Os Anarquistas é o novo longa estrelado por Adéle Exarchopoulos, que ficou conhecida por seu papel em Azul é a Cor Mais Quente. Adéle atua ao lado de Tahar Rahim, outro nome de peso entre os Franceses, famoso por seu papel em O Profeta.

O título já sugere a trama da obra, que mostra as atividades de um grupo de anarquistas, porém com um infiltrado entre eles. Jean Albertini (Rahim) é um jovem ambicioso que recebe a proposta de investigar os ativistas, pensando em uma carreira como agente, Jean se infiltra no grupo.

Jean se sai muito bem no início, faz seu serviço conquistando a confiança dos integrantes, caindo na graça do líder e mandando os relatórios. Mas acaba se envolvendo com a namorada do líder, Judith Lorillard (Exarchopoulos) e deixa o emocional afetar sua tarefa.

A trama é comum, até mesmo um tanto previsível. Como a maioria das obras francesas, Os Anarquistas não é focado em ter um roteiro cheio de reviravoltas ou ação, e sim em retratar a política da época. Isso tornou o filme claro e objetivo, apenas vemos as atividades do grupo anarquista e o desenrolar da investigação.

Os Anarquistas

A fotografia e figurino de Os Anarquistas merece destaque, o longa ficou realmente fiel à França em 1899. Mas o mérito mesmo vai para o elenco. A trama é inteira guiada pelos atores principais, dispensando o uso de qualquer argumento externo, por isso, sem a bela atuação de Adéle e Tahar, o filme seria um fracasso.

Os Anarquistas é o tipo de filme que vai agradar aos que não se importam com uma produção de qualidade, porém mais parada. Aos fãs de ação e reviravoltas, Os Anarquistas pode ficar um pouco cansativo. Ainda assim acho que vale a pena dar uma chance ao longa, nem que seja pelos ótimos protagonistas.

Dirigido por Elie Wajeman, Os Anarquistas estreia dia 19 de maio nos cinemas brasileiros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui