quarta-feira, 8, dezembro, 2021

Crítica | Venom

San Francisco, Estados Unidos. Eddie Brock (Tom Hardy) é um jornalista investigativo, que tem um quadro próprio em uma emissora local. Um dia, ele é escalado para entrevistar Carlton Drake (Riz Ahmed), o criador da Fundação Vida, que tem investido bastante em missões espaciais de forma a encontrar possíveis usos medicinais para a humanidade. Após acessar um documento sigiloso enviado à sua namorada, a advogada Anne Weying (Michelle Williams), Brock descobre que Drake tem feito experimentos científicos em humanos. Ele resolve denunciar esta situação durante a entrevista, o que faz com que seja demitido. Seis meses depois, o ainda desempregado Brock é procurado pela dra. Dora Skirth (Jenny Slate) com uma denúncia: Drake estaria usando simbiontes alienígenas em testes com humanos, muitos deles mortos como cobaias.

Venom é um filme classificação 14 anos. Portanto, não dá para se esperar muita violência e uma temática mais adulta como por exemplo de Logan.
A grande missão do filme era desassociar para um público mais antigo o grande fracasso de ter apresentado um Venom em Homem Aranha 3 que ainda amarga nas lembranças dos fãs. E também de um inimigo do personagem nos quadrinhos.

Lógico que nos dias de hoje quem vai ao cinema muitas vezes nem sabe quem é Venom e acaba assistindo ao filme por ser mais um personagem vindo das HQs. E com isso, certamente, Venom poderá agradar, ter um bom número de bilheteria e trazer uma sequência com mais qualidade.

magnos.jpg

Infelizmente, o filme do vilão – anti herói – vilão e com sérios problemas de personalidade, continua com os mesmos problemas de personagens vindos dos quadrinhos: ter um antagonista a altura. Nem mesmo Homem de Ferro, Capitão América, Vingadores, para ficar nos filmes da Marvel, conseguiram apresentar um vilão que realmente deixasse o público preocupado. E não é por falta de bons vilões. Poucos como Ian McKellen ou Michael Fassbander como Magneto, conseguem ser atrativos para o público em suas dualidade. E mais recentemente Michael B. Jordan (Creed) como Erik Killmonger em Pantera Negra.

pantera-negra

A história, como já é de se esperar (são mais de 10 anos de adaptações e ainda tem gente que acredita que será fiel?), não segue a linha original do personagem, mesmo assim se assemelha bastante aos quadrinhos. E isso graças ao roteiro de Scott Rosenberg e Jeff Pinkner que souberam trabalhar essa adaptação, respeitando a base do personagem e sabendo o situar sem ter a necessidade de explicar anos e anos de histórias, desde Guerras Secretas quando ele nasce até os dias atuais.

Outro problema do filme, parece estar aí também. Em querer mostrar uma origem muito rápida para o personagem.

venom-trecho-760x428.jpg

Dentre os pontos positivos, está Tom Hardy. Sua atuação como Eddie Brock está dentro do que é apresentado nos trailers. No início ele é mais caricato, com tiradas cômicas que parecem destoar do personagem. Mas não é bem isso.

Eddie Brock é deste jeito nas HQs. Um cara destoado de todo o universo do Aranha. A ideia é realmente mostrar uma pessoa totalmente diferente e incomodar o público aparentando que Tom Hardy não condiz com o personagem, para em seguida ele ser algo completamente diferente. E não é isso em que se trata Venom? De dois personagens totalmente diferentes que irão se tornar um e terem uma nova identidade?

Pela faixa etária e “qualidade Marvel”, o filme possui muitos alívios cômicos, que podem incomodar algumas pessoas e agradar a outros. Mas não tem como não achar engraçado as tranformações de Eddie Brock em Venom. E novamente Tom Hardy mostra toda a sua qualidade como ator em nos brindar com uma atuação de Eddie Brock e Venom. A voz e parte corporal de Hardy mostra o quanto ele estava tranquilo com o papel.

A atriz Michelle Williams, mostrou química ao trabalhar com Tom Hardy e também cresceu e muito durante a história. Mesmo assim, pela qualidade da atriz, o roteiro poderia ter dado um pouco mas de exigência para seu personagem. O mesmo para os outros secundários.

A ação do filme é boa e serena, onde o público consegue visualizar cada ação, isso graças a equipe de cortes e a direção de câmera. É muito comum nos dias atuais a ação ter cortes rápidos em suas cenas ou a famosa câmera nervosa (aquela que treme), deixando o público realmente irritado por não entender nada do que está acontecendo na tela.

Os efeitos do Venom irão dividir o público. Alguns mais antigos irão o comparar com a adaptação de Spawn para as telonas de Todd McFarlane. Por sinal, o desenhista e roteirista é creditado no filme, graças a ter revolucionado o universo do Homem Aranha.

venom 1.jpg

Venom pode não ser o melhor filme baseado em quadrinhos, mas é promissor e com certeza ganhará uma sequência. Lembrando que nem todos os filmes Marvel, são realmente o que se esperam deles. Afinal de contas, estamos falando de adaptações!

Artigos Relacionados

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Instagram

Bombando

Mais vistos da semana

Siga Nossas Redes

Tem conteúdo exclusivo por lá
6,914FãsCurtir
2,962SeguidoresSeguir
4,234SeguidoresSeguir

Recentes

Conteúdo fresquinho

Thunder Fic's

Tudo sobre roteiro
pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave