quarta-feira, 8, dezembro, 2021

Sim, caímos. Mea-culpa: o Thunder foi vítima de fake news e se deixou levar pelas aparências dos termos “É OFICIAL!”, “CONFIRMADO!”, onde nada estava cem por cento claro sobre o ator Robert Pattinson ser ou não o novo rosto do Batman nas telonas. Bem, inúmeros portais de notícias divulgaram a boa nova. Perfis oficiais (oficiais mesmo, aqueles com selinho de verificação) compartilharam imagens com textos dando boas-vindas ao ator por sua nova empreitada. “Batman” ficou em primeiro lugar nos Trending Topics (assuntos mais comentados no Twitter) mundiais. Uau, quanta comoção.

O fato é que nada disso estava correto. A assessoria de Pattinson não havia se pronunciado; a DC (a casa do Batman) também não havia dito nada — mas todos os portais haviam usado a DC como detentora da grande novidade. Mea-culpa: o Thunder caiu no conto do vigário. No atual momento em que o Brasil encontra-se, completamente desacreditado dos fatos e a imprensa, que foi considerada um dos maiores poderes da sociedade, ostenta a bandeira de desvalorização sem o desejo de arvorá-la, as famosas fake news chegaram e tomaram o espaço das “true news” sem pedir licença. Chegaram chegando, com o pé na porta. Não pode!

O papel do jornalista é apurar, ler, se informar, ouvir fontes (pessoas) e antes mesmo de publicar notas, textos, imagens ou seja lá o que for, quando se diz respeito a notícias, é preciso ter certeza se tudo aquilo, se todo aquele trabalho é de cunho verídico. Entenda: tudo se deu a partir do portal americano Variety, que confirmou a negociação (não a aceitação) do ator com os estúdios Warner Bros. Pictures/DC a fim de ser o “novo” Bruce Wayne. Eu disse negociação.

Só que outro portal, provavelmente concorrente e com o interesse em visualizações e ter o tão desejado furo jornalístico, “respondeu” o site anterior, dizendo que o ator Nicholas Hoult estava no páreo. Como diz o bom e velho internetês, “algo errado não está certo“.

Os portais de entretenimento brasileiros entenderam da maneira que quiseram, causaram alvoroço entre os fãs do heróis — e consumidores de conteúdo/entretenimento e publicaram, dando cem por cento de certeza, de que Robert substituiu Ben Affleck no papel. Enquanto isso, a imprensa americana estava pegando fogo e aos tapas para ver quem tinha razão na história toda.

Okay, e quem tinha razão? Os atores (Pattinson e Hoult), lógico, que foram citados, usados como massa de manobra e sem querer, fizeram com que nós, brasileiros e meros mortais, acreditássemos que eles eram os novos Bruce Wayne. Mea-culpa: o Thunder caiu nas redes e nas graças das fake news. Mas em nossa defesa, tudo foi “apurado”: direto da fonte? Não. Foi apurado como mandava o figurino? Não também. E nem temos esse contato direto e imediato com as respectivas assessorias das empresas e atores citados anteriormente, mas por intermédio das notícias já publicadas, perfis em redes sociais e outras mídias, achamos que estava tudo okay e mesmo assim, usamos nossas redes para “entrar na onda”.

Mea-culpa: sem mais justificativas.
As fake news são nocivas, destroem o mais belo do jornalismo, que é o ato de noticiar com veracidade, e faz com que tudo de errado seja o certo e nós, consumidores de notícias, lidamos com isso numa boa, como se nada disso não fosse ruim. Ler é importante. Interpretar o texto, primordial. E a lição foi aprendida: nada de ser um maria-vai-com-as-outras. Não pretendemos cometer o mesmo erro outra vez, mesmo que errar seja uma característica humana — e o Thunder é feito de humanos.
Não mais mea-culpa.
E até o fechamento deste texto, Robert Pattinson não é o Batman.

Artigos Relacionados

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Instagram

Bombando

Mais vistos da semana

Siga Nossas Redes

Tem conteúdo exclusivo por lá
6,914FãsCurtir
2,962SeguidoresSeguir
4,234SeguidoresSeguir

Recentes

Conteúdo fresquinho

Thunder Fic's

Tudo sobre roteiro
pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave