quarta-feira, 8, julho, 2020
Início Streaming Netflix e ONU Mulheres lançam coleção especial para o Dia Internacional da...

Netflix e ONU Mulheres lançam coleção especial para o Dia Internacional da Mulher

Coleção "Porque ela assistiu" celebra o poder de contar histórias neste Dia Internacional da Mulher

-

A Netflix e a ONU Mulheres lançaram hoje Porque ela assistiu – uma coleção especial de séries, documentários e filmes na Netflix para celebrar o Dia Internacional da Mulher. A coleção, que estará disponível o ano todo, tem a curadoria de estrelas femininas que atuam à frente e atrás das câmeras. Entre elas estão Sophia Loren, Janet Mock, Salma Hayek, Yalitza Aparicio, Millie Bobby Brown, Laurie Nunn, Lana Condor, Ava DuVernay e as brasileiras Petra Costa, Giovanna Ewbank, Pathy Dejesus, Bruna Mascarenhas, Juliana Vicente e Andrea Barata Ribeiro.

“Essa colaboração tem por objetivo responder ao desafio de contar histórias sobre o universo feminino e apresentar as mulheres em toda sua diversidade. É sobre tornar o invisível visível e provar que apenas por meio da representação e da inclusão totais das mulheres nas telas, atrás das câmeras e em nossas narrativas, a sociedade vai de fato florescer”, disse Anita Bhatia, diretora-executiva adjunta da ONU Mulheres.

Criada para o Dia Internacional da Mulher, cujo tema oficial deste ano é “Eu sou a Geração Igualdade: Pelos direitos das mulheres”, a coleção celebra as histórias que inspiraram as mulheres que nos inspiram. Esses filmes, séries e documentários – que vão de Inacreditável, Democracia em Vertigem e Coisa Mais Linda, a Orange is the New Black, Lionheart e Sex Education – iniciaram debates importantes, muitas vezes difíceis, que desafiam o modo como encaramos o mundo.

“Ter um mundo em que todos são de fato representados é o significado de uma democracia de verdade. E poder nos ver nos permite vislumbrar possibilidades infinitas, para nós e para os outros”, disse a atriz Laverne Cox. “Orange is the New Black foi o primeiro projeto em que me senti genuinamente empoderada como mulher, graças à mulher no comando da série, Jenji Kohan, e as muitas mulheres na direção, no roteiro, na produção e na equipe, bem como às histórias que giravam ao redor de mulheres diversas de uma forma jamais vista. A série criou um espaço e uma plataforma para mim como mulher negra abertamente trans que abriu espaço para outras mulheres abertamente trans de todas as raças serem realmente vistas em nossa profunda humanidade”.

A coleção está disponível em netflix.com/porqueelaassistiu, ou buscando “Porque ela assistiu” na Netflix. Cada título da coleção terá a indicação “Escolha de [XXXX] para o Dia da Mulher”, para que os assinantes possam saber rapidamente quem escolheu qual história. Além disso, os assinantes poderão escolher entre vários ícones de perfil de “Porque ela assistiu”, para celebrar suas personagens favoritas da coleção.

“A TV e o cinema têm o poder de refletir e moldar a cultura popular, e é por isso que acreditamos que seja tão importante que mais pessoas vejam sua vida refletida nas narrativas”, diz a dra. Stacy L. Smith, fundadora da Annenberg Inclusion Initiative, ligada à Universidade do Sul da Califórnia. “Nossas pesquisas mostram que inclusão atrás das câmeras leva a maior inclusão na tela. É causa para encorajamento que no ano passado 20% dos filmes originais da Netflix tenham sido dirigidos por mulheres e é empolgante celebrar essas criadoras no Dia Internacional da Mulher. Ainda há mais a fazer pela busca da igualdade, mas, ao reconhecermos talentos femininos no mundo todo, esperamos que mais mulheres se sintam encorajadas a contar suas histórias, elevando ainda mais este número.”

A parceria da ONU Mulheres e da Netflix em apoio à campanha da  Geração Igualdade ocorre no vigésimo-quinto aniversário da Declaração e Plataforma de Ação de Pequim, reconhecida como uma agenda visionária para os direitos da mulher. Esperamos que ela espalhe a mensagem de que fazer valer os direitos da mulher significa colocar mulheres em destaque, na busca pela igualdade de gênero.

Confira abaixo quem são as mulheres que fizeram a curadoria da coleção “Porque ela assistiu”:

Alejandra Azcárate (Colômbia) – Vis a Vis
Alice Wu (Estados Unidos) – Frances Ha
Andrea Barata Ribeiro (Brasil) – Sex Education
Anna Winger (Alemanha) – Unbreakable Kimmy Schmidt
Ava DuVernay (Estados Unidos) – Uma Dobra no Tempo
Barbara Lopez (México) – Scandal
Beren Saat (Turquia) – Bird Box
Bruna Mascarenhas (Brasil) – Quien Te Cantará
Cecilia Suárez (México) – História de um Casamento 
Chris Nee (Estados Unidos) – Orange is the New Black
Christian Serratos (Estados Unidos) – goop lab com Gwyneth Paltrow
Cindy Bishop (Tailândia) – Anne with an E
Elena Fortes (México) – Atlantique
Esther Acebo (Espanha) – Chef’s Table: Bo Songvisava
Fadily Camara (França) – Como Defender um Assassino
Fanny Herrero (França) – Je Parle Toute Seule
Fatima Abu Bakar (Malásia) – Bebês em Foco
Francesca Comencini (Itália) – What Happened, Miss Simone?
Giovanna Ewbank (Brasil) – Coisa Mais Linda
Hanna Ardéhn (Suécia) – O Silêncio dos Inocentes
Hazar Erguclu (Turquia) – House of Cards
Hend Sabry (Egito) – Joan Didion: The Center Will Not Hold 
Ida Elise Broch (Noruega) – RuPaul’s Drag Race
Janet Mock (Estados Unidos) – Paris Is Burning
Joyce Cheng (Hong Kong) – Queer Eye
Juliana Vicente (Brasil) – Olhos que Condenam
Kemi Adetiba (Nigéria) – King of Boys 
Kiara Advani (Índia) – Quatro Histórias de Desejo
Lali Espósito (Argentina) – Um Lugar Chamado Notting Hill
Lana Condor (Estados Unidos) – Grace and Frankie
Lauren Morelli (Estados Unidos) – Julie e Julia
Laurie Nunn (Inglaterra) – The Keepers
Laverne Cox (Estados Unidos) – A Call to Courage
Liz Garbus (Estados Unidos) – Ela Quer Tudo
Logan Browning (Estados Unidos) – Alguém Especial
Lynn Fainchtein (México) – 2001: Uma Odisseia no Espaço 
Marcela Benjumea (Colômbia) – Disque Amiga para Matar
Mercedes Morán (Argentina) – Aquarius
Mika Ninagawa (Japão) – O Império dos Sentidos
Millie Bobby Brown (Reino Unido) – Miss Americana
Mina El Hammani (Espanha) – ¿Qué coño está pasando?
Mindy Kaling (Estados Unidos) – Chewing Gum
Mira Lesmana (Indonésia) – ROMA
Mithila Palkar (Índia) – Hannah Gadsby’s Nanette
Nahnatchka Khan (Estados Unidos) – Jovens Adultos
Ngô Thanh Vân (Vietnã) – Mulher-Maravilha
Nosipho Dumisa (África do Sul) – Gravidade 
Pathy Dejesus (Brasil) – Criando Dion
Paulina Garcia (Chile) – Dois Dias, Uma Noite
Petra Costa (Brasil) – Feministas: O Que Elas Estavam Pensando? 
Salma Hayek (México) – Inacreditável
Sandi Tan (Singapura) – Boneca Russa
Shefali Shah (Índia) – Crimes em Déli
Sophia Loren (Itália) – The Crown

Yalitza Aparicio (México) – Virando a Mesa do Poder 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Siga nossas redes sociais

7,038FãsCurtir
3,084SeguidoresSeguir
4,389SeguidoresSeguir

O Silêncio da Cidade Branca | 10 diferenças entre o filme...

0
O Silêncio da Cidade Branca se tornou um filme apressado e não surpreendente, diferente do livro é de tirar o fôlego. Veja as diferenças entre as obras.

Crítica: Greenleaf – 3ª Temporada

4
Desde que Greenleaf estreou no catálogo da Netflix Brasil, a série arrebatou a atenção e também, a predileção da audiência. Já de cara, a...
Netflix e ONU Mulheres lançam coleção especial para o Dia Internacional da Mulher 5

Um adeus a Merlin

pt_BRPT_BR
en_USEN pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave