domingo, 24, outubro, 2021

Review | Feliz Natal e Tal!

Os Quinns são tipo um culto.

 

Review | Feliz Natal e Tal! 1
Cartaz da série Feliz Natal e Tal original da Netflix

As produções da Netflix estão de vento em polpa! Tem lançamentos de vários gêneros para que você se mantenha entretido a qualquer hora. A bola da vez são os clássicos natalinos. E não poderíamos deixar de fora essa série que pega a semana do Natal e do Ano Novo. Feliz Natal e Tal acompanha Don Quinn (Dennis Quaid), um pai de família da Filadélfia que faz de tudo para equilibrar o stress do fim de ano e as demandas de seus familiares, que também precisam lidar com suas peculiaridades. Mas quando a filha caçula Emmy (Bridgit Mendler) aparece com seu novo namorado, o músico Matt (Brent Morin), a situação fica ainda mais complicada. É uma sitcon com 8 capítulos e dura em média de 25 a 28 minutos. É engraçada e por trás desse humor familiar natalino cada personagem carrega seus dilemas e suas dificuldades e no decorrer dos 8 episódios, cada história particular vai se desenrolando.

A caçula Emmy Quinn (Bridgit Mendler) retorna para sua cidade natal para passar as festas de fim de ano com sua família e com ela seu namorado Matt. Só que essa ida para casa não sai muito bem como ela esperava, porque seu namorado não é muito bem aceito por sua família e em especial por seu pai Don Quinn, interpretado por Dennis Quaid – quem aí não se lembrou de Operação Cupido, hein?! -. Entretanto não é apenas o Matt que terá problemas. O restante da família tem seus conflitos como a Kayla (Ashley Tisdale), que está passando por problemas no casamento e no decorrer da trama ela se redescobre como mulher. Temos também a irmã mais velha, a mais “mãezona” Patsy Quinn – a mais chatinha da série – que não consegue engravidar. Já Sean Quinn é um homem que não consegue conversar de forma franca com seu pai, Don que é ranzinza e que se altera se for contrariado.  Sean acaba por ser desligado e se vê sem rumo até que encontra na sua companheira Joy, força para continuar.

Review | Feliz Natal e Tal! 2
O coral que a família Quinn costuma fazer/ Netflix

Vemos também que os cônjuges também têm seus problemas. Embora Joy seja compreensiva com Sean, ela por ter que cuidar dos filhos, é professora, ainda precisa lidar com um marido que age de forma passiva em relação ao pai e no meio disso tudo, ela tenta parar de fumar. Todd, o marido de Patsy, foi criado no judaísmo e quer que seu filho seja criado com base nos preceitos judaicos, não apenas católicos e quando ele expressa esse desejo encontra resistência por parte de Don e isso acaba gerando algumas situações tensas com sua esposa, Patsy. E Matt. O músico que tenta de todas as formas se inteirar com a família e devido aos desencontros com Don, ele acaba se desentendendo com Emmy que passa a vê-lo de outra forma. O alivio cômico fica por conta de Kayla que nas suas confusões acaba encontrando em Matt um ombro amigo.

É um pouco do estresse de fim de ano, mas Matt e eu não estamos bem. – Emmy Quinn

Don Quinn. É o pai dessa grande família. Acho que entendo-o, é meio difícil se livrar de alguns conflitos internos e tem toda uma questão de criação e de como ele enxerga o mundo. Ele é pai e tem uma grande responsabilidade, mas ele não divide o que sente e se fecha nas suas próprias barreiras. E essa mega super proteção é bem vinda, mas nos momentos certos. Mas pai que é pai, mãe que é mãe não deixa de ser amor em qualquer época do ano. Por mais que seja uma série engraçada, apresenta mais do mesmo, porém envolve temas como o  relacionamento amoroso, criação dos filhos, escolha religiosa, superação do luto, até a orientação sexual. A fotografia é muito boa, a sequência de sorrisos… rs é uma aglomeração de tudo que acontece antes, durante e depois dentre as situações malucas que eles se envolvem. O roteiro é bem amarrado e cada capítulo se conecta um ao outro. As cores são vivas o que reforça esse clima de alegria misturados com conflitos que acabam dando um ar moderno ao um formato já conhecido dos aficionados por séries e comédias desse estilo.

Mas por que devo assistir?

Por ser uma sitcon meio parecida com as que a CBS produz e por ter uma vibe daqueles filmes Sessão da Tarde, como “Entrando numa fria maior ainda com a família” ou “Doze é demais”, a série traz esse clima conflituoso que toda família tem e como eles conseguem se entender no meio de tantos problemas e a trama nos mostra que a confiança, a empatia e o diálogo são capazes de resolver qualquer situação tensa. E de forma muito natural, as peculiaridades de cada um vão sendo retratadas e como às vezes conseguimos nos identificar com os dilemas vividos pelos personagens.

Feliz Natal e Tal rende boas risadas e alguns lencinhos molhados e por isso leva 3,5 vidas de 5,0.

 

Artigos Relacionados

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Instagram

Bombando

Mais vistos da semana

Siga Nossas Redes

Tem conteúdo exclusivo por lá
6,914FãsCurtir
2,958SeguidoresSeguir
4,238SeguidoresSeguir

Recentes

Conteúdo fresquinho

Thunder Fic's

Tudo sobre roteiro
pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave