Hoje é 8 de março, dia internacional da mulher, uma data que é celebrada ao redor do mundo e principalmente, cheia de acontecimentos históricos, lutas feministas por melhorias de salários, direitos e significados para quem é mulher. E para quem não é, também significa algo, acreditamos nisso, principalmente no que se refere, o engrandecimento do sexo feminino.

O Thunder Dicas de hoje é especial e será para divulgar e enaltecer a mulher e nada melhor do que em seu dia. É uma homenagem com 8+3 dicas de livros, filmes e seriados com mulheres fortes, de fibra para inspirar as mulheres que curtem o Thunder a serem melhores do que já são e principalmente, a lutarem diariamente por seus direitos e igualdade de gêneros, por exemplos.

Partiu?

10) As Sufragistas (filme)

O filme de 2015, mostra a histórias de mulheres que desafiaram seus limites na luta por igualdade e direito ao voto, resistindo a opressão de forma passiva. Entretanto, a partir do momento em que começam a sofrer uma crescente agressão da polícia, decidem criar uma rebelião pública. O filme mostra, também, como foi criado um dos pioneiros movimentos feministas.

De fato, o movimento das sufragistas existiu. Surgiu na Inglaterra, em 1897, com a criação da União Nacional das Sociedades de Mulheres Sufragistas), mas 106 anos antes, as mulheres já lutavam por seus direitos. O filme conta com as brilhantes atuações de Carey Mulligan, Meryl Streep e Helena Bonham Carter.

09) Estrelas Além do Tempo (filme)

Esse filme é incrível de maravilhoso ou maravilhoso de incrível, como preferir a ordem. Vencedor do SAG Awards na categoria de melhor elenco e indicado a 3 Oscar, o filme se passa em 1961, onde a segregação racial nos Estados Unidos, ainda era latente. União Soviética e Estados Unidos, disputavam a supremacia na corrida espacial durante a Guerra Fria.

A questão de raça era tão forte nessa época, que até dentro da NASA, agência espacial americana, existia um prédio somente para mulheres negras exercerem suas funções. No meio delas, destacam-se Katherine Johnson, Dorothy Vaugh e Mary Jackson, três grandes amigas que diariamente, precisam se autoafirmar e provar que podem ser melhores, vencendo as questões raciais para ascenderem hierarquicamente dentro da companhia.

O filme fez barulho por ser uma história real, de fato as três mulheres citadas acima existiram e foram as três primeiras cientistas negras da NASA; por ter sido lançado justamente no ano em que mais atores e atrizes negros foram indicados ao Oscar – a Academia havia recebido duras críticas sobre ser racista – e também, pelo fato de enaltecer o feminismo negro e o empoderamento da mulher negra.

08) As Crônicas de Amor e Ódios (livros – trilogia)

São três incríveis e maravilhosos livros escritos por Mary E. Pearson. Eles vão relatar as atitudes da princesa Lia e também, suas consequências e sua missão. Primeira filha da casa real do reino de Morrighan, um reino cheio de tradições e costumes, com apenas 17 anos de idade, decide fugir de seu casamento arranjado com o príncipe do reino de Dalbreck. Tá na cara que se trata de uma aliança política que visa selar a paz entre os reinos.

A trilogia As Crônicas de Amor e Ódio – The Kiss of Deception, The Heart of Betrayal e The Beauty of Darkness – foi lançada aqui no Brasil, pela editora DarkSide Books – e quem conhece a editora, sabe o capricho que ela tem com todos os seus livros, não é? Desde a arte da capa, até a fitinha de cetim que serve para marcar a página. O leitor acompanha a jornada da protagonista em sua busca por liberdade e tomada das rédeas de seu destino em sua felicidade nas suas mãos.

07) Frida (filme)

Quem nunca ouviu falar em Frida Khalo? Aliás, todos deveriam ouvir, ler e assistir mais sobre a vida dessa mulher que sempre esteve à frente de seu tempo e tudo isso é comprovado em suas artes. Frida enalteceu a mulher e era do tipo que era aberta e livre sexualmente. Não tinha medo de falar sobre política e sabia sustentar debates numa mesa repleta de homens, por exemplo.

Feminista. E hoje, ícone do feminismo. Salma Hayek Pinault está maravilhosa nessa interpretação e vale muito à pena, assistir esse belíssimo filme com uma fotografia maravilhosa e conhecer um pouco mais sobre a vida e as obras dessa mulher chamada Frida Khalo.

06) Gilmore Girls + Gilmore Girls: Um Ano para Recordar (série e minissérie)

Falar dessas séries é chover no molhado e dispensa qualquer apresentação. O mundo inteiro ama e conhece a história de Lorelai Gilmore e sua filha Rory na deliciosa cidade de Stars Hollow. O interessante é ver como a relação de mãe e filha foi construída na base da confiança, amizade e respeito. E mais, de como Lorelai resolveu sair de casa, ter sua filha aos 16 anos, deixar para trás uma vida de conforto, luxo e requinte e dar à filha, o melhor que pode.

O crescimento e amadurecimento das duas personagens principais, a evolução da vida, o duro relacionamento de Lorelai com os pais e ao mesmo tempo, a distância de todo aquele “mundo”, são contados em sete temporadas, exibidas originalmente de 2000 à 2007. Mas em 2016, a Netflix resgatou a trama, dando à ela o final digno que os criadores Daniel e Amy Sherman Palladino desejavam desde o 2017. Em “Um Ano para Recordar”, revivemos todas as delícias que encontramos nos sete primeiros anos da série, com os mesmos moradores e a mesma Stars Hollow.

05) Grace and Frankie (série)

Jane Fonda e Lily Tomlin contam essa história de maneira deliciosa e divertida. São duas mulheres muito bem casadas, com uma vida estruturada, uma bela família, uma bela casa e um dia tudo isso desmorona, quando seus respectivos maridos revelam ter um caso. Os planos de aposentadoria de Frankie e Grace vão por água abaixo e precisam se reinventar para darem a volta por cima e lidar com todo esse novo momento em suas vidas.

O interessante é que a série mostra que por mais que a história seja ficção, pode ser real e muitas Grace e Frankie estão agindo da mesma maneira como as protagonistas do seriado. Mostra também, o jogo de cintura e a habilidade da mulher em lidar com situações desconfortáveis no auge da terceira idade e que não tem idade certa para recomeçar.

Grace and Frankie enaltecem a beleza, a capacidade, a sensualidade e a sagacidade da mulher da terceira idade, mostrando que para ser feminista, não tem idade nem classe social. Ao todo, são 4 temporadas onde vemos Jane Fonda e Lily Tomlin, atrizes veteranas do cinema norteamericano, esbanjando talento, saúde e vitalidade.

04) Orgulho e Preconceito (filme)

É impossível falar sobre mulheres fortes e não citar esse filme. Aliás, esse livro, afinal, o filme foi baseado em um dos livros de maior sucesso da autora inglesa Jane Austen, junto com Emma, Razão e Sensibilidade e Persuasão.

A história acontece na virada do século 19, na Inglaterra rural. A família Bennet, que consiste nos Sr. e Sra. Bennet e suas cinco filhas – Jane, Elizabeth, Mary, Catherine e Lydia – vivem em relativa independência financeira na Fazenda Longbourn. Como a propriedade está destinada a ser herdada pelo primo do Sr. Bennet, o Sr. Collins, a Sra. Bennet está ansiosa para que suas cinco filhas se casem antes da morte do marido No entanto, Elizabeth, a personagem principal, está decidida a não se casar, a menos que seja compelida por um amor verdadeiro.

O livro foi publicado pela primeira vez, em 1813 e já naquela época, a autora fazia questão de criticar os modos em que a sociedade tratava de certos assuntos. A história mostra a maneira com que a personagem Elizabeth Bennet lida com os problemas relacionados à educação, cultura, moral e casamento na sociedade aristocrática do início do século XIX, na Inglaterra.

A nova novela da faixa das 18 horas, na Rede Globo, é inspirada no livro Orgulho e Preconceito, de Austen, e a trama recebeu o nome de Orgulho e Paixão. Tem estreia marcada para o próximo dia 20 de março.

03) Mulan (longa de animação)

Por detrás de canções lindas e cenas engraçadas, há uma trama forte e cheia de significados para um dos personagens mais icônicos da história do cinema. Tão icônico que recebeu o titulo de “Princesa Disney” por seus atos de bravura e coragem. Mulan, uma das personagens mais corajosa e querida da Disney, fala sobre coragem, a importância da família e ressalta de forma lúdica e divertida, a força e a coragem da mulher.

No filme, o disfarce masculino da personagem para lutar no lugar de seu pai, na guerra, e a própria guerra em si, é apenas uma maneira de dizer que a mulher pode e é capaz de fazer o que ela bem entender e que vai se sair muito bem – e de fato, sabemos disso, não é? Não há nada que a mulher não pode executar com maestria melhor que os homens.

O longa animado de 1998 ganhou uma sequência também em animação em 2004 e um remake live-action para 2020, com a atriz Lyu Yifei interpretando a personagem principal. A cineasta Niki Caro, assina a direção e o projeto é mantido em segredo de estado.

02) Operações Especiais (filme nacional)

Esse filme pode te ajudar a olhar o cinema nacional com outros olhos e não deixa nada a desejar, em nenhum sentido, para os filmes americanos de ação. A trama é eletrizante, empolgante e não te permite pausas durante a exibição. Um grupo de policiais honestos é enviado a uma cidade do interior do Rio de Janeiro que sofre com o aumento da criminalidade.

O governo convoca um delegado íntegro e reúne uma equipe especial para a campanha. Entre os agentes selecionados está Francis, uma investigadora novata que precisa provar que tem valor. Em pouco tempo eles resolvem o problema e são aclamados pela opinião pública, mas a aplicação do rigor da lei começa a incomodar a todos e o governo se vê forçado a intervir novamente.

A atriz Cléo Pires interpreta a agente Francis numa atuação convincente e de muita tranquilidade – com os pés nas costas, sabe, experiência de causa. A atriz é boa e os diálogos fluem com naturalidade. Durante as cenas de tiroteio, a atriz entrega expressões de como quem está perdida ou fora do habitat natural e age de maneira amadora, ganhando experiência, amadurecimento conforme o decorrer da trama. E detalhe: de salto alto e unhas vermelhas. É girl power, que chama né?

01) Mulher-Maravilha

Não poderia faltar, de maneira nenhuma, nesse ranking. E dispensa apresentações. Só de estar aqui, valeria à pena. E é por isso que está aqui. Por ser um filme incrível, de uma direção incrível (Patty Jenkins), de uma atuação incrível (Gal Gadot) e por quebrar paradigmas, recordes e ser o primeiro filme de heróis protagonizado por uma heroína, ícone do feminismo, cheio de representatividade feminina. E por valer à pena cada segundo que você assiste. Estamos ansiosos pelo segundo filme.

Dica Bônus: A gente fez alguns Thunder Dicas especiais que valem à pena ser citado aqui, que é o caso da série The Good Wife e do filme Spiceworld, com a girlband que disseminou o girl power ao redor do mundo.

Essa foi nossa homenagem a essas mulheres de fibra, que lutam diariamente contra tudo e todos para um mundo mais justo e mais humano. São mães, esposas, filhas, tias, sobrinhas, afilhadas, irmãs, primas, avós… são mulheres. Que as lutas das mulheres do passado, as inspirem a seguir firme no presente para um futuro melhor. Contem com o Thunder como um veículo que dissemina o amor, a igualdade de gêneros e o feminismo. Feliz dia internacional da mulher, feliz todo dia, feliz mulher.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here