segunda-feira, 6, abril, 2020
Início Filmes Críticas Crítica | Disforia

Crítica | Disforia

Disforia – Estado de desconforto, tristeza ou mal-estar. Causas comuns deste sintoma: A disforia pode não ser causada por doenças subjacentes. Algumas causas comuns incluem alterações de humor, luto, dificuldades financeiras ou na vida pessoal ou profissional e resposta a notícias de tragédias na mídia.

O título escolhido pelo diretor Lucas Cassales, é perfeito para este thriller psicológico que instiga o público a pensar. O longa, para quem espera um filme de terror, será chato e enfadonho. Principalmente porque o gênero thriller sempre foi voltado para os problemas da mente.

Cassales consegue montar de início linhas do caminho que o longa deve seguir, com um psicólogo, Dário (Rafael Sieg), que é atormentado pelo seu passado. Estes tormentos que não foram tratados e parecem terem sido jogados em algum canto de sua mente, voltam a assombrá-lo quando inicia o tratamento da jovem Sofia (Isabella Lima).Sofia, que também logo no início do filme está na frente de um espelho a contemplar algo de seu interior e o mesmo se espatifa, assustando sua família.

Estas linhas após este encontro entre psicólogo e paciente, que parece trazer lembranças ou algo de sobrenatural para Dário, tornam-se novas linhas de um caminho que não fica muito claro ter sido trilhado ou que ainda será, o que acaba a partir de agora virando uma teia, ou o verdadeiro caos mental.

Crítica | Disforia 1
Disforia/Divulgação

O ator Rafael Sieg consegue demonstrar seus problemas de “disforia”, muito bem, ao ter reações físicas como os tremores. Cada detalhe físico, mental e até mesmo a melancolia de certos pontos da jornada de Dário pelos cenários gaúchos, são dicas e análises que o diretor entrega para o espectador, que não deve esperar por respostas, já que desde o início – caso não tenha percebido -, é o verdadeiro investigador ou invasor das mentes das personagens deste longa.

Um ponto interessante é a fotografia utilizada pelo filme, ao mostrar locais importantes da paisagem de Porto Alegre. Isto é positivo e ao mesmo tempo negativo da obra, pois aqueles que não conhecem estes cenários como o Beira Rio e até mesmo o parquinho de diversões da Redenção, entre outros, acabará se perdendo um pouco para voltar a entender os acontecimentos. Não porque seja ruim, mas porque propositalmente é uma jornada exterior de Dário e o espectador acabará por contemplar este “passeio”, mas depois poderá se sentir até um pouco perdido no que aconteceu, trazendo uma certa disforia.

Disforia é um filme difícil para aqueles que não querem entender seus próprios pensamentos e que fecham os olhos, colocando as mãos na frente e dizem “não, não”, a qualquer palavra que os faça refletir sobre seus problemas e traumas. E também se torna complicado analisar a obra caso não tenha algum tipo de empatia por um thiller psicológico, aguardando por soluções fáceis e o monstrinho de algum filme de terror do mês.

Nota do Thunder Wave
Disforia é um thriller psicológico para poucos, onde o espectador não deve esperar por respostas, mas sim sair do cinema e discutir os vários pontos com os amigos que transitaram na mente dos personagens da obra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Siga nossas redes sociais

7,066FãsCurtir
3,130SeguidoresSeguir
4,450SeguidoresSeguir

Conheça as cidades de La Casa de Papel – Parte 3

0
A quarta temporada de La casa de Papel já está disponível no Netflix, e a gente chega a nossa terceira parte do...

Resenha: Indesejadas- Kristina Ohlsson

9
“Mas nesse planeta ninguém é invisível, muito menos infalível. “ Gosto bastante de romances policiais, por isso adoro os livros da editora Vestígio. Para quem...
pt_BRPT_BR
en_USEN pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave