Resenha: A Menina do Outro Lado (Totsukuni no Shoujo) – Nagabe

0
3820

 

Existem muitas obras de mangás. E diversos estilos para públicos de faixas etárias mais distintas.

E cada um pode se divertir ao seu modo. Só que alguns, acabam indo além e tornam-se mais do que uma história ilustrada.

Assim acontece com Totsukuni no Shoujo, ou A Garota do Outro Lado que finalmente chega ao Brasil pelo selo Darkside Graphic Novel.

Publicado originalmente em 2016 no Japão, o mangá já ganhou uma versão americana e em setembro chegará em DVD junto da oitava edição. Mas isto no Japão. Ela será feita pela Wit Studio, a mesma de Attack on Titan.

Imagens promocionais da animação
Imagens promocionais da animação

Esta obra criada por Nagabe é intimista e a Darkside conseguiu fazer uma ótima publicação, com um papel interno com uma boa gramatura, que não atrapalha o leitor ao folheá-lo, não gruda e também não é transparente. Parecem detalhes toscos, mas que muitas pessoas não percebem até atrapalhar sua diversão, com páginas grudadas como a do couchê ou até mesmo folhas tão finas, que se tornam transparentes e conseguimos ver o desenho do outro lado. E isto atrapalha e muito!

A capa dura continua sendo a marca registrada da editora e o padrão de leitura japonesa, ou seja, da esquerda para a direita, é respeitada.

A Garota do Outro Lado é um mangá no estilo conto de fadas, onde temos a garotinha Shiva que vive com o Sensei. Ele é amaldiçoado e não pode ser tocado, pois poderá passar para Shiva.

E aqui já temos o primeiro dilema da vida, dentro de páginas em preto e branco, com contrastes entre estes dois personagens, a floresta, a casa, animais, ou seja em tudo!

Como viver sem poder ter o afeto de outro ser? Para uma criança isso não é tão simples, pois ela necessita deste calor – ia escrever humano, mas isso fica para mais pra frente -, pois em alguns momentos ela quer abraçar porque está feliz, quer ser abraçada porque está triste entre tantas coisas que apenas o contato pode transmitir entre qualquer ser.

Imagine-se não podendo tocar pela visão de uma criança e depois pelos olhos do Sensei, por saber que deve proteger esta pequena criança de um mundo hostil, mas onde ele também é o mais perigoso entre todos. Ter este controle não é simples.

Durante os primeiros capítulos, temos apenas a casa onde moram e uma vila que foi abandonada devido a maldição. Não sabemos o que aconteceu com o mundo. Assim como Shiva, que apenas espera por sua tia.

E devagar, com páginas simples e um traçado limpo e detalhista, Nagabe nos leva em uma história com emoção e uma linguagem expressiva.

A dualidade é mostrada a todo instante, mas ao mesmo tempo ela nem mesmo existe, pois Shiva é tão simples e ingênua, que nos lembra que apenas nós que criamos e damos nome a nossas dúvidas.

E que os seres humanos podem ser muito mais crueis do que uma maldição. Por este motivo, evitei escrever “calor humano”, pois este carinho e afeto podem ser dados por qualquer ser.

A Garota do Outro Lado é um mangá para ser lido e relido. E para ser compartilhado com as pessoas mais próximas e lembrá-lo a todo instante que quem cria cores para o bem e para o mal, ou prefere viver nas cinzas somos nós. Afinal, quem disse que o universo precisa ser assim?

Resumo
Nota do Thunder Wave

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui