Na última terça-feira (09), o ator James Franco participou do programa Late Show, apresentado por Stephen Colbert e na ocasião, respondeu as acusações de assédio sexual que sofreu no último domingo (07) após vencer a categoria de melhor ator em filme de comédia/musical, no Globo de Ouro.

As acusações foram feitas por algumas atrizes que usaram seus perfis no Twitter enquanto James discursava após receber o resultado. Todas elas trabalharam com o ator, uma inclusive, o acusa de abandonar a indústria do entretenimento, mas não revelou os reais motivos e apagou em seguida, as postagens de seu perfil.

Surgiram algumas coisas no Twitter. Eu não as li, mas fiquei sabendo. Eu não faço ideia do que fiz com Ally Sheedy. Eu não tive nada além de bons momentos com ela“, defendeu-se o ator. “Tenho total respeito por ela e não sei porque ela está chateada. Ela retirou o tweet e eu não posso falar por ela“, confessou.

Sobre as outras atrizes, James relatou que mantém a consciência tranquila e faz questão de assumir todas as responsabilidades de seus atos e ressaltou ainda, que possui um senso crítico de saber mudar quando as coisas não vão bem.

Na minha vida, eu me orgulho em assumir responsabilidade por coisas que fiz. Eu tenho que fazer isso para manter minha saúde“, disse. “Eu assumo quando sei que há algo errado e que precisa ser mudado. Eu me obrigo a fazer isto“, respondeu.

Leia: Após vencer categoria no Globo de Ouro 2018,
James Franco é acusado de assédio sexual

Ainda na entrevista, o ator disse que apoia as mulheres que estão denunciando os casos de assédio, bem como o movimento Time’s Up, mas considera as acusações que foram feitas a ele via Twitter, infundadas. “As coisas que ouvi que estavam no Twitter, são imprecisas, mas eu apoio completamente as pessoas que estão falando e estão sendo ouvidas, porque elas não foram ouvidas por muito tempo. Então, eu não quero refutá-las de alguma maneira, eu acho um movimento positivo e eu o apoio“, declarou Franco.

O ator James Franco discursando no Globo de Ouro, no último domingo (07) | Foto/Reprodução: Internet

E encerrou declarando estar disponível a possíveis investigações e está aberto ao diálogo com as supostas vítimas para que haja uma forma de reparação, caso esteja errado. “Eu não posso viver se há restituições a serem feitas. Se eu fiz algo errado, eu vou consertar, eu tenho que fazer isso. Eu não sei o que mais poderia fazer. Em relação a questão maior sobre como fazer isso, eu não tenho respostas. Eu acredito que o ponto central disto é que nós devemos ouvir. Estou aqui para ouvir e mudar minha perspectiva onde ela estiver errada. Estou completamente disposto e quero fazer isso“, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui