Indy, Indiana, Dr. Jones ou simplesmente, Indiana Jones! Não importa a forma como ele é chamado, este arqueólogo é um dos personagens mais memoráveis e sinônimo de aventura – e blockbuster – dos anos 1980. Com seu chapéu, que é mais do que um item em sua cabeça, tornando-se praticamente um personagem, Indiana Jones com certeza tem muita história para ser contada. Portanto, confira tudo sobre uma das maiores franquias de aventura de todos os tempos!

Quem é Indiana Jones

Indiana Jones, é um arqueólogo e aventureiro, e que ainda é professor. George Lucas criou o personagem como uma homenagem e uma reimaginação dos seriados de matinê cheios de ação que ele gostava quando criança. Seu amigo de longa data, Steven Spielberg, dirigiu os filmes Os Caçadores da Arca Perdida (1981) Indiana Jones e o Templo da Perdição (1984), Indiana Jones e a Última Cruzada (1989) e Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal (2008).

Leia também: Conheça (quase) tudo o que Metrópolis inspirou na cultura pop

O artista de quadrinhos e designer de personagens Jim Steranko forneceu a Jones sua icônica jaqueta de vôo, o chapéu fedora e chicote, e ator Harrison Ford deu ao herói uma presença carismática na tela. Em reconhecimento ao seu retrato lisonjeiro de um arqueólogo robusto e aventureiro, Ford em 2008 foi eleito para o Conselho de Administração do Instituto Arqueológico da América.

O primeiro não se chamava Indiana Jones

Indiana Jones | Tudo sobre uma das maiores franquias de aventura de todos os tempos 1

A franquia pode ser conhecida como Indiana Jones, mas não foi desta forma que chegou aos cinemas originalmente. O primeiro longa do personagem se chamava apenas Raiders of the Lost Ark, ou Os Caçadores da Arca Perdida. Apenas anos depois foi acrescido o título Indiana Jones.

Os filmes da franquia Indiana Jones

Indiana Jones | Tudo sobre uma das maiores franquias de aventura de todos os tempos 2

Os Caçadores da Arca Perdida – 1981

Os Caçadores da Arca Perdida se passa em 1936. Indiana Jones (Harrison Ford) é designado por agentes do governo para localizar a Arca da Aliança antes dos nazistas, para torná-los invencíveis como os israelitas no Antigo Testamento, que reverenciavam como a morada de Deus.

Leia também: Amor, Sublime Amor | Tudo que você precisa saber sobre a nova releitura do musical

Os nazistas estão sendo ajudados pelo inimigo de Indiana, René Belloq (Paul Freeman). Com a ajuda de sua antiga paixão Marion Ravenwood (Karen Allen) e Sallah (John Rhys-Davies), Indiana deve tentar a todo custo a Arca Perdida.

Indiana Jones e o Templo da Perdição – 1984

O segundo filme se passa em 1935, um ano antes de Os Caçadores da Arca Perdida. Desta vez, o arqueólogo ao lado da cantora/atriz Willie Scott (Kate Capshaw) e seu ajudante de 12 anos, Short Round (Jonathan Ke Quan) devem ajudar um vilarejo a salvar seus filhos que foram sequestrados por um culto liderado por Mola Ram (Amrish Puri) que também tomou as pedras sagradas de Sankara, que eles usarão para dominar o mundo.

Indiana Jones e a Última Cruzada – 1989

Indiana Jones e a Última Cruzada, considerado por muitos como o melhor filme da franquia mostra o arqueólogo e seu amigo Marcus Brody (Denholm Elliott) designados pelo empresário americano Walter Donovan (Julian Glover) para encontrar o Santo Graal. O longa ainda apresenta River Phoenix como o jovem Indy e Sean Connery no papel do pai de Indiana.

A terceira parte da franquia começa em 1912 e finaliza em 1938.

Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal – 2008

Este é o filme mais franco – e esquecível – da franquia Indiana Jones. Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal se passa em 1957: dezenove anos após A Última Cruzada, reconhecendo assim a passagem de anos na vida real entre os filmes.

Indiana está tendo uma vida tranquila como professor antes de ser lançado em uma nova aventura em busca da Caveira de Cristal. O longa tem o retorno de Marion Ravenwood ao lado de seu filho Mutt Williams, vivido por Shia LaBeouf.

O longa ainda tem em seu elenco Cate Blanchett, que dá vida a uma agenda da União Soviética, Irina Spalko.

Indiana Jones e o Chamado do Destino – 2023

Indiana Jones and the Dial of Destiny (título original em inglês) é o quinto filme e é dirigido por James Mangold, com um roteiro coescrito por Mangold, Jez Butterworth e John-Henry Butterworth. O longa é uma sequência de Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal.

Curiosidades sobre a franquia Indiana Jones

O mais interessante sobre filmes antigos, é que era uma verdadeira Caçada a Relíquias saber a respeito das obras e de quem as produziu. Muitas das curiosidades chegaram a ser lendas durante anos, até que em alguma revista, George Lucas acabava por revelar e confirmar determinada curiosidade.

E mesmo depois de décadas, o personagem ainda está envolto nestas lendas e que alguns não as conhecem. Portanto, confira algumas delas!

O nome do personagem é uma homenagem ao cachorro de George Lucas

Indiana Jones | Tudo sobre uma das maiores franquias de aventura de todos os tempos 3

Aprendemos no final de Indiana Jones e a Última Cruzada de 1989 que o Dr. Henry Jones de Harrison Ford herdou o apelido do cachorro da família. Como o produtor de Raiders of the Lost Ark, George Lucas, revelou em um making-of do disco de bônus da coleção Blu-ray, foi na verdade o Malamute do Alaska, chamado Indiana, do criador de Star Wars, que inspirou o nome. Lucas continuou a dizer que Steven Spielberg discordou dele sobre o nome original do personagem, Indiana Smith, antes de ambos concordarem sobre o outro sobrenome mais comum, Jones.

Harrison Ford não era a primeira opção para ser Indiana Jones

Indiana Jones | Tudo sobre uma das maiores franquias de aventura de todos os tempos 4
Tom Selleck e Sean Young em teste para o filme

Steven Spielberg, depois de ver The Empire Strikes Back, sugeriu Harrison Ford para interpretar Indiana Jones, que George Lucas inicialmente recusou, não querendo o ator de Han Solo em todos os filmes que ele fez. De acordo com o recurso Blu-ray, Tom Selleck, venceu em um teste de tela com a futura co-estrela de Blade Runner de Ford, Sean Young, ironicamente como Marion Ravenwood. No entanto, devido ao compromisso de Selleck com o Magnum P.I., ele teve que desistir, dando a Ford a chance de ser o personagem.

Danny DeVito quase trabalhou em Indiana Jones

Indiana Jones | Tudo sobre uma das maiores franquias de aventura de todos os tempos 5

O compromisso anterior com um programa de TV é o que custou a outro ator o papel de Sallah, o aliado egípcio de confiança de Indy. Steven Spielberg lembrou no making-of de Indiana Jones: The Complete Adventures Blu-ray set que ele primeiro abordou Danny DeVito para interpretar o papel, pelo qual o futuro vilão de Batman Returns estava extremamente entusiasmado. No entanto, seu papel vencedor do Globo de Ouro como Louie De Palma na sitcom de sucesso Taxi o forçou a recuar, deixando espaço para o galês e o futuro membro do elenco de O Senhor dos AnéisJohn Rhys-Davis, para o papel, que ele mais tarde reprisaria no terceiro filme.

O chapéu e a jaqueta de Indiana Jones tiveram que ser envelhecidos

Indiana Jones | Tudo sobre uma das maiores franquias de aventura de todos os tempos 6

A única coisa mais icônica sobre o personagem de Indiana Jones do que o desempenho de Harrison Ford é sua roupa, completa com um chicote, chapéu e jaqueta de couro. Como a figurinista de Os Caçadores da Arca Perdida, Deborah Nadoolman (que também trabalhou no set dos Blues Brothers) comentou, a chave para a iconografia das roupas é seu visual vivido, que ela mesma conquistou. Nadoolman raspou as várias jaquetas de couro novas usadas com escovas de metal e um canivete pertencente a Harrison Ford, que também contribuiu para envelhecer o chapéu ao sentar-se nele depois que Nadoolman o enrolou em suas mãos.

A cena da pedra rolando em Indiana Jones era realmente perigosa como parecia

Indiana Jones | Tudo sobre uma das maiores franquias de aventura de todos os tempos 7

Como você provavelmente pode dizer, a precisão e a atenção aos detalhes foram muito importantes no set de Os Caçadores da Arca Perdida, até a criação da, também icônica, pedra gigante da emocionante sequência de abertura. De acordo com uma olhada de dentro dessa cena em particular pela Entertainment Weekly, a “pedra” media 22 pés de diâmetro e, apesar de ser construída em fibra de vidro, pesava 500 libras. Portanto, a equipe teve que ser extremamente cuidadosa para garantir que ela não atropelasse Harrison Ford enquanto rolava por uma pista que Steven Spielberg optou por fazer 15 metros a mais que sua construção original, apenas para dar mais tempo na tela.

Karen Allen foi fundamental para a criação de Marion em Indiana Jones

Indiana Jones | Tudo sobre uma das maiores franquias de aventura de todos os tempos 8

Mudanças de última hora em certas cenas do longa eram bastante frequentes durante a produção. Por exemplo, Karen Allen ajudou a inventar muitas das coisas mais ativas que Marion Ravenwood faz ao longo do filme, como a perseguição no mercado do Cairo (que na verdade era a Tunísia). Ela se lembra da experiência na seguinte citação do Blu-ray dos 40 Anos de Indiana Jones:

Qualquer momento em que eu pudesse me juntar e ser útil e cheia de recursos teve um significado para mim. Todas essas coisas se tornaram parte da personagem e eu estava muito feliz por tê-las, ao invés de ser apenas alguém correndo [e] assustada. Sabe, ter uma frigideira na mão com a qual eu poderia bater na cabeça do cara e outras coisas.

O desempenho vigoroso de Karen Allen e a vontade de tentar tanto no set de Raiders é o motivo de ela ainda ser a favorita dos fãs entre as atrizes românticas de Indiana Jones. Não é à toa que Marion Ravenwood foi trazida de volta para o quarto filme, Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal, em 2008.

Após problemas de estômago em Caçadores da Arca Perdida, um pedido: Posso apenas dar um tiro?

Indiana Jones | Tudo sobre uma das maiores franquias de aventura de todos os tempos 9

Algumas das mudanças de última hora dos Caçadores da Arca Perdida foram o resultado de problemas no set, como a forma como o clima quente da Tunísia e a intoxicação alimentar fizeram com que muitos membros da produção adoecessem (como Steven Spielberg relembra no Blu-ray dos 40 anos de Indiana Jones), incluindo Harrison Ford. O lado bom da doença do ator é que isso levou a um dos momentos mais engraçados do filme e da mitologia dos cinemas: Indiana Jones atirando em um espadachim em vez de se envolver em uma briga, como foi originalmente planejado. O livro de Brad DukeHarrison Ford: The Films, explica como esta versão abreviada hilariamente surgiu com uma citação do próprio Ford:

Eu estava na minha quinta semana de disenteria e cavalgava às 5h30 da manhã sem nada para fazer a não ser me submeter à minha imaginação selvagem. Então eu ataquei Steven [Spielberg] com a ideia de simplesmente dispensar esse maníaco. Eu nunca tirei minha arma do coldre em todo o filme, então disse: ‘Vamos apenas atirar no filho da @#$.’ E nós fizemos.

Cabide era uma cena reciclada do filme 1941 de Spielberg

Indiana Jones | Tudo sobre uma das maiores franquias de aventura de todos os tempos 10

Outro momento cômico memorável é quando o agente nazista da Gestapo Toht (Ronald Lacey) tira o que parece ser um instrumento de tortura para ameaçar Belloq (Paul Freeman) e Marion, até que isto se revela ser um cabide portátil. De acordo com Freeman, a piada era na verdade algo que Steven Spielberg tentou em sua fracassada comédia da época da Segunda Guerra Mundial, 1941, em 1979, mas, no estilo de lendas da comédia como Buster Keaton. No final ele tentou novamente (e, aparentemente, melhor) e conseguiu o que queria.

Indiana Jones além do cinema

A franquia Indiana Jones se expandiu além dos filmes e da TV. A Marvel Comics começou a publicar The Further Adventures of Indiana Jones em 1983, e a Dark Horse Comics ganhou os direitos de quadrinhos do personagem em 1991.

Novelizações dos filmes foram publicadas, assim como muitos romances com aventuras originais, incluindo uma série de romances alemães de Wolfgang Hohlbein, doze romances ambientados antes dos filmes publicados pela Bantam Books e uma série ambientada durante a infância do personagem inspirada na televisão.

Numerosos videogames sobre Indiana Jones foram lançados desde 1982. Em outubro de 2012, a The Walt Disney Company concordou em adquirir a Lucasfilm, concedendo à Disney os direitos de propriedade das franquias Indiana Jones e Star Wars. No entanto, embora a Disney seja dona da propriedade intelectual, o CEO da Disney, Bob Iger, disse que Indiana Jones não foi inicialmente considerado em sua equação durante o acordo, já que a Paramount Pictures continua a reter certos direitos para futuras parcelas de filmes de Indiana Jones.

Indiana Jones na TV

Uma série de TV intitulada The Young Indiana Jones Chronicles (1992–1996) apresentou três encarnações do personagem: Sean Patrick Flanery interpretou Indiana de 16 a 20 anos; Corey Carrier viveu uma versão de 8 a 10 anos em vários episódios; e George Hall narrou o show como Jones, de 93 anos, que encerrou cada episódio.

Lucas começou a desenvolver a série em 1990 como “edutainment” que seria mais cerebral do que os filmes. O show foi sua primeira colaboração com o produtor Rick McCallum, e ele escreveu as histórias para cada episódio. Na série, Jones cruza caminhos com muitas figuras históricas, interpretadas por estrelas como Daniel Craig (que anos depois iria a ser 007), Christopher Lee, Bob Peck, Jeffrey Wright, Marc Warren, Catherine Zeta-Jones, Elizabeth Hurley, Anne Heche, Vanessa Redgrave, Julian Fellowes, Timothy Lasca e até Harrison Ford como um Indiana de 50 anos em um episódio (tomando o lugar usual de Hall).

Os livros de Indiana Jones

  • Indiana Jones and the Peril at Delphi (Fev 1991) – por Rob Macgregor
  • Indiana Jones and the Dance of the Giants (Jun 1991) – por Rob Macgregor
  • Indiana Jones and the Seven Veils (Dez 1991) – por Rob Macgregor
  • Indiana Jones and the Genesis Deluge (Fev 1992) – por Rob Macgregor
  • Indiana Jones and the Unicorn’s Legacy (Set 1992) – por Rob Macgregor
  • Indiana Jones and the Interior World (1992) – por Rob Macgregor
  • Indiana Jones and the Sky Pirates (Dec 1993) – por Martin Caidin
  • Indiana Jones and the White Witch (1994) – por Martin Caidin
  • Indiana Jones and the Philosopher’s Stone (1995) – por Max McCoy
  • Indiana Jones and the Dinosaur Eggs (1996) – por Max McCoy
  • Indiana Jones and the Hollow Earth (1997) – por Max McCoy
  • Indiana Jones and the Secret of the Sphinx (1999) – por Max McCoy
  • Indiana Jones and the Army of the Dead (2009) – por Steve Perry

Encontre seu destino

A Ballantine Books publicou vários livros de Indiana Jones na linha Find Your Fate, escritos por vários autores. Esses livros eram semelhantes à série Escolha sua própria aventura, permitindo ao leitor selecionar opções que mudam o resultado da história, no melhor estilo RPG.

  • Indiana Jones and the Curse of Horror Island (Jun 1984) – R. L. Stine
  • Indiana Jones and the Lost Treasure of Sheba (Jun 1984) – Rose Estes
  • Indiana Jones and the Giants of the Silver Tower (Ag 1984) – R. L. Stine
  • Indiana Jones and the Eye of the Fates (Ag 1984) – Richard Wenk
  • Indiana Jones and the Cup of the Vampire (Out 1984) – Andy Helfer
  • Indiana Jones and the Legion of Death (Dez 1984) – Richard Wenk
  • Indiana Jones and the Cult of the Mummy’s Crypt (Fev 1985) – R. L. Stine
  • Indiana Jones and the Dragon of Vengeance (Abr 1985) – Megan Stine and H. William Stine
  • Indiana Jones and the Gold of Genghis Khan (Mai 1985) – Ellen Weiss
  • Indiana Jones and the Ape Slaves of Howling Island (1986) – R. L. Stine
  • Indiana Jones and the Mask of the Elephant (Fev 1987) – Megan Stine and H. William Stine

O Jovem Indiana Jones em livros

Random House

  • Young Indiana Jones and the Plantation Treasure (1990) – by William McCay
  • Young Indiana Jones and the Tomb of Terror (1990) – by Les Martin
  • Young Indiana Jones and the Circle of Death (1990) – by William McCay
  • Young Indiana Jones and the Secret City (1990) – by Les Martin
  • Young Indiana Jones and the Princess of Peril (1991) – by Les Martin
  • Young Indiana Jones and the Gypsy Revenge (1991) – by Les Martin
  • Young Indiana Jones and the Ghostly Riders (1991) – by William McCay
  • Young Indiana Jones and the Curse of Ruby Cross – by William McCay
  • Young Indiana Jones and the Titanic Adventure (1993) – by Les Martin
  • Young Indiana Jones and the Lost Gold of Durango (1993) – by Megan Stine and H. William Stine
  • Young Indiana Jones and the Face of the Dragon – by William McCay
  • Young Indiana Jones and the Journey to the Underworld (1994) – by Megan Stine and H. William Stine
  • Young Indiana Jones and the Mountain of Fire (1994) – by William McCay
  • Young Indiana Jones and the Pirates’ Loot (1994) – by J.N. Fox
  • Young Indiana Jones and the Eye of the Tiger (1995) – by William McCay
  • Young Indiana Jones and the Mask of the Madman (unpublished) – by Megan Stine and H. William Stine
  • Young Indiana Jones and the Ring of Power (unpublished) – Megan Stine
  • The Young Indiana Jones Chronicles: The Mummy’s Curse – by Megan Stine and H. William Stine
  • The Young Indiana Jones Chronicles: Field of Death – by Les Martin
  • The Young Indiana Jones Chronicles: Safari Sleuth – by A.L. Singer
  • The Young Indiana Jones Chronicles: The Secret Peace – by William McCay
  • The Young Indiana Jones Chronicles: The Trek of Doom – by Les Martin
  • The Young Indiana Jones Chronicles: Revolution! – by Gavin Scott
  • The Young Indiana Jones Chronicles: Race to Danger – by Stephanie Calmenson
  • The Young Indiana Jones Chronicles: Prisoner of War – by Sam Mclean

Bantam Books

The Young Indiana Jones Chronicles:

  • The Valley of the Kings – by Richard Brightfield
  • South of the Border – by Richard Brightfield
  • Revolution in Russia – by Richard Brightfield
  • Masters of the Louvre – by Richard Brightfield
  • African Safari – by Richard Brightfield
  • Behind the Great Wall – by Richard Brightfield
  • The Roaring Twenties – by Richard Brightfield
  • The Irish Rebellion – by Richard Brightfield

Ballantine Books

Young Indiana Jones:

  • The Mata Hari Affair – by James Luceno
  • The Mummy’s Curse – by Parker Smith

Graphic novels

  • The Curse of the Jackal – by Dan Barry
  • The Search for the Oryx – by Dan Barry
  • The Peril of the Fort – by Dan Barry

Livros não ficcionais de Indiana Jones

  • Lost Diaries of Young Indiana Jones – by Eric D. Weiner
  • The Young Indiana Jones Chronicles: On the Set and Behind the Scenes – by Dan Madsen
  • Indiana Jones Explores Ancient Egypt – by John Malam
  • Indiana Jones Explores Ancient Rome – by John Malam
  • Indiana Jones Explores Ancient Greece – by John Malam
  • Indiana Jones Explores The Vikings – by John Malam
  • Indiana Jones Explores The Incas – by John Malam
  • Indiana Jones Explores The Aztecs – by John Malam

Indiana Jones no universo gamer

Foram lançados vários jogos de Indiana no mercado. Alguns fizeram sucesso, outros são totalmente esquecíveis. De qualquer forma, assim como o primeiro longa da série, Os Caçadores da Arca Perdida também ganhou sua versão de game para o Atari VCS, sendo assim o primeiro jogo de Indiana Jones lançado e a primeira adaptação de um filme também para videogames. O jogo, desenhado e programado por Howard Scott Warshaw, é vagamente baseado no filme. Como tal, nem Belloq nem os nazistas aparecem.

Na história você é Indiana Jones e têm uma missão: Encontrar a Arca da Aliança perdida. Para encontrar a Arca, você deve viajar ao antigo Egito e seguir as pistas que levam ao Poço das Almas. Use o chicote de Indy e sua própria inteligência para sair do perigo – e cuidado com as cobras! A embalagem, o manual e a arte publicitária foram pintados pelo Diretor de Arte da Atari, James Kelly.

Abaixo uma lista de todos os jogos lançados da franquia:

  • Raiders of the Lost Ark – Atari 2600
  • Indiana Jones and the Temple of Doom arcade – Atari System 1
  • Indiana Jones and the Temple of Doom – NES, C64
  • Indiana Jones in the Lost Kingdom – C64
  • Indiana Jones in Revenge of the Ancients – PC, Macintosh
  • Indiana Jones and the Last Crusade: The Action Game – C64, NES, Game Boy, Amiga, Macintosh, PC, Sega Genesis, Sega Game Gear, Sega Master System
  • Indiana Jones and the Last Crusade: The Graphic Adventure – Amiga, Macintosh, PC
  • The Young Indiana Jones Chronicles – NES
  • Indiana Jones and the Last Crusade (Taito Version) – NES
  • Instruments of Chaos starring Young Indiana Jones – Sega Genesis
  • Indiana Jones’ Greatest Adventures – SNES
  • Indiana Jones and the Fate of Atlantis: The Action Game – C64, PC, Atari ST
  • Indiana Jones and the Fate of Atlantis graphic adventure – PC, Amiga, Macintosh, FM Towns
  • Indiana Jones and his Desktop Adventures – PC, Macintosh
  • Indiana Jones and the Infernal Machine – PC, Nintendo 64, Gameboy Color
  • Indiana Jones and the Emperor’s Tomb – PC, PlayStation 2, Xbox, Macintosh
  • The Adventures of Young Indiana Jones: Revolution – PC (Included with The Adventures of Young Indiana Jones: Volume One, The Early Years)
  • The Adventures of Young Indiana Jones: Special Delivery – PC (Included with The Adventures of Young Indiana Jones: Volume Two, The War Years)
  • The Adventures of Young Indiana Jones: Hunting for Treasure – PC (Included with The Adventures of Young Indiana Jones: Volume Three, The Years of Change)
  • Indiana Jones and the Kingdom of the Crystal Skull – Blackberry, mobile phone
  • LEGO Indiana Jones: The Original Adventures – PC, PlayStation 3, Xbox 360, Wii, Macintosh
  • Indiana Jones – Didj Custom Gaming System
  • Indiana Jones and the Staff of Kings – Wii, Nintendo DS, PSP, PlayStation 2
  • Indiana Jones and the Lost Puzzles – Blackberry, mobile phone
  • LEGO Indiana Jones 2: The Adventure Continues – PC, PlayStation 3, Xbox 360, Wii
  • Indiana Jones Adventure World – Facebook
Fonte: Paramount Pictures/LucasFilm/Wiki Indi/YouTube/Disney

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui