Como obra de mistério, Entre Facas e Segredos é um daqueles filmes sobre o qual quanto menos se souber melhor. Contudo, quem espera ver uma trama típica no estilo Agatha Christie acabará se surpreendendo com algo bem diferente da expectativa. Na verdade, apenas o ponto de partida (uma homenagem clara) lembra os livros da escritora. E isso é ótimo.

Tudo começa quando o famoso e milionário escritor Harlan Thrombey (Christopher Plummer) é encontrado morto dentro de sua propriedade pela sua enfermeira particular Marta (Ana de Armas), sob circunstâncias de aparente suicídio. Mas claro, nada é o que parece.

Para solucionar o mistério, a polícia contrata os serviços de consultoria do célebre detetive particular Benoit Blanc (Daniel Craig). A partir daí temos uma trama envolvente, repleta de reviravoltas e com um elenco impecável. A maioria dos membros da família Thrombey tiveram algum desentendimento com o patriarca na festa do seu último aniversário; o que os torna automaticamente suspeitos. Mas um dos pontos altos do filme é justamente brincar e por vezes subverter esses e outros clichês. Talvez apenas alguns maneirismos propositais incomodem os mais exigentes, mas está muito longe de comprometer o conjunto.

Entre Facas e Segredos | Imagem: Paris Filmes
Entre Facas e Segredos | Imagem: Paris Filmes

Também merecem destaque a belíssima fotografia e a trilha sonora. A trama, apesar de ambientada nos dias atuais, se desenvolve quase que inteiramente no casarão estilo clássico do escritor – mais uma elegante referência à Agatha Christie. Já as músicas, além de bem trabalhadas se encaixam perfeitamente, muitas vezes (e novamente) fugindo de clichês.

O elenco é um espetáculo à parte. O experiente Christopher Plummer é o alicerce perfeito, tanto como personagem vivo quanto nos flashbacks. Ana de Armas, equilibrando magistralmente entre o drama e o humor, nos traz uma protagonista tão humana que se torna impossível não simpatizar. As sempre espetaculares Jamie Lee Curtis e Tony Collette (respectivamente, filha e nora do escritor) tornam bastante convincentes personagens que em outras mãos poderiam se tornar caricatas. Chris Evans, como o neto playboy, é o tipo que amamos detestar. E até Daniel Graig surpreende com cenas de alívio comigo.

Entre Facas e Segredos | Imagem: Paris Filmes
Entre Facas e Segredos | Imagem: Paris Filmes

O filme também traz críticas sociais bem pontuadas. Marta é filha de imigrantes porto riquenhos, fato que é usado para ilustrar a xenofobia de boa parte do povo americano. Na própria família Thrombey há um adolescente anti-social, viciado em Internet e simpatizante do neonazismo.

Por fim, o título do filme faz menção a enorme coleção de facas do escritor localizada no seu escritório.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui