O sistema judicial e investigativo nem sempre funcionam, certamente essa é uma opinião unanime. Pensando nisso, a CBS resolveu especular o que aconteceria se o povo pudesse ajudar na captura de criminosos e assim surgiu Wisdom of the Crowd.

A trama apresenta Jeffrey Tanner (Jeremy Piven), um empresário do ramo de tecnologia que, acreditando que o assassinato da sua filha foi mal resolvido, resolve criar um aplicativo que permite que a população cadastre pistas de suspeitos. Ele cria no intuito de encontrar o verdadeiro assassino na filha, visto que o caso foi dado como encerrado mas o culpado não é o verdadeiro assassino, porém as pessoas acabam interagindo tanto com o app que novos crimes aparecem para serem resolvidos. Com a ajuda do detetive Cavanaugh (Richard T. Jones), Jeffrey vai fornecer pistas para os casos enquanto tenta reabrir o caso de sua filha.

Wisdom of the Crowd | Imagem: CBS

A premissa é realmente interessante, e uma boa ideia para se usar na vida real. Com o aplicativo em mãos, é fácil soltar a descrição de um novo suspeito em segundos e possibilitar que pessoas denunciem seu paradeiro em tempo real. Entretanto, o roteiro não deixou a verdadeira natureza humana de fora e mostra o outro lado da invenção, onde algumas já acusam de cara o suspeito e acreditam que podem fazer justiça com as próprias mãos.

Apresentando uma ideia original, Wisdom of the Crowd é uma série interessante, mas não passa de mais uma procedural. Com novos casos semanais -e um caso central para resolver-, a obra se torna mais uma produção investigativa com um elemento diferencial, lembrando bastante Person of Interest, da mesma emissora. Por isso, há chances da originalidade do aplicativo agradar apenas nesse piloto ou em mais alguns episódios da temporada, porém rapidamente a trama pode cair na mesmice.

Wisdom of the Crowd | Imagem: CBS

Os personagens são bem desenvolvidos e prometem ter seu passado explorado no futuro. Com bastante envolvimento pessoal entre eles, há espaço para se aprofundar nas relações mais intimas do passado de cada um. Entre momentos um pouco previsíveis -como o hacker que rapidamente começa a trabalhar para a empresa após hackear o aplicativo, ou o caso de Jeffrey com sua funcionaria-, o roteiro mostra momentos mais emotivos, geralmente ficando a cargo do protagonista e sua grande perda.

Aos que não se cansam de novas investigações, Wisdom of the Crowd é uma boa pedida. Mas para aqueles que já não aguentam mais ver mais uma obra procedural na televisão, a série pode ficar rapidamente bem cansativa.

Veredito
Nota do Thunder Wave
Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here