segunda-feira, 6, dezembro, 2021

Crítica | Depois a Louca Sou Eu

O que faz uma pessoa “normal”? Esta é uma resposta cheia de razões e certezas – também com muitas piadas -, mas que na realidade só levam a fugas do que é o normal, ainda mais quando ela vem junto da saúde mental.

O longa Depois a Louca Sou Eu baseado no livro de Tati Bernardi, dirigida Júlia Rezende e estrelado por Débora Falabella, é mais do que um exemplo sobre a normalidade. Somos apresentados a Dani, uma escritora talentosa, mas que possui diversos problemas como ansiedade, depressão e principalmente o pânico.

Durante esta jornada da infância a vida profissional de Dani, conhecemos todas as primeiras vezes em que ela teve pânico. Conhecemos cada parte do que serve de gatilho para a personagem sofrer com um futuro que ainda não conheceu. Esta é a questão principal deste diálogo: a pessoa que possui este mal, nunca vive o presente ou tem uma mente silenciosa. Ela está sempre em modo de “ses”, “o que irá acontecer”, e sua cabeça com ruídos e gritos, além de tantas pessoas que falam, perguntam, acusam, brincam… que a única opção parece ser fugir.

De forma tragi-cômica, Depois a Louca Sou Eu, não é um discurso cheio de morais ou uma comédia trapalhona de uma pessoa que tem distúrbios. É uma maneira de mostrar o quanto estes problemas afetam o dia-a-dia de cada um, seja esta pessoa homem ou mulher. Mas as principais vítimas com certeza são as mulheres.

Cada uma delas quando apresenta algum problema é sempre taxada como louca ou uma figura. Parece que dizer a verdade, falar sobre pânico, seus medos e como isto afeta cada mulher, é ser transformada em uma “figura”. Outro aspecto é que ninguém jamais escuta os problemas apresentados, principalmente os responsáveis pela área da saúde.

Aqui o filme mostra médicos, psicólogos, terapeutas holísticos, entre outros, que jamais se aprofundam e escutam a personagem, mas jogam suas soluções sem realmente saber do que ela precisa.

Depois a Louca Sou Eu é um filme atemporal, mostrando os problemas de saúde mental, dos sentimentos envolvidos e o quanto esta vida com pessoas imediatistas pode nos transformar em verdadeiros Loucos que perdem sua identidade ao longo dos anos.

Nota do Thunder Wave
Depois a Louca Sou Eu é um filme atemporal, mostrando os problemas de saúde mental, dos sentimentos envolvidos e o quanto esta vida com pessoas imediatistas pode nos transformar em verdadeiros Loucos que perdem sua identidade ao longo dos anos.

Artigos Relacionados

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Instagram

Bombando

Mais vistos da semana

Siga Nossas Redes

Tem conteúdo exclusivo por lá
6,914FãsCurtir
2,962SeguidoresSeguir
4,234SeguidoresSeguir

Recentes

Conteúdo fresquinho

Thunder Fic's

Tudo sobre roteiro
pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave