The Politician é o tipo de série que com certeza, vai dividir opiniões do grande público. Isso por conter o DNA Ryan Murphy e também, por ser uma série completamente complicada, apesar de possuir uma sinopse bem simples, diga-se de passagem — isto é, seguindo os moldes Netflix.

A trama, que foi criada, produzida, roteirizada e dirigida por Murphy, gira em torno de Peyton Hobart (Ben Platt), um adolescente do Ensino Médio que tem o árduo desejo de ser presidente dos Estados Unidos. Ele pensa em política 24 horas por dia, age como um político, lê sobre o assunto e até cogita a possibilidade de ingressar para o corpo de alunos da Universidade de Harvard, uma das mais conhecidas e respeitadas instituições de ensino superior do mundo — pelo simples fato de que Harvard formou o maior número de presidentes do país.

Filho adotivo de uma família milionária, sua mãe, Georgina Hobart (Gwyneth Paltrow), mantém uma predileção por Peyton, mais até do que por seus filhos (gêmeos) biológicos. Ela faz de tudo para que o jovem tenha o melhor que o dinheiro pode comprar e por isso, investe pesado em sua formação que vão desde aulas particulares de mandarim até a compra de inúmeros livros, tudo para alimentar o ego intelectual de Peyton — isso, sem mencionar as mensalidades caríssimas da escola onde o filho estuda.

Só que antes de Harvard e possivelmente a Casa Branca, Peyton precisará enfrentar, talvez, o maior de seus desafios políticos: ser eleito presidente/representante estudantil de sua escola. Como de costume, visto em diversos outros filmes e séries ambientados em escolas, o processo eleitoral para esses representantes, beiram a realidade, como se eles estivessem concorrendo para o senado, câmara dos deputados ou prefeitura de alguma cidade: com direito a pesquisa de intenção de votos, golpes/estratégias de marketing, discursos e ações para derrotar a chapa adversária.

Nada disso seria importante se Peyton não tivesse em seu caminho o seu maior rival: River (David Corenswet), que para entender a relação os dois e ver uma situação específica acontecendo logo no início da temporada, será necessário assistir a série — e é melhor parar por aqui porque pode acontecer de soltar alguns spoilers e comprometer a sua experiência em assistir a série.

Por falar nisso, será IMPRESCINDÍVEL, que você assista a temporada dublada — a não ser que você seja fluente no inglês, mas se este não for o seu caso, assistir o seriado legendado, poderá lhe trazer complicações no decorrer da trama que podem não te fazer entender algumas coisas e para isso, será necessário retornar alguns episódios para continuar no fio da meada e cá para nós, você não vai querer que isso aconteça.

Composta por oito episódios de 50 minutos, aproximadamente (com exceção do piloto, que tem a duração de pouco mais de 1 hora), é um dos pouquíssimos pontos positivos que a temporada traz — os outros são o figurino e a fotografia. A trama é vazia, confusa, entediante e sem brilho. Nem as aparições de Paltrow são alívios para uma sequência de cenas de diálogos extensos, dramalhões e atuações precárias. É como se o elenco fosse inexperiente e o pusesse em cena para falar o texto de maneira estranha.

Comparações com outras obras de Murphy serão inevitáveis e Glee, possivelmente, será a principal delas. Isso porque The Politician se passa numa escola e vira e mexe, alguns números musicais são apresentados ao espectador. Peyton lembra, ou melhor, é a cópia genuína de Rachel Berry (Lea Michele), entretanto, com diferenças: enquanto Rachel almejava os palcos da Broadway e possuía em inúmeras divas dos musicais a sua inspiração, Peyton é da mesma maneira, só que com políticos — há quem não goste de Rachel, em Glee, e acredita que é uma personagem sem brilho, forçada e que outras personagens como Santana (Naya Rivera) ou Mercedes (Amber Riley), possuem mais carisma e talento que a protagonista.

Com algumas obras de sucesso, Murphy acumula outras nem tão sucessos assim, como Scream Queens, por exemplo. The Politician é bem parecida com a série protagonizada por Emma Roberts e que contou com a participação de Ariana Grande e apesar de bons nomes escalados para o projeto, pode não obter renovação para outras temporadas. Você pode gostar da série por diversos outros motivos não apresentados neste texto ou não gostar por tantos outros. Apesar de ser uma aposta bem estruturada, com uma trama interessante, a representação de todo o conjunto da obra falhou e não agradou.

The Politician tem estreia programada para 27 de setembro no catálogo da Netflix.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui