Sempre há espaço em Hollywood para uma nova produção que envolva espiões, militares altamente treinados ou apenas um cidadão muito capaz com uma vingança pessoal. O Assassino: Primeiro Alvo (American Assassin), adaptação da obra de Vince Flynn, basicamente une todas essas idéias, com ótimos atores para executá-la.

Mitch Fagg (Dylan’ OBrien) levava uma vida comum, até ser vítima de um atentado que matou sua noiva e então se tornou uma pessoa obscura. Levado pela necessidade de vingança, ele se foca em perseguir os responsáveis pelo atentado, enquanto treina suas habilidades. Seu trabalho acaba dando resultados e por isso ele vira alvo da C.I.A, que o encara como um agente em potencial. Mas Fagg não é uma pessoa que segue ordens, por isso precisa passar por um rígido treinamento com Stan Hurley (Michael Keaton) e constantemente acaba deixando seu temperamento atrapalhar-ou não-, nas missões.

O Assassino: O Primeiro Alvo
O Assassino: O Primeiro Alvo | Imagem: Paris Filmes

A trama pode não parecer original, mas o longa se diferencia muito das obras do gênero já existentes. Ela vai direto ao ponto e resolve apenas o que foi proposto, sem abusar de ligações amorosas ou vínculos desnecessários. A qualidade é um grande ponto positivo, a fotografia e efeitos visuais fazem um bom trabalho na produção, mas a direção de Michael Cuesta é o grande destaque. Com tomadas e closes bem colocados, o diretor consegue ressaltar as peculiaridades da história e as principais características dos personagens.

Sem dúvidas as atuações são o grande chamativo do longa, o elenco principal faz um ótimo trabalho.Taylor Kitsch, que dá vida ao vilão, faz bonito em seu papel, ficando responsável por boa parte da tensão da produção. Porém, o grande trunfo do filme foi juntar Dylan O’Brien e Michael Keaton em cena. Os dois atores entregam papéis poderosos, mas também cínicos, que caem como uma luva para os atores e proporcionam momentos notáveis quando aparecem juntos na tela.

O Assassino: O Primeiro Alvo
Taylor Kitsch em O Assassino: O Primeiro Alvo | Imagem: Paris FIlmes

Dylan O’Brien já era conhecido por seu talento, mas em O Assassino: O Primeiro Alvo, mostra um amadurecimento impressionante. Conhecido por papeis adolescentes (Teen Wolf e Mazer Runner são os principais), o ator enfim ganha sua chance com um papel adulto e entrega uma atuação impressionante. É um ótimo retorno após o tempo que ficou parado por culpa de seu acidente.

O roteiro peca em apenas um aspecto: por se focar exclusivamente no protagonista, deixa alguns assuntos pouco desenvolvidos. A trama, como a maioria das obras americanas relacionadas à guerra ou atentados, coloca terroristas islâmicos como inimigos, porém não explora seus motivos nem desenvolve esse lado da história. O próprio vilão principal, que possui um passado com alguns dos personagens, deixa alguns momentos de dúvida em sua ações, que são explicadas apenas em frases curtas e nem sempre é possível captar de primeira.

O Assassino: O Primeiro Alvo é uma boa produção de ação, que sabe balancear momentos de tensão com alguns alívios cômicos. A produção apresenta a quantidade certa de violência, que é necessária mas não abusada e nunca é apresentada sem um motivo. Explorando o lado racional e pessoal, em meio a uma boa dose de ação, é um bom entretenimento que compensa pela qualidade e pelas ótimas atuações.

Veja a ficha técnica e elenco completo de O Assassino: O Primeiro Alvo

Veredito
Nota do Thunder Wave
Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here