domingo, 17, outubro, 2021

Critica: Roda Gigante

Woody Allen é um cara que sabe passar uma mensagem familiar quando quer. Em Roda Gigante (Wonder Wheel), o diretor e roteirista comprova seu talento entregando uma obra extremamente coerente e rica em detalhes.

Ambientado nos anos 50, em Coney Island, o filme apresenta uma trama cotidiana, porém recheada de detalhes. Ginny (Kate Winslet) é uma ex-atriz que agora trabalha como garçonete e vive insatisfeita ao lado de seu marido Humpty (Jim Belushi). A rotina deles muda quando Caroline (Juno Temple), filha de Humpty de seu primeiro casamento, volta a morar com o pai por ter problemas em seu casamento com um gângster.

Nessa mesma época, Ginny começa a ter um caso com o salva-vidas Mickey (Justin Timberlake), que parece ser a salvação para sua vida. Entretanto, tudo desanda quando Carolina parece manter o mesmo interesse no rapaz.

Roda Gigante
Roda Gigante | Foto: Imagem Filmes

O roteiro é simples, mas recheado de detalhes que prendem o espectador aos acontecimentos. O título não é escolhido ao acaso, o longa deixa bem claro que a vida é uma roda gigante, onde algo (aqui a chegada da Carolina) balança a rotina, porém no final voltamos à estaca zero. Entre falas muito bem elaboradoras e cenas que não apelam para a exposição, o filme deixa bem claro seu propósito.

Mas o grande destaque vai para a fotografia. Vittorio Storaro faz um trabalho magnífico, principalmente do que diz respeito ao jogo de cores. Cada momento que envolve uma forte emoção, é regido por uma  interessante mudança de cores na cena, que representam a intensidade e a mudança de emoções dos personagens.

Roda Gigante
Roda Gigante | Foto: Imagem Filmes

Entretanto, por mais interessante que seja, Roda Gigante é um filme seletivo. O roteiro simples deixa muito nas entrelinhas, deixando a cabo do público entender as mensagens passadas pelas sub-tramas não desenvolvidas. Richie (Jack Gore) é um bom exemplo. Filho de Ginny, o garoto possui a mania de colocar fogos nas coisas e a estranha habilidade de fazer isso onde o acontecimento principal está em desenvolvimento. Os olhares mais atentos certamente irão notar que Richie representa o abandono e o conhecimento das situações, além de ficar responsável pelas cenas mais explícitas de “tapa na cara”. Porém, há aqueles que irão sentir que ele é um personagem pouco explorado que merecia um pouco mais de destaque.

Nada disso chega a de fato atrapalhar a clara mensagem do longa, que sem dúvidas irá dar material suficiente para o espectador refletir.

Nota do Thunder Wave
Com uma trama cotidiana, porém rica em detalhes, Roda Gigante relata o quando a vida pode mudar, e ainda assim voltar para o mesmo lugar.

Artigos Relacionados

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Instagram

Bombando

Mais vistos da semana

Siga Nossas Redes

Tem conteúdo exclusivo por lá
6,914FãsCurtir
2,959SeguidoresSeguir
4,239SeguidoresSeguir

Recentes

Conteúdo fresquinho

Thunder Fic's

Tudo sobre roteiro
pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave