Nine Perfect Strangers, nova série da Amazon Prime, adapta o livro Nove Desconhecidos de Liane Moriarty, conhecida por sua obra que inspirou a produção da HBO Big Little Lies.

Veja também: Nine Perfect Strangers | Tudo sobre a minissérie baseada no livro de Liane Moriarty

Como toda adaptação, a série possui suas diferenças com a obra original, que funcionam para deixar mais plausível para a televisão. Nine Perfect Strangers possuí algumas, veja 9 das principais diferenças entre a série e o livro:

Cuidado, contém spoilers das duas obras a seguir

Nada de tiros

Na série, Masha (Nicole Kidman) diz que sua experiência de morte foi por ter tomado um tiro no estacionamento. No livro, Masha era uma poderosa empresaria que teve um ataque cardíaco enquanto estava trabalhando. Yao (Manny Jacinto) era um dos paramédicos, em seu primeiro dia de trabalho.Por sinal, na época ela era bem gordinha e teve um ataque cardíaco por se alimentar muito mal e trabalhar demais, tendo o ataque na mesa de seu escritório. Ela trabalhava como diretora de operações globais de uma multinacional que produzia derivados de leite.

Curiosamente, no livro, quem morre baleado em um estacionamento é o pai de Masha.

Nada silencioso

O livro apresenta uma técnica de silêncio logo no começo do retiro, como uma técnica de Masha (Nicole Kidman) para fazer cada integrante olhar apenas para seu íntimo, e também evitar conversa entre os que são desconhecidos, alegando que pode atrapalhar o progresso de cada um.

Não é apenas só o silêncio que ela impõe, eles também não podem se tocar, manter contato visual e usar de nenhuma distração direta, como ler livros. A medida durou pelos primeiros dias, que, claro, quase ninguém respeitou completamente. Cada hóspede tinha seu próprio cronograma e um toque de recolher geral era dado às 21 hrs.

Lars não é jornalista

Na série, Lars (Luke Evans) é um jornalista investigando o que acontece no retiro, que ajuda bastante os acontecimentos da trama. Mas no livro ele possue outra profissão, é um advogado especializado em divórcio que costuma fazer um retiro por ano e vai parar lá por isso.

Mesmo tendo o mesmo problema no relacionamento por não querer um filho quando seu marido quer, ele não está separado no livro, apenas afastado após mais uma briga sobre o assunto.

Drogas por mais tempo em tela

O duvidoso tratamento de Masha utiliza uma microdosagem de drogas em ambas as obras, mas usa muito mais na série do que no livro. Isso porque no seriado os tratamentos são mais fragmentados, quando na realidade o coquetel com psicodélicos é dado apenas no final do famoso “protocolo” de Masha, ela coloca todos na sala de meditação para aproveitar os efeitos das drogas enquanto meditam.

É nesse momento também que todos possuem, em conjunto, os sonhos realistas (que são bem diferentes dos mostrados na série) que mudam sua percepções sobre si mesmos. E dá o gancho para o desfecho e a guinada na personalidade de Masha.

Ben e Jéssica

Jessica (Samara Weaving) e Ben (Melvin Gregg) ganham na loteria em ambas as obras, porém existem algumas diferenças em como aparecem em tela.

Jessica é fisicamente diferente, descrita como ruiva, com uma cintura muito fina e seios fartos, que na realidade eram silicone. Um dos maiores problemas no casamento dela com Ben é que ela fez tanto procedimento estético para se mudar, que ele não reconhece mais sua esposa cheia de plásticas.

Ben possui uma irmã com problemas com drogas, que acaba com sua família e paz de todos. Já tentaram ajudar de todas as maneiras e ela sempre volta para as drogas, sendo presa e tendo várias e várias consequencias. É um grande problema para Ben no livro.

A história de Yao

Yao é importante na série, mas muito pouco explorado. Ele também não aparece tanto na obra literária, porém ganha um fundo certeiro para sua personalidade. Paramédico novato que testemunhou o caso de Masha, ele era bem inseguro e aceitou sua palavra com toda sua fé, abandonando sua vida toda para seguir o sonho de criar o Tranquillum. Mas não chega a ter uma relação com ela, apenas uma atração. Por sinal, nem ele nem Delilah possuem qualquer relação carnal com ela.

Yao possuia uma grave questão de abandono, se sentindo abandonado por seu mentor paramédico quando ele se tranferiu do trabalho e logo após por sua noiva, que decidiu do nada que o relacionamento não estava funcionando. Mas acabou tudo bem, no finalzinho do livro ele é preso pelos acontecimentos, cumpre dois anos de prisão, reencontra a noiva, casa e tem um filho com ela.

Hogburn Sorridente

Tony (Bobby Cannavale) é um ex jogador de futebol que acabou com sua vida após sua carreira ser encerrada. Sua representação é muito parecida em ambas obras, mas alguns detalhes ficam perdidos na série. Primeiro é seu apelido, que mesmo brevemente mencionado, não explica uma parte engraçada do livro, que Frances repara rapidamente. Seu apelido foi dado por causa de sua personalidade quando jogador, que tinha um lindo sorriso, do qual viva exibindo e para deixar bem marcado, fez uma tatuagem de uma carinha sorridente nos glúteos.

Ele também não é um viciado em remédios como na produção televisiva, apenas alcoolatra. E aquele cachorro mencionado sempre, é porque parte do trauma dele, após perder carreira e se separar da esposa, foi a morte de seu cachorro, da qual ele demora pra superar e acaba aceitando ter um novo filhote apenas após o retiro.

Carmell mais complicada

A série coloca uma trama muito mais complicada para Carmell (Regina Hall), que tem um papel bem menor no livro, mas não menos interessante. Enquanto no seriado ela persegue Masha, que inclusive só sofre ameaças nessa produção, na obra literária ela é apenas uma mulher com problemas por ser trocada.

Só que a profundidade dessa comum personagem é muito grande. Ela carrega as inseguranças comuns das mulheres que largam suas vidas para cuidar dos filhos e perdem sua personalidade. Além de ressaltar que são criadas ouvindo que “se o homem vai embora é porque não soube segurar” e mostrar como é perigoso para o psicológico se deixar de lado.

Ela não foi traída no livro, seu marido apenas acabou com o casamento e foi logo atrás de outra. E seu desfecho é um dos mais legais da obra, onde ela acaba se aliando à nova esposa de seu ex, que oferece ajuda para cuidar das crianças enquanto ela corre atrás de sua nova carreira. Nas palavras dela, ela ganha uma nova esposa.

Licença poética no desfecho

Várias coisas foram trocadas no final da série, que funcionam, de uma maneira completamente diferente. Para começar, a Masha tem um momento de loucura bem grande após prender todos na sala de meditação quando terminam a prática mencionada acima. Ela acompanha por vídeo tudo que estava acontecendo e se comunica da mesma maneira. Após usar uma dose maior das drogas, entra em conflito com seu “eu” antigo, voltando à antigas manias, muda o protocolo, seda Yao para não interromper os planos e finge o incêndio.

Outra grande mudança é sua motivação na série, toda aquela narrativa sobre tentar rever sua filha e usar os Marconis para isso não existe, nem o homem que morreu na tentativa anterior. Sua filha também foi modificada, no original era um filho, ainda bebê, que se enforcou na corda da cortina enquanto Masha demorou 5 minutos a mais para vê-lo, terminando seu trabalho.

Em seu desfecho pessoal, descobre-se também que ela teve outro filho logo após deixar o marido, do qual não quer ter nenhuma ligação e abandonou com ele. Seu ex estava tentando entrar em contato para contar que eles possuem um neto agora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui