quarta-feira, 27, outubro, 2021

Crítica | Tom Hanks esbanja criatividade em Um Lindo Dia na Vizinhança

O filme Um Lindo Dia na Vizinhança começa enquanto assistimos ao programa infantil de Fred Rogers. É incrível pensar como Tom Hanks parece ter nascido para interpretar esse personagem. Com direção de Marielle Heller, esse personagem vai muito além e é maravilhoso como eles retratam o apresentador, como se ele fosse um santo.

Mas, como sempre, estamos passando por testes, então não seria diferente com Fred Rogers e ele é testado quando encontra com o jornalista investigativo Lloyd Vogel (Matthew Rhys), que a partir desse encontro, ao longo do filme, provoca discussões sobre rancor e perdão.

Gosto da maneira como a diretora coloca no longa a habilidade e o prazer que Rogers tem em ensinar e ajudar as pessoas. É muito explicativo, mostrando muitos detalhes de várias situações que faz até um pouco de sentido por tratar-se de um programa infantil; a forma como a diretora brinca, mas sem exagerar, sobre a percepção que o público tem sobre o homem, e é impossível não nos identificarmos com Vogel pois, cabe a pergunta, existe alguém que, realmente, consegue ser bom o tempo todo? Ele é bom mesmo ou finge ser? Ele consegue separar o sr. Rogers do verdadeiro Fred? E, no filme, essa resposta não aparece ao certo. E foi isso que eu gostei, pois a diretora desafia o público a tirar as suas próprias conclusões.

Podemos ver, também, que o roteiro explora a drama familiar dos Vogel e como ele é mostrado, como se fosse realmente um dos episódios do programa apresentado por Rogers. Os quarteirões da vizinhança de Lloyd é apresentado por meio de miniaturas coloridas usadas no cenário de um programa, e uma das cenas que é simples porém tocante, é quando o sr. Rogers desafia o jornalista a ficar um minuto em silêncio e refletir sobre todas as pessoas que teve influência em sua vida. E isso acaba levando o espectador a fazer o mesmo. Sem contar que esse filme tem um elemento de autoajuda, que é passado pelas lições do apresentador de como lidar com os seus sentimentos.

Gosto também de como a personagem Andrea Vogel (Susan Kelechi Watson), esposa de Lloyde, entra com um papel de mulher compreensiva, que está para ajudar o marido com seus problemas emocionais e impulsionar ele a ser sua melhor versão. Mas gosto de ver como os personagens se desenvolvem de uma determinada forma, e de como a amizade de Lloyde e Rogers flui ao longo do filme.

Mas por que devo assistir?

Por ser um filme que ao mesmo tempo é educativo e bem humorado, ele acaba sendo uma produção que traz grandes ensinamentos, pois quem não enfrenta problemas na família? Podemos nos identificar com alguns personagens, pois mostra o drama que a família Vogel passa, mais especificamente pai e filho, e como uma visão de fora pode dar uma diferença. Esse longa também mostra como podemos lidar com os sentimentos que não queremos liberar. É um filme bem família em que podemos aprender e rir, e faz com que a gente se sinta como se estivéssemos assistindo em casa, já que ele nos deixa à vontade. Sem contar que a atuação de Tom Hanks está incrível!

Nota do Thunder Wave
Um Lindo Dia na Vizinhança é um filme bem família em que podemos aprender e rir, e faz com que a gente se sinta como se estivéssemos assistindo em casa, já que ele nos deixa à vontade. Sem contar que a atuação de Tom Hanks está incrível!

Artigos Relacionados

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Instagram

Bombando

Mais vistos da semana

Siga Nossas Redes

Tem conteúdo exclusivo por lá
6,914FãsCurtir
2,958SeguidoresSeguir
4,238SeguidoresSeguir

Recentes

Conteúdo fresquinho

Thunder Fic's

Tudo sobre roteiro
pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave