No último domingo (24), os olhos do mundo voltaram-se para Los Angeles, na Califórnia, Estados Unidos, pois era noite de gala. A 91ª cerimônia de entrega dos Oscares da Academia, reuniu astros e estrelas do cinema, televisão e da indústria fonográfica no tapete vermelho do Teatro Dolby. Hollywood em peso compareceu para celebrar a noite da sétima arte.

O ator Billy Porter causou quando passou pelo tapete vermelho usando um vestidão de dar inveja. Ele não concorreu nem apresentou nenhuma categoria, mas poderia ter levado o Oscar de Melhor Figurino.

Já na cerimônia, QUEEN+Adam Lambert fizeram o número de abertura e levantou a galera com We Will Rock You e We Are the Champions. A banda participou da cerimônia devido as indicações do filme Bohemian Rhapsody, a cinebiografia do grupo.

Numa cerimônia sem apresentador, o rodízio ficou entre atores e atrizes convidados pela produção do programa para apresentarem as categorias. Essa foi a primeira edição em 30 anos sem um anfitrião ou anfitriã. O ator e comediante Kevin Hart havia sido escolhido para ocupar a posição, mas devido a postagens homofóbicas, declinou e a Academia, decidiu seguir sem um apresentador fixo. O que funcionou perfeitamente, graças a um roteiro impecável.

Bohemian Rhapsody foi o grande vencedor da noite, levando 4 estatuetas: a de Melhor Edição de Som, Melhor Mixagem de Som, Melhor Montagem e Melhor Ator para Rami Malek, por brilhantemente, ter entregado um Freddie Mercury impecável.

Roma foi o primeiro filme da Netflix a concorrer e ganhar em diversas premiações. No Oscar não foi diferente. O longa que revisita as memórias de Alfonso Cuarón, agradou ao público e a crítica e levou os prêmios de Melhor Filme Estrangeiro, Melhor Fotografia e Melhor Direção para Cuarón.

Regina King ficou com o primeiro Oscar da noite, o de Melhor Atriz Coadjuvante por sua belíssima atuação em Se a Rua Beale Falasse.

Já o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante ficou novamente com o ator Mahershala Ali, por seu trabalho em Green Book: O Guia. Quebrando recordes, ele foi o primeiro ator negro a ganhar dois prêmios na mesma categoria. Sua estreia na Academia foi com Moonlight: Sob a Luz do Luar, em 2017. Representatividade importa!

Por falar em representatividade, Pantera Negra trouxe vigor e esperança para a tradicional Academia, que constantemente é acusada de ser machista, sexista e racista. O filme do super-herói da Marvel levou 3 das 7 estatuetas para casa; a de Melhor Direção de Arte, Melhor Figurino e Melhor Trilha Sonora. Spike Lee subiu ao palco e se jogou nos braços de Samuel L. Jackson para receber o Oscar de Melhor Roteiro Adaptado, por sua colaboração em Infiltrados na Klan.

Lady Gaga roubou a cena desde que pisou no tapete vermelho. A cantora e também atriz, cantou Shallow ao lado de Bradley Cooper, colega de elenco do filme Nasce Uma Estrela.

Na cerimônia, levou o prêmio de Melhor Canção Original pela mesma canção. Aliás, Gaga tornou-se a primeira mulher a ganhar Oscar, BAFTA, Grammy e Globo de Ouro no mesmo ano.

Green Book: O Guia desbancou Pantera Negra, Nasce Uma Estrela e Roma e levou a melhor na categoria Melhor Filme.

Melhor Animação ficou com Homem-Aranha no Aranhaverso, da Marvel/Sony Pictures.

Olivia Colman desbancou Glenn Close e ficou com a estatueta de Melhor Atriz por sua atuação em A Favorita. A atriz era a mais cotada dentre as indicadas (Lady Gaga, Melissa McCarthy e Yalitza Aparício) e “surpreendeu”. Semanas antes, ela havia levado o BAFTA na mesma categoria.

E isso é tudo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui