domingo, 19, setembro, 2021

Crítica | The Good Place- 4ª temporada

Estreando em 2016, The Good Place foi uma grata surpresa, usando de comédia para fazer umas das melhores críticas da atualidade. Com seu foco principal sendo a vida-pós morte, de uma maneira nada religiosa, a trama aproveitou para dar inúmeras alfinetadas em crenças irracionais, enquanto fazia piada com questões mais populares atuais.

Veja também: Crítica| The Good Place- 1ª temporada

Ao longo dos anos, a produção apresentou algumas mudanças, mas sem fugir da premissa original. Com a temporada anterior levando à descoberta de que a humanidade estava basicamente sendo inteira levada ao “Lugar Ruim”, o novo ano explorou uma busca dos cinco personagens a uma solução para entrar no “Lugar Bom”, e de quebra ajudar os humanos a irem para lá também.

Crítica | The Good Place- 4ª temporada 1
The Good Place 4ª temporada | NBC

Com a vizinhança nas mãos do grupo, eles precisam provar a capacidade das pessoas de evoluir e redimir seus atos, tarefa que não é fácil logo de começo e só piora com Shawn (Marc Evan Jackson) tentando sabotar o projeto. As regras do acordo incluem essa possibilidade, com o demônio colocando quatro pessoas para atrapalhar o progresso – que incluem a ex-namorada de Chidi apresentada na temporada anterior.

O romance, que cresceu muito nos dois últimos anos da produção, se encontra ainda mais presente. Com os casais estipulados, sobra apenas para Eleanor (Kristen Bell) e Chidi (William Jackson Harper) encarrarem o enorme desafio de ficarem juntos com os empecilhos colocados por Shawn, que chega a exigir um enorme sacrifício da garota e apenas cresce a apatia do público em relação ao casal.

Crítica | The Good Place- 4ª temporada 2
Eleanor e Chidi passam por desafios nessa nova temporada | NBC

Com a temporada entrando em hiato algumas vezes, parece mais longa do que o habitual, fator que ajuda os fãs a segurarem a tristeza pela produção chegar ao final. Com essas divisões, os capítulos que retornam a série e antecedem o finale parecem mais rápidos e um pouco mais urgentes ao resolver as questões.

Entretanto, o capitulo final merece uma crítica a parte. Toda a pressa é justificada nesse desfecho com o dobro de duração, que se foca exclusivamente na conclusão do quinteto e se torna absurdamente emotivo, fugindo do padrão cômico apresentado ao longo da série e, como o próprio criador alertou, é um verdadeiro soco no estômago. O caminho de redenção traçado até o momento entrega uma gratificante resolução para os acontecimentos, apresentada de uma maneira tão intima e real, que consegue arrancar lágrimas até do mais insensível espectador.

The Good Place conseguiu impressionar a cada final e início de temporada, provando que o roteiro conseguia mudar o foco da trama de cada novo ano sem perder a temática principal. E é assim que a produção se encerra, provando novamente que consegue mudar o tom sem perder a coerência e impressionando com o emocionante e totalmente plausível desfecho, sem perder a chance de entregar inúmeros ensinamentos filosóficos que, com sorte, irão ficar na mente dos fãs por muitos anos.

Nota do Thunder Wave
The Good Place termina de maneira emocionante e plausível, mostrando que ainda consegue ser uma produção impressionante.

Artigos Relacionados

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Instagram

Bombando

Mais vistos da semana

Siga Nossas Redes

Tem conteúdo exclusivo por lá
6,914FãsCurtir
2,954SeguidoresSeguir
4,242SeguidoresSeguir

Recentes

Conteúdo fresquinho

Thunder Fic's

Tudo sobre roteiro
pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave