O jovem Sammy Fabelman se apaixona por filmes depois que seus pais o levam para ver “The Greatest Show on Earth“. Armado com uma câmera, Sammy começa a fazer seus próprios filmes em casa, para o deleite de sua mãe solidária. Esta é a história semiautobiográfica do diretor Steven Spielberg, onde ele revisita o passado de sua família, de uma forma emocionante.

Fazer filmes biográficos é algo comum na indústria do cinema. Nestas histórias o espectador conhece um pouco mais a respeito do ídolo, suas vitórias, derrotas e principalmente como conseguiu chegar onde tanto desejava. Mas Os Fabelmans é diferente do que o fã está acostumado, pois revela a história de Spielberg até seus 18 anos.

Leia também: Crítica | Segredos de Guerra

Os Fabelmans, assim como acontece na autobiografia de Kenneth Branagh, Belfast, o diretor mergulha em seu passado e na relação com seus pais e como isso foi crucial para ele se tornar um dos maiores nomes do cinema mundial.

O longa que chega dia 12 de janeiro nas telas brasileiras, é uma inspiração da infância do diretor. Muitas das cenas vistas são apenas ficção, como dito pelo próprio Spielberg, mas isso não é um ponto negativo, pois a realidade ainda é o seu amor por fazer filmes.

O que torna Os Fabelmans realmente empolgante é a forma como o longa não apenas se inspira na história do diretor, mas também é uma verdadeira homenagem a seus pais. E para deixar ainda mais envolvente, Spielberg resgatou suas memórias para escrever ao lado do roteirista Tony Kushner (Amor, Sublime Amor) este “conto de fadas” que envolve um pouco do passado dos EUA e a relação com os judeus.

Leia também: Crítica | O Menu

“Foi como se tivesse saído do meu corpo, testemunhado de fora um acidente de carro que eu havia sofrido, e o filmado em câmera lenta”, contou Spielberg em entrevista ao O Globo. “Em seguida, os vi novamente e não enxerguei Michelle ou Paul, mas sim Leah e Arnold, minha mãe e meu pai. Me emocionei muito. Os atores perceberam e nos abraçamos os três. E o drama que jurei evitar aconteceu já no primeiro dia de filmagem”.

O longa encanta por ter Spielberg em um de seus melhores momentos, pois ele consegue trazer empatia com o espectador ao mostrar a relação familiar, que envolve os dramas e a formação do personagem Sammy para se tornar um cineasta.

Os Fabelmans é um convite ao público para experimentar o dia a dia dos melhores aos piores momentos da família. E o grande ponto positivo nesta narrativa é ele não cair na melaconlia, apenas mostrando a nostalgia de família Fabelman (Spielberg).

Para aqueles que são verdadeiros amantes do cinema, irão se deliciar em como o diretor aprendeu de forma didática a criar seus longas. Em muitas partes dará para se perceber um pouco da introdução de filmes famosos como Indiana Jones, alguns de Guerra, sua ligação com a trilha sonora e outros aspectos mais do que curiosos da sétima arte.

Os Fabelmans é mais do que uma autobiografia. É uma declaração de amor de Spielberg ao cinema e com certeza irá agradar aos fãs do cineasta e do cinema.

Resumo
Nota do Thunder Wave
critica-os-fabelmansOs Fabelman é mais do que uma autobiografia. É uma declaração de amor de Spielberg ao cinema e com certeza irá agradar aos fãs do cineasta e do cinema.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui