segunda-feira, 29, novembro, 2021

Crítica | Júpiter

Juntando vários elementos interessantes, Júpiter é o novo longa nacional da HBO Max que estreia dia 12 de novembro na plataforma.

A trama segue Júpiter (Rafael Vitti), um jovem que mora com sua madrinha após a morte de sua mãe. Quando ela consegue uma bolsa na Suiça, o garoto precisa começar a morar com seu pai, que não sabia da existência dele até o momento. O pai é Mario (Orã Figueiredo), um detetive particular de cerca de 50 anos, especializado em flagrantes de adultério. Após uma perseguição – onde ele foge de um marido adúltero – sofre um infarto e é logo após esse incidente que Júpiter entra em sua vida.

Crítica | Júpiter 1
Jupiter/HBO

Não é só a vida deles que está prestes a mudar, Mario é casado com Teresa (Guta Stresser) há 25 anos, e Júpiter é fruto de uma relação extraconjugal, o que complica ainda mais a vida do detetive. Uma relação conturbada entre os dois se inicia, baseada no conflito de gerações e na estranheza da súbita paternidade. Mario tenta introduzir Júpiter no mundo maravilhoso da investigação, mas o garoto é absolutamente inepto para a função. Depois de algumas desventuras e frustrações, descobre que ele tem outro talento: o xadrez, que aprendeu jogando pela internet. Júpiter é um jogador incrível, e Mario percebe que através do filho pode ter a chance de, pela primeira vez, fazer parte de algo importante na vida.

Veja também: Crítica | Succession- 3ª temporada

Com roteiro e direção de Marco Abujamra, o filme mostra todos esses acontecimentos de maneira corrida, mas repleta de detalhes. O roteiro usa de vários elementos diferentes para criar essa história, todos se cruzando no final.

Crítica | Júpiter 2
Jupiter/HBO

É quando a tarefa de babá de adolescente enxadrista mostra-se bastante ingrata, e Mario se vê numa situação inusitada em que é obrigado a levar, em sua van, a equipe carioca de xadrez para um torneio em Juiz de Fora que a trama atinge seu ponto mais forte. Nesse momento a relação entre pai e filho, até então apenas mostrando o traço egoísta de Mario sem saber lidar com outros seres além de si mesmo, cria uma personalidade única com Júpiter finalmente criando sua individualidade e começando a querer seguir seus próprios caminhos.

Veja também: 5 motivos para assistir Made for Love da HBO Max

Júpiter é um longa diferente das produções geralmente vistas no Brasil e por isso pode soar estranha para alguns espectadores. Com uma proposta contidiada, o filme mostra uma história bem simples, mas com detalhes intrigantes. É uma proposta com pouca ação e relacionamentos intimistas que podem soar simples, e talvez a graça esteja exatamente na simplicidade da obra.

Nota do Thunder Wave
Com uma proposta contidiada, o filme mostra uma história bem simples, mas com detalhes intrigantes.

Artigos Relacionados

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Instagram

Bombando

Mais vistos da semana

Siga Nossas Redes

Tem conteúdo exclusivo por lá
6,914FãsCurtir
2,962SeguidoresSeguir
4,234SeguidoresSeguir

Recentes

Conteúdo fresquinho

Thunder Fic's

Tudo sobre roteiro
pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave