ford, na semana de moda de Londres (influenciada pela estética robótica), e Max Mara, durante a semana de moda de Milão (inspirada nos trabalhadores das fábricas do livro/filme).

Conheça (quase) tudo o que Metrópolis inspirou na cultura pop 6
Desfile da coleção verão 2012 RTW da Versace, em Milão.

Até tu, Brasil?

Para encerrar e mostrar que o Brasil está em todas, vale também um destaque para a banda Sepultura, que usou uma das frases mais simbólicas do filme para batizar o seu 13º disco, The Mediator Between Head and Hands Must Be the Heart (o mediador entre o cérebro e as mãos deve ser o coração), lançado em 2013.

Na época, o guitarrista Andreas Kisser comentou sobre o trabalho: “[A obra] ajudou a gente a juntar as ideias para que as letras expressassem o que nós enxergamos hoje. Eu moro em São Paulo, uma das grandes metrópoles do mundo, com mais de 20 milhões de pessoas vivendo e trabalhando nela. Eu sei como é viver em um caos diário, nossa música reflete muito desse sentimento.”

Clique aqui para ouvir o álbum.

Livro | Se aventure pelas ruas de Metrópolis e seja testemunha de um marco absoluto da ficção científica

Na cidade futurística de Metrópolis, a população divide-se em dois andares. No primeiro, uma elite dominante desfruta dos prazeres da vida; no segundo, subterrâneo, os trabalhadores lutam para sobreviver. Quando Freder, o filho do Senhor da grande Metrópolis e habitante do primeiro andar, se apaixona por Maria, da cidade subterrânea, começa a conhecer melhor as condições às quais os trabalhadores são submetidos. Uma revolta começa a surgir entre os operários, e só o que faltava para uma revolução era uma líder. Quando ela surge, nada pode conter a fúria dos oprimidos.

Conheça (quase) tudo o que Metrópolis inspirou na cultura pop 7
Imagem: Editora Aleph

Esta edição, traduzida diretamente do alemão, conta com um posfácio de Marina Person, uma análise de Franz Rottensteiner, um texto de Anthony Burgess e uma reprodução do programa do filme para a ocasião de seu lançamento.

Artigos Relacionados

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Instagram

Bombando

Mais vistos da semana

Siga Nossas Redes

Tem conteúdo exclusivo por lá
6,914FãsCurtir
2,959SeguidoresSeguir
4,239SeguidoresSeguir

Recentes

Conteúdo fresquinho

Thunder Fic's

Tudo sobre roteiro
pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave