segunda-feira, 6, abril, 2020
Início Filmes Críticas Crítica | O Oficial e o Espião

Crítica | O Oficial e o Espião

O Oficial e O Espião (J’accuse) de Roman Polanski (O Pianista, 2002) chega aos cinemas brasileiros após sua grande Première mundial no Festival Internacional de Cinema de Veneza, tendo levado o Grande Prêmio do Júri, concedido ao segundo filme de maior destaque do evento.

Com base na história real de Alfred Dreyfus, a trama apresenta o Capitão e Oficial de Artilharia do exército francês, de origem judaica, que foi acusado e condenado em 1894 como traidor, sendo então degradado do exército e exilado na Ilha do Diabo. Polanski refaz a trajetória do Tenente-coronel Georges Picquart, do dia da execução da condenação de Dreyfus até o ano de 1899, quando Dreyfus é anistiado e deixa a prisão, mesmo sendo ainda considerado culpado.

Crítica | O Oficial e o Espião 1
O Oficial e o Espião | Califórnia Filmes | Georges Picquart (Jean Dujardin)

Baseado no livro An Officer and a Spy (O Oficial e o Espião, sem tradução para o português), do jornalista britânico Robert Harris, que assina o roteiro junto de Polanski e do artigo de Émile Zola J’accuse (Eu acuso), o longa ambientado durante a Terceira República Francesa retrata o caso Dreyfus de maneira singular.

Com um clima social instável, Dreyfus (Louis Garrel) é condenado por alta traição e Georges Picquart (Jean Dujardin) assume o departamento do serviço de inteligência, que precisa ser organizado após seu antecessor tê-lo negligenciado por estar doente. Durante seus dias de trabalho nota que os vazamentos de informação não pararam desde a condenação de Dreyfus e decide investigar a fundo.

Louis Garrel e Jean Dujardin são excepcionais e com uma similaridade que impressiona, a caracterização dá a impressão de estar vendo os personagens recém saídos de uma fotografia. Com mais de duas horas de duração, o roteiro em seu ritmo constante não deixa que o longa se torne cansativo, mas provoca ansiedade no espectador para saber quando as farsas serão reveladas, deixando até mesmo um gosto amargo no final. O retrato de como o antissemitismo, também presente e crescente após a condenação de Dreyfus, deixa uma marca importante para entender o período histórico do filme.

Crítica | O Oficial e o Espião 2
O Oficial e o Espião | Califórnia Filmes | Georges Picquart (Jean Dujardin)

Roman Polanski

Em novembro de 2019, a uma semana da estreia francesa do longa, uma nova denúncia de estupro surgiu contra Polanski, dessa vez vindo de Monnier, atriz e ex-modelo, que afirma ter sido violentada aos 18 anos em um chalé em Gstaad na Suíça. Polanski se declara inocente dessa acusação.

Porém a estreia foi marcada por protestos e boicote ao diretor, que foi expulso pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, responsável pelo Oscar, em 2018. Já condenado nos Estados Unidos pelo abuso sexual de Samantha Geimer, com 13 anos na época, e se encontra impedido de voltar ao país por ter uma ordem de prisão.

Roman Polanski
Roman Polanski

No Brasil, o filme chega aos cinemas em 12 de março.

Nota do Thunder Wave
Com uma ambientação e caracterização impressionante, o novo trabalho de Polanski retrata o Caso Dreyfus, ocorrido na França, de forma dinâmica e direta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Siga nossas redes sociais

7,066FãsCurtir
3,130SeguidoresSeguir
4,450SeguidoresSeguir

Conheça as cidades de La Casa de Papel – Parte 3

0
A quarta temporada de La casa de Papel já está disponível no Netflix, e a gente chega a nossa terceira parte do...

Resenha: Indesejadas- Kristina Ohlsson

9
“Mas nesse planeta ninguém é invisível, muito menos infalível. “ Gosto bastante de romances policiais, por isso adoro os livros da editora Vestígio. Para quem...
pt_BRPT_BR
en_USEN pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave