quinta-feira, 22, outubro, 2020

Resumo

A personagem Bella é um desafio. Em momentos ela se impõe, em outros ela se submete ao que os outros querem. Percebemos, o que um relacionamento abusivo pode se tornar no decorrer da obra, porém, não deixa de ilustrar a realidade. Afinal, a realidade e a ficção andam de mãos dadas.

Eclipse | Sinais de possessividade e obsessão

Esse é o terceiro livro da saga. Nessa continuidade podemos perceber que Edward e Bella estão “bem” após os acontecimentos do livro anterior, Lua Nova. Agora, eles estão decididos a seguir juntos para toda a eternidade. Porém, em meio as juras de amor, vemos mais sinais de toxidade. Em resumo, é um relacionamento abusivo, onde o vampiro tem comportamentos obsessivos e possessivos em relação à namorada, e ela, se submete a situações de ameaça à própria vida para se manter perto de Edward.

Leia: Resenha | Crepúsculo

Edward continua indo ao quarto de Bella, para dormir com ela, sem que Charlie saiba. E nessa sequência, Jacob se torna uma pessoa muito arrogante e vemos que a construção de seu personagem muda totalmente. Agora, vemos um jogo psicológico entre Edward e Jacob para ver quem é o melhor para Bella que fica sem saber quem ela realmente quer e se deixando submeter as atitudes machistas de ambos.

É combinado que Bella será transformada depois da formatura do colégio e ela quer mais do que tudo na vida. No entanto, a personagem é tão egoísta que ela não pensa no pai, na mãe, nas pessoas que a amam. Ela está disposta a sacrificar a sua vida para estar eternamente ao lado de Edward e para arrematar a bizarrice, ele impõe que a garota se case com ele (ela não tem nem 20 anos ainda). Bella é relutante sobre isso, tendo sofrido com a separação dos pais, não acreditando na instituição casamento. Porém, no decorrer da leitura, vemos que ela cede ao “pedido” do rapaz.

“Mas nunca haverá mais do que nós dois. E nunca me sentarei em alguma varanda, com ele grisalho a meu lado, cercada de netos.”

E para ficar pior, Edward decide fazer ciúmes para Jacob falando que ele e Bella se casarão. Jacob fica furioso e se torna imaturo. Uma passagem que percebemos o quão gigolo ele se torna é quando ele rouba um beijo de Bella e ela se machuca socando a cara dele em recusa à ação dele. E aí Edward entra no jogo, proibindo a namorada de ver o amigo. Isso mostra a possessividade do vampiro, que muitas vezes sabota a ida de Bella à Reserva Quileute, ou que sempre está dirigindo e ela como passageira, como se ela não pudesse ir e vir por livre espontânea vontade. E vemos o sentimento de possessividade irracional e animalesco de Jacob dizendo que preferia ver Bella morta do que como vampira, forçando nela um sentimento que ela afirma não sentir.

Muita coisa acontece nesse livro e por mais que ele tenha essas situações que deveríamos evitar em romantizar, diferente dos anteriores, a Bella parece ter, em certos momentos, uma voz mais ativa, a qual ela não tinha nos anteriores. E serve de exemplo para compararmos os atuais relacionamentos que muitas vezes acabam de forma brutal e isso faz com que, com novos olhos, as pessoas percebam que a literatura pode muitas vezes trazer elementos da realidade mostrando que enquanto romantizamos um vampiro possessivo e um lobo obsessivo, a mulher pode sim, ter uma voz mais ativa, ter mais força e se impor diante das situações opressoras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

pt_BRPT_BR
en_USEN pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave