Enfim chega aos cinemas, dia 29 de março, o comentado filme Jogador Nº 1. A adaptação do livro homônimo de Ernest Cline chega nas telonas pelo diretor Steven Spielberg. Uma das curiosidades, de várias que envolvem as citadas obras, é que o diretor é citado no livro.

Jogador Nº 1 é uma ótima adaptação. Lógico que muitas partes do livro não foram transpostas para as telas devido a direitos autorais, ou até mesmo por não caberem no formato de longa, como por exemplo alguns pensamentos e outros desafios, que dentro de um livro fazem sentido, mas nas telas, ficam cansativas e sem nexo. Entre esses personagens, estão de Star Wars, Ultraman, Evangelion, entre tantos outros, que por serem apenas citações ou aparecerem no livro, no filme foram trocados por outros personagens igualmente famosos e não atrapalha em nada ao desenvolvimento da trama.

O longa é uma verdadeira aventura em busca dos três desafios criados por Halliday (Mark Rylance),criador do OASIS. Logo após a sua morte, ele deixa um Easter Egg para que os jogadores possam encontrar, decifrar e passar para o próximo desafio ou nível, até chegar no desafio final e ganhar o grande prêmio, que é ser dono do próprio OASIS.

Como em qualquer aventura de RPG, que é como a obra se desenvolve, os jogadores irão enfrentar outros desafiantes e principalmente o vilão, a empresa IOI, que tem como objetivo dominar este universo virtual. Algo não muito diferente de empresas no passado, como a própria Microsoft com o Internet Explorer que queria monopolizar a rede mundial de computadores. Ainda hoje isso também pode ser visto com as empresas de game que ganham em cima de seus clientes ao lançarem DLC’s caríssimas o que torna o desafio mais comercial do que de entretenimento.

Jogador Nº1 | Imagem: Warner Bros

Um dos pontos negativos da produção é a falta de uma narrativa inicial para situar o espectador neste futuro distópico. Não é explicado de maneira clara a falta de emprego e a quebra da economia mundial, que dificulta a situação financeira da população, fazendo com que as pessoas se tornem escravas de empresas como a IOI, tendo que pagar através de trabalho suas dívidas. Isso lembra as infindáveis horas extras que muitos precisam ter que fazer para “pagar” aquela sexta emendada ou até mesmo os abusos de bancos e cartões de crédito, não lembra?

Mesmo assim, Jogador Nº 1 é muito bom! Não deixa nada a desejar e realmente é uma excelente adaptação, até mesmo em relação a games, já que ele traz muitos temas de jogos durante a aventura. E não se limita a isso, há muitas referências de trilhas sonoras famosas, quadrinhos, personalidades e por aí se segue.

Jogador Nº 1  vale a pena ser assistido e comprado quando for lançado em DVD/BluRay para rever e pausar em cada cena a procura de personagens que não conseguimos ver durante o filme e procurar vários Easter Eggs.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui