David GorderUm dos convidados da Brasil Comic Con foi o produtor David Gorder, famoso pelas obras X-men e Quarteto fantástico. Confira os destaques desse gostoso bate papo com os fãs.

No painel mediado pelo jornalista Roberto Sadovski, David começou falando um pouco sobre os bastidores de X-men, projeto que só foi iniciado graças ao entusiasmo de Kevin Feige. Segundo David, antes de se tornar presidente dos estúdios Marvel, “Ele descobriu que possuíamos os direitos dos X-Men e disse que tínhamos um produto com grande potencial em mão”.

Painel David Gorder

Sobre Hugh Jackman no papel de Wolverine, Gorder disse que na época pensou o mesmo que nós pensamos quando o vimos pela primeira vez, “ Ele é alto demais para o papel”. Segundo ele, acreditava que Bryan Singer não aprovaria um Australiano alto para interpretar o pequeno anti-herói.  Dougray Scott era o preferido para o papel, mas após sofrer uma lesão na lombar durante as gravações de Missão Impossível 2, acabou sendo descartado do papel. “Tom Cruise nos telefonou liberando-o, mas o papel demanda uma série de movimentos e o ator não poderia executá-los”, explicou Gorder. Como a produção tinha um prazo pra terminar menor do que a recuperação de Scott, não puderam esperar.  Porém , no teste de Jackman, na cena em que Logan encontra Vampira pela primeira vez, o ator tirou qualquer duvida existente quanto sua contratação. “Mesmo com cenário improvisado e sem figurino especial, nós tivemos certeza de que se tratava do Wolverine”, afirmou Gorder.

Sobre os uniformes diferentes do quadrinho, Gorder afirmou que “roupas coloridas não funcionariam em uma produção cinematográfica. Tivemos que usar couro e trajes de combate pretos”. Aproveitou para contar uma engraçada curiosidade, que os fãs que tem o DVD 1.5 do X-men já devem ter visto, “as calças do Wolverine sempre rasgavam no traseiro e alguém precisava costurá-las”.

Acredito que todos se lembram daquela pintura azul da Rebecca Romjin quando fazia a Mística. Pois é, Gorder nos confidenciou que as sessões de pintura e colagem das escamas duravam cerca de seis horas, e para remover, durava cerca de duas horas, tudo isso para encarar o frio do Canadá  completamente nua.  Já Jennnifer Lawrence, atual Mística, usa uma vestimenta fina para poupar o trabalho da maquiagem e protegê-la do frio.

Claro que a polêmica sobre o X-Men: Confronto Final não ter agradado ao publico não poderia ser deixada de fora.  Uma cosplayer de Jean Grey foi a porta voz dos fãs, dizendo que a Fênix foi mal representada, tendo uma abordagem muito pequena da “ Saga da Fênix” no filme. Gorder explicou dizendo que não tinham orçamento e prazos suficientes no filme para abordar mais da saga. “A história daria um filme inteiro. Se for possível, faremos um longa. Não há problema em recontar o episódio”, afirmou. Infelizmente, se a saga chegar a ser retomada não será com a equipe original, por conta dos projetos em que os atores estão atualmente envolvidos.

Jean Grey

Para nossa alegria, Gorder confessou que a Fox está trabalhando em uma aventura de Gambit, com Channing Tatum em negociação para o papel e possível participação de Michael Fassbender, repetindo seu papel como jovem Magneto.

Sobre Quarteto Fantástico, Gorder explicou brevemente o motivo de ter sido feito da maneira considerada “péssima” para os fãs. Segundo ele, a obra foi feita voltada para crianças, por isso o ambiente mais infantil.

Também confidenciou que, na cena em que vemos de  Nova York pela janela de Doutor Destino, na realidade é um painel de Chicago, pois estavam disponíveis e os de Nova York não chegaram a tempo.

Veja o que mais rolou na Brasil Comic Con Aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui