Baseado na obra homônima infanto-juvenil de Harlan Coben, Refúgio (Shelter) estreia pela Amazon Prime Video trazendo um bom mistério para as telas.

Veja também: Resenha | Refúgio- Harlan Coben

Protagonizado por Mickey Bolitar (Jaden Michael), sobrinho do famoso Myron Bolitar da saga de livros de Coben, Refúgio apresenta o garoto que acabou de perder seu pai Brad (Kristoffer Polaha) e está com sua mãe (Narci Regina) debilitada psicologicamente. Mickey acaba tendo que retornar para a cidade natal de seu pai, para ser cuidado pela sua tia Shira Bolitar (Constance Zimmer), com quem possui uma relação complicada.

Quando sua namorada Ashley Kent (Samantha Bugliaro) some misteriosamente, Mickey começa uma investigação própria, envolvendo seus novos amigos Ema (Abby Corrigan) e Arthur ‘Colherada’ (Adrian Greensmith).

Quem está familiarizado com a leitura de obras de Harlan Coben vai reconhecer os elementos clássicos presentes nos livros do autor. Isso porque a série respeita os detalhes que levaram os mistérios dele a tanto sucesso. Porém, não é por acaso. Com produção e criação do próprio Coben e com a maioria dos roteiros escritos por sua filha, Charlotte Coben, a fidelidade com o original parece de suma importância nessa produção.

Entretanto, algumas modificações referentes à diversidades são colocadas em tela – e parecem muito certeiras uma vez que foram apresentadas. A começar por Mickey, que ganha uma repaginada afroamericana vinda da mãe. O clássico personagem Myron está presente em menções, mas não em tela. Em seu lugar, fica a terceira irmã Bolitar: Shira, que possui os mesmo traços importantes do protagonista das sagas, com uma versão feminina. Também foram tomadas algumas liberdades em relação à inserção de membros LGBTQIA+ na trama, que se mostram ser decisões bem acertadas.

Crítica | Refúgio - 1ª Temporada 1
Colherada, Mickey Bolitar e Ema em Shelter/ Imagem: Amazon Prime Video

Ao longo das buscas, várias questões são levantadas, com pitadas do passado de Brad e seu misterioso trabalho que provavelmente causou sua morte. O psicológico de Mickey e sua culpa com a perda do pai é bem explorada, assim como algumas consequências de bullying e discussões sobre saúde mental no restante dos personagens. Sem perder a mão no suspense, a série apresenta tudo isso enquanto mantém momentos tensos e ações duvidosas do núcleo secundário que aguçam a curiosidade do espectador para entender esse enorme perigo apresentado.

Mesmo sendo uma produção baseada em algo infanto-juvenil, Refúgio consegue a proesa de não transmitir a infantilidade em tela, mantendo um tom misterioso que agrada aos adultos, enquanto deixa claro seu teor juvenil com o trio principal e alguns acontencimentos triviais que remetem aos anos do ensino médio.

Veja também: Crítica | Daisy Jones & The Six- 1ª Temporada

Refúgio une informações que vão além do livro que dá nome à produção, usa também alguns dados que são mostrados apenas nos dois volumes seguintes da trilogia de Mickey Bolitar, Uma Questão de Segundos e A Toda Prova, por isso, é importante ler todas as obras se não quiser spoilers dos acontecimentos.

Os elementos visuais são bem colocados, mas o verdadeiro destaque fica na construção dos personagens. Aproveitando os detalhes já mostrados nos livros, a produção mergulha na profundidade de cada um sem medo, deixando seus gostos, anseios e problemas familiares bem trabalhados.

Sabendo dosar o suspense, apresentando as informações de maneira pontual e mantendo o essencial da escrita de Coben que conquistou vários fãs, Refúgio é mais uma adaptação do autor que impresssiona na qualidade e certamente conseque manter o interesse ao longo de seus oito episódios.

Refúgio estreia dia 18 de agosto no catálogo da Amazon Prime Video.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui