Um longa de horror australiano, Girl At The Window segue Amy (Ella Newton), uma garota que perdeu seu pai em um acidente e está lidando com o acontecido enquanto se adapta a uma mudança para uma casa mais distante com sua Mãe (Radha Mitchell).

Há um serial killer a solta e Amy parece um pouco obcecada nele. Alguns fatores a levam a acreditar que seu vizinho e namorado da mãe, Chris (Vince Colosimo), é o assassino. Ela começa uma perigosa missão para desmascará-lo enquanto é desacreditada por todos, que acreditam que suas ações são movidas por ciúmes e o trauma que ela passou ao presenciar a morte de seu pai.

O roteiro de Terence Hammond e Nicolette Minster faz um bom trabalho ao ligar os acontecimentos e entrega uma boa trama, mas falha ao cair em vários clichês do gênero. Gritos excessivos, pistas plantadas que são gritadas para o espectador e cenas encaixadas apenas para deixar um objeto em posição para ser usado no futuro são elementos utilizados aos montes durante o filme.

Crítica | Girl at The Window 1
Girl at The Window Imagem: Divulgação

A escolha de direção de Mark Hartley parece reforçar os comentados clichês, fazendo questão de longos closes em momentos cantados, mudanças de takes e jumps scares desnecessários. A inserção desses elementos causa um enorme sentimento de decepção, visto que o ritmo, técnicas e cortes estavam muito bem posicionados até os jump scares começarem.

A história se mostra interessante. Tentando resgatar a premissa dos longas de terror da década de 90, enquanto abusa do sucesso dos serial killers atualmente, a trama apresenta um assassino que persegue adolescente que estão cometendo atos sexuais em carros, levando as garotas e matando-as após deixar sua marca registrada. Enquanto isso, brinca muito bem com o psicológico do trauma da protagonista, deixando a dúvida do que é realidade e o que é invensão da garota, que parece se sentir igualmente confusa através dos flashbacks de suas lembranças.

O elenco escolhido é em sua maioria conhecido, principalmente por obras australianas e britânicas. As atuações são boas e convincentes, assim como os diálogos e mensagens, que são bem empregados e apenas complementam aquilo que não pode ser explicado em imagens, já que a produção usa de recursos criativos para situar a história visualmente.

Girl At The Window é um filme que funciona, serve para entreter e mantém um suspense interessante fazendo um paralelo entre o trauma da protagonista e a realidade. Entretanto, não foge dos clichês e perde muito da qualidade por isso, se tornando previsível e longo em vários momentos.

Resumo
Nota do Thunder Wave
critica-girl-at-the-windowGirl At The Window é um filme que funciona, serve para entreter e mantém um suspense interessante fazendo um paralelo entre o trauma da protagonista e a realidade. Entretanto, não foge dos clichês e perde muito da qualidade por isso, se tornando previsível e longo em vários momentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui