domingo, 24, outubro, 2021

Crítica: Guerra Mundial Z

Um terrível e misterioso vírus se espalha pelo mundo, transformando as pessoas em zumbis. A velocidade do contágio é rápida e o governo americano , para salvar a humanidade, recruta algumas pessoas importantes para trabalharem junto com eles. Entre eles Gery Lane (Brad Pitt), um ex-investigador das Organizações das Nações Unidas (ONU), que estava aposentado. Lane resolveu mudar de vida e dedicar seu tempo à sua esposa Karen Lane (Mireille Einos), e às suas duas filhas Rachel Lane (Abigail Hargrove)Constance Lane (Sterling Jerins).

No início Gery recusa, mas ele se vê obrigado a aceitar a missão quando, junto de sua família, se vê no meio de um ataque e são salvos pelo governo americano. Os quatro são levados para um navio de refugiados e agora ele precisa ajudar a salvar não só o mundo, mas principalmente sua família que seria expulsa do navio onde estavam refugiados. Gery forma uma equipe e juntos voltam ao lugar onde se iniciou a contaminação para entender como se propagou e tentar conter a contaminação. Começa então uma corrida contra o tempo, que está cada vez mais curto, com a quantidade de humanos saudáveis diminuindo gradativamente.

Guerra Mundial Z - a família

Adaptado do livro do mesmo nome de Max Brooks, o longa é regido pela ação, como é costumeiro em filmes com essa temática. Por se tratar de um apocalipse zumbi, tem tudo que o público espera: momentos de tensão e criaturas estranhas. Porém, por mais que tente inovar no desfecho final, Guerra Mundial Z acaba caindo na mesmice do tema, sendo mais um entre vários que resolveram tratar desse assunto.

Com um orçamento de 125 milhões de dólares, a obra não poupou em efeitos visuais e figurantes. A incrível quantidade de figurantes chegou até a dar problema, quando uma delas caiu em uma cena em que estão subindo o muro. A coitada só não foi mais pisoteada porque teve a ajuda de Brad, que saiu correndo para carregá-la. Foi inclusive muito fofo da parte dele, né?

Confusões foi o que não faltou nas gravações desse filme. Tantos foram os contratempos, que tiveram de contratar um novo roteirista (Damon Lindelof) para reescrever o roteiro e mudar todo o terceiro ato até o final.

Com tanto problema, podemos dizer que Guerra Mundial Z, mesmo não sendo um exemplo de originalidade, se saiu bem. É um bom entretenimento básico, sem grandes expectativas, que conta com um ótimo elenco de apoio.

Dirigido por Marc Foster, Guerra Mundial Z estreia dia 28 de junho no Brasil.

 

Nota do Thunder Wave
O longa não inova, mas é uma boa aventura com zumbis.

Artigos Relacionados

Comentários

  1. O filme foi muito,mais muito bem feito. É surpreendente,pois nele há muitas ações em que um jovem guerreiro arrisca a vida para salvar o mundo e principalmente sua família do vírus….E o mais emocionante foi na hora que ele entrou no laboratório para pegar as amostras que poderiam combater combater o vírus
    .

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Instagram

Bombando

Mais vistos da semana

Siga Nossas Redes

Tem conteúdo exclusivo por lá
6,914FãsCurtir
2,958SeguidoresSeguir
4,238SeguidoresSeguir

Recentes

Conteúdo fresquinho

Thunder Fic's

Tudo sobre roteiro
pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave