sexta-feira, 3, julho, 2020
Início Séries Críticas Crítica | Sex Education - 2ª Temporada

Crítica | Sex Education – 2ª Temporada

A disputa dos serviços de streaming vem se acirrando com o surgimento de novas plataformas, e a Netflix tem como um de seus diferenciais os conteúdos exclusivos, sobretudo as séries que criam e acabam se tornando sucessos.

A plataforma, apesar de contar com inúmeras produções frustradas, ainda sabe como emplacar um sucesso com potencial, e nesse cenário se encontra Sex Education, série de 2019 e que já tem a segunda temporada disponível na plataforma.

Em tempos de Fake News, é importante que os veículos de comunicação funcionem como meios confiáveis de informações. Sex Education em sua segunda temporada novamente cumpre o seu papel de serviço social, assim como na primeira temporada, a série desmitifica alguns conceitos e tabus relacionados a pratica sexual, mas a nova trama não para por aí, a produção levanta ainda mais bandeiras relacionadas a sexualidade, como o abuso e o preconceito com relacionamentos LGBTQI+.

Além das temáticas adolescentes voltadas aos relacionamentos e sexualidade durante essa fase, a produção ainda explora os relacionamentos familiares e serve também de lição aos pais, e como se portar em relação aos problemas de seus filhos.

Outro ponto forte da série é a representatividade, pois conta com personagens de diferentes sexualidades e das mais diversas etnias, e todos com um enorme destaque, cada um dentro de sua trama central.

O novo ano chega para consolidar Sex Education como uma das grandes séries da atualidade, com um enorme potencial para eventuais temporadas futuras. A produção mantém o visual retro e ótimos arcos de personagens com histórias semelhantes às do nosso cotidiano, é o tipo de trama que vive uma linha tênue entre a vida real e a ficção.

Alguns personagens secundários da primeira temporada tomam espaços maiores e mais importantes, com destaques para Aimee Gibs (Aimee Lou Wood) que passa pelo conflito mais triste da produção, e para Lily Iglehart (Tanya Reynolds) que é uma das principais personagens da trama na temporada corrente, mesmo muitas vezes ficando em segundo plano.

A Netflix parece ter encontrado uma franquia cativante, tanto para os adolescentes quanto para os adultos, com uma trama séria, tratado de maneira coerente e com toques do sarcástico humor britânico, parece que o serviço de streaming encontrou um elenco carismático em uma promissora franquia, assim como em Stranger Things. A expectativa é que a série tenha vida longa e nunca perca a identidade que criou: falar de uma maneira séria de temas que poucos tem coragem de explorar.

Nota do Thunder Wave
Segunda temporada de Sex Education chega para provar que a série consegue manter seu papel de serviço social.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Siga nossas redes sociais

7,041FãsCurtir
3,084SeguidoresSeguir
4,390SeguidoresSeguir

Resenha | A Grande Gripe – John M. Barry

0
Finalmente lançado no Brasil, com atraso de aproximadamente 16 anos, o livro A Grande Gripe: A História da Gripe Espanhola, A Pandemia...

Crítica: Greenleaf – 3ª Temporada

4
Desde que Greenleaf estreou no catálogo da Netflix Brasil, a série arrebatou a atenção e também, a predileção da audiência. Já de cara, a...
Crítica | Sex Education - 2ª Temporada 6

Um adeus a Merlin

pt_BRPT_BR
en_USEN pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave