Resenha: A Pedra Pagã – Nora Roberts

0
3122
A Pedra Pagã Book Cover A Pedra Pagã
Nora Roberts
272
A Sina do Sete
Ficção
Arqueiro
6/11/2017

Partilhando visões de morte e fogo, os irmãos de sangue Cal, Fox e Gage, e as mulheres ligadas a eles pelo destino, Quinn, Layla e Cybil, não podem ignorar o fato de que o demônio está mais forte do que nunca e que a batalha final pela cidade de Hawkins Hollow está a poucos meses de acontecer. A boa notícia é que eles conseguiram a arma necessária para deter o inimigo ao unir os três pedaços de jaspe-sanguíneo. A má notícia é que ainda não sabem como usá-la e o tempo está se esgotando. Compartilhando o dom de ver o futuro, Cybil e Gage podem descobrir a resposta para esse enigma se trabalharem juntos. Só que, além de não terem nada em comum, os dois se recusam a ceder aos próprios sentimentos. Um jogador profissional como Gage sabe que se entregar a uma mulher como Cybil – com a inteligência, a força e a beleza devastadora dela – pode ser uma aposta muito alta. E qualquer erro de estratégia pode significar a diferença entre o apocalipse e o fim do pesadelo para Hawkins Hollow.

Site oficial Encontre Compre

 

Em Irmãos de Sangue, Nora Roberts iniciou a trilogia Sina do Sete, apresentando a cruel maldição que cai sobre a cidade de Hawkins Hollow a cada sete anos. Agora, em A Pedra Pagã, a autora encerra essa interessante saga.

E em A Pedra Pagã, ela encerra lindamente os acontecimentos. Dessa vez com um foco maior em Cybill e Cage, o livro mostra o caminho para a temida batalha final. O grande destaque dessa obra é seus “protagonistas”. Cybill e Cage não fogem do padrão do romance, o casal prometia ser diferente desde os volumes anteriores e é exatamente isso que eles entregam, um caminho diferenciado e bem menos focado nos romances que comumente vemos nos livros.

Por isso, o tempo gasto nos preparativos para a batalha e novas descobertas é muito maior. Tudo flui naturalmente, com novos desafios e acontecimentos, até finalmente chegar em uma pequena e genial reviravolta que compensa a leitura de toda a trilogia.

Entretanto, a tão aguardada batalha deixa um pouco a desejar. Nada que de fato atrapalhe a experiência, mas tudo acontece tão rápido, ainda que de uma maneira bem racional, que pode deixar um sentimento de que faltou “algo a mais” para alguns leitores.

Sina do Sete é uma ótima trilogia, e Nora Roberts prova que ainda consegue impressionar, mesmo em com um tema já utilizado. É uma leitura cativante e até mesmo um pouco despretensiosa, que consegue prender do inicio ao fim sem dificuldades.

A Pedra Pagã é quase um exemplo de como terminar uma boa saga. Não se apegando ao felizes para sempre, a obra finaliza entregando exatamente aquilo que propôs, bem resolvida e sem enrolações.

Veredito
Nota do Thunder Wave
Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here