Resenha: ‘Como eu Era Antes de Você’- Jojo Moyes

0
16654

 

Se você é do tipo de leitor que é fã de carteirinha de romances, desses incorrigíveis e que se emociona por qualquer cena descrita nessas obras, pode apostar que Como Eu Era Antes de Você, de Jojo Moyes, é o livro ideal para os dias frios em que estamos vivendo. Mas prepare aquela caixinha de lenços de papel, porque você constantemente dirá “tem um olho na minha lágrima…”

Como Eu Era Antes de Você é narrado em primeira pessoa – confesso que livros assim, me atrapalham um pouquinho na leitura e no desenvolver dela – e a autora nos faz sentir na pele dos personagens em evidência. É como se estivéssemos lendo um diário, sabe, com anotações dos fatos mais marcantes do dia. Mas não se trata de um diário, que isso fique bem claro.

Jojo nos conta a história de Louise Clark (Lou para os íntimos), uma jovem de 26 anos sem nenhum tipo de perspectiva de vida – daquelas que voltando de um transe, desperta e se vê atordoada num apinhado de acontecimentos e se dá conta de muita coisa. “O quê que eu tô fazendo com a minha vida?”, diria. Ela mora na mesma casa com os pais, a irmã que é mãe solteira, o sobrinho e um avô que sofreu alguns derrames e necessita de cuidados a todo instante – eu também não teria nenhuma perspectiva de vida vivendo num ambiente como o de Lou.

Ela trabalha numa cafeteria que do nada, fecha as portas. Ela se vê sem saber o que fazer, afinal, só havia trabalhado ali (até aquele momento) e não sabia fazer outra coisa. Durante a leitura, vamos percebendo que ela gostava de servir cafés e de ser participante dos acontecimentos do estabelecimento. Até que numa agência de emprego, após muitas negações e razões para rejeitar diversas propostas de trabalho, ela acaba aceitando uma proposta de cuidar de um homem acidentado e que acabou ficando tetraplégico.

Antes do primeiro capítulo do livro, temos um prólogo e é nele que nos deparamos com um trágico acidente – primeiro lencinho de papel. Mas quando chegamos ao final do segundo, ligamos ao prólogo e nos deparamos com o acidentado: Will Traynor, um homem que sempre teve uma vida ativa e que adorava vivê-la de maneira aventureira.

Após o acidente e o diagnóstico de tetraplegia, Will encontrou-se em um estado de pura autocomiseração e fechou-se para si e para todos ao seu redor, tornando-se um homem amargurado, até conhecer a nossa Lou, a menina sem perspectiva de vida. Pronto, juntamos o útil ao agradável e através de alguns personagens-chave, vemos a mudança gradativa na vida de Louise – sobre o enredo, opto por parar por aqui, senão vai rolar spoiler e vocês vão ficar muito chateados comigo.rs

  • Veja também a crítica do filme Como Eu Era Antes de Você clicando aqui.

O fato é que o livro é emocionante e de uma realidade absurda. Nos faz rever alguns conceitos na nossa vida, que precisam ser reparados ou até mesmo, mudados – não se trata de essência ou cerne, trata-se de atitudes. Lembra da caixinha de lenços que falei lá no inicio? Me foi útil na reta final da obra – e até pós leitura. Gente, como eu chorei. É sério. Pode parecer coisa de gente romântica, mas não, é algo sério. O que aconteceu com Will e Lou, pode acontecer com qualquer pessoa, independente de classe social, cor, religião, condição sexual e afins. Somos humanos e estamos sujeitos a tudo isso.

Bem, paro por aqui recomendando em letras garrafais a leitura desse livro (não se esqueçam da caixinha de lenços, hein!). Que façam bom proveito e se apaixone e emocione com Will, Lou e Jojo Moyes. E o que acontece a partir daí? Só Depois de Você dirá.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui