quarta-feira, 3, março, 2021
Início Filmes Críticas Crítica | Minha Irmã

Crítica | Minha Irmã

Destaque na 44.ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e indicado ao Oscar 2021 pela Suíça como Melhor Filme Estrangeiro, Minha Irmã (Schwesterlein) conta com a direção de Véronique Reymond e Stéphanie Chuat. Sven (Lars Eidinger) é um ator teatral que está travando uma batalha contra um câncer agressivo enquanto sua irmã gêmea Lisa (Nina Hoss) tenta ajudá-lo a passar por essa situação e acompanhamos a cumplicidade dos irmãos durante esse período difícil para ambos.

Crítica | Minha Irmã 1
Divulgação | A2 Filmes

O choque emocional de lidar com uma doença terrível é somada com a dificuldade de estar longe dos palcos que faz Sven ser quem verdadeiramente é, brilhante e cheio de vida, tentando focar na futura apresentação, ele parte com a irmã para a Suíça para se recuperar de um transplante que talvez possa ajudar no seu tratamento. Lisa, mais nova por dois minutos, é uma escritora que deixa tudo de lado para ficar junto do irmão. Sven trava uma batalha interna para se manter otimista diante do quadro nada favorável que sua saúde se encontra enquanto busca reacender na irmã a motivação para escrever e voltar a acreditar em si mesma.

Alguns takes parecem ser totalmente estéticos e sem relação com a história, trazendo confusão e estranheza, o que pode ser intencional e relacionado com os sentimentos dos personagens principais, refletindo seus interiores caóticos. Ao receber a confirmação que a peça que faria teve que ser substituída, é a certeza que Sven tem de que ele não voltará aos palcos que tanto ama, buscando então em uma festa e no álcool esquecer, mesmo que temporariamente, a condição da sua saúde. Sven tenta fazer com que a irmã retorne a fazer aquilo que ama, o que a faz feliz, assim como ele é feliz em cima dos palcos e motivada pela doença do seu irmão, ela passa a escrever um monólogo baseado em João e Maria, dedicado ao irmão.

Lisa e Sven são como lados de uma moeda, mesmo que algo esteja no fim, eles ainda tentam se incentivar e mostrar as possibilidades futuras que ainda existem, independente do quão ruim a situação possa estar no momento. É esse suporte que incentiva principalmente Lisa a escrever, para que seu irmão possa sonhar em ter um futuro no teatro, esse é o último presente de Sven, ajudar a irmã a quebrar o que a impedia de conseguir escrever.

Divulgação | A2 Filmes
Divulgação | A2 Filmes

Esse drama nos leva por uma jornada leve pelos últimos dias de vida de Sven e como a interação dele com Lisa é importante para os dois, levando ao expectador não uma pessoa idealizada, mas um ser humano que sofre com a condição que está passando, que tenta fugir em vão do seu destino e que só resta aceitá-lo. Podemos ver a delicadeza com que o tema é tratado, sem colocar máscaras ou panos quentes, apenas sendo cruel e terrível, mas também delicado e profundo.

Nota do Thunder Wave
Minha Irmã conta a jornada de Sven lida com seu câncer terminal enquanto tenta ajudar sua irmã gêmea Lisa a voltar a escrever. Um filme sensível, mas com cenas confusas e sem acontecimentos marcantes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Siga nossas redes sociais

6,937FãsCurtir
3,084SeguidoresSeguir
4,349SeguidoresSeguir

Yakuza: Like a Dragon está com DLC gratuita no PS5

0
Versão para o novo console da Sony chegou com a aguardada localização para o português brasileiro, DLC de trajes lendários grátis por tempo limitado e upgrade sem custos da versão de Playstation 4.

The Walking Dead | Cena de momento íntimo causa nojo nos...

0
Cena de momento íntimo entre Negan e Alpha causou reações negativas nos fãs de The Walking Dead. Veja.
Crítica | Minha Irmã 8

Um adeus a Merlin

pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave