Séries Críticas

Crítica | Troppo 1ª temporada

Mistura de drama policial, assassinatos e crocodilos

0

Nesta adaptação do romance da autora australiana Candice FoxCrimson Lake, se os crocodilos não te assustarem, a conspiração medonha vai te pegar de jeito. Qualquer produção que já começa com um ataque de animal merece sua atenção, pois aqui o primeiro caso que não é nem considerado um caso , e sim, um suicido por crocodilo é o fio condutor do começo ao fim. A série Troppo acompanha um ex-policial, que é falsamente acusado de um crime terrível e uma jovem atormentado por um passado perturbador.

A trama é dividida em 08 episódios de mais ou menos 58 a 60 minutos e é surpresa atrás de surpresa. São três casos que de inicio parecem não ter relação nenhuma, mas a um certo ponto, as histórias se conectam e o desfecho é surreal. São muitas as dúvidas que nos cercam desde o começo da série como, por exemplo, quem estaria tão desesperado para acabar com a própria vida de uma maneira tão horrível e dolorosa? E o que isso tem a ver com o desaparecimento de um executivo de tecnologia coreano, que simplesmente sai de sua casa sem falar nada para ninguém numa bela noite?

Amanda (Nicole Chamoun) e Ted (Thomas Jane) são os protagonistas da série Troppo / Reprodução ABC

Em Troppo, a protagonista Amanda Pharrell (Nicole Chamoun), é uma detetive e tatuadora que pegou o caso do executivo coreano que desapareceu sem deixar rastros. Percebemos que ela é uma jovem que está retornado para sua cidade natal, no extremo norte de Queensland, de Crimson Lake, depois de cumprir uma pena por um assassinato cometido na adolescência. Com a cabeça raspada e muitas tatuagens, ela anda apenas de bicicleta grampeando panfletos para sua agência de detetives de uma pessoa só – ela.

Porém, Amanda precisa de ajuda e a encontra o suporte que precisa no ex-policial Ted Conkaffey (Thomas Jane). Após ser acusado falsamente de ter abusado sexualmente de uma garotinha, esse fardo sujou sua reputação profissional e sua da sua família. Infelizmente, o protagonista precisou se afastar de todos que amava devido a falsa acusação e mesmo estando longe de onde tudo aconteceu, ele ainda sofre com as intimidações dos policiais locais e com a desconfiança de alguns cidadãos. Logo, dois estranhos, unidos apenas por seu status de marginais, devem desvendar os mistérios que os cercam.

Troppo, é a adaptação da série Crimson Lake foi realizada por Yolande Ramke (Cargo, The Haunting of Bly Manor) e é muito interessante ver que a obra não se move por caminhos clichês e realmente consegue se sair bem ao lado de outras do mesmo gênero. A carga dramática emocional é bem presente até porque lida com crimes horrorosos e não só isso, mas muitos traumas, muitas histórias que parecem ser algo, mas na verdade se revelam outras. Aqui, não temos as tramas usuais e sim, um par de protagonistas desonrados, mas que tem consciência moral, uma conspiração insana nos bastidores e as armadilhas que podem pega-los se eles forem desatentos.

Amanda (Nicole Chamoun) e Ted (Thomas Jane) são os protagonistas da série Troppo / Reprodução ABC

Por ser uma trama de gênero difícil, o cenário combina bastante com a vibe da obra e confere um peso interessante. O clima áspero combinado com o calor abafado da floresta tropical capturada pela produção e a fotografia bem feita exalando de fato o calor do ambiente são pontos marcantes da série. Troppo, parece ser aquela história de uma cidadezinha interiorana com uma vergonha antiga” que surge com tanta frequência no gênero crime australiano, mas que se revela uma produção que se propõe a chocar o publico ao mesmo tempo que o faz pensar, refletir, torcer e se emocionar.

O Ted de Jane quer ser esquecido, ignorado, deixado em paz, enquanto Amanda de Chamoun usa sua solidão como um distintivo de honra, com um comportamento projetado para mostrar força e chamar a atenção – os respeitáveis ​​cidadãos de Crimson Lake podem rejeitá-la, mas nunca se livrarão dela e nem de Ted. É nas feridas de Ted e Amanda, que vemos a verdadeira essência de Troppo e dessa dupla só podemos esperar por mais aventuras.

Troppo não é uma série com um enredo espetacular, mas cumpre com excelência o seu papel ao fisgar o espectador do começo ao fim. A trama fala de pessoas feridas e não apenas de gente morta. Aqui, Jane e Chamoun estão interpretando estranhos que se isolam em seus casulos, mas que se complementam.

Resumo
Nota do Thunder Wave
critica-troppo-1a-temporadaSéries criminais sempre dividem opiniões, pois podem ser muito boas ou ruins. O novo lançamento da Amazon promete aventura, tensão e carga dramática em oito episódios e nos faz querer mais. Por retratar crimes brutais, a trama não exagera ao mostrar sangue e cenas fortes, percebemos que tem até uma certa consciência de que “menos é mais”. Com um elenco interessante e um emaranhado de subtramas que acontecem em paralelo, é uma boa pedida para quem curte esse gênero.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Posting....
PT_BR
Sair da versão mobile