Resenha | Descender Volume 1: Estrelas de lata

0
3348

Descender: Estrelas de lata, é o primeiro volume da nova série de Jeff Lemire, criador de Black Hammer e ilustrado por Dustin Nguyen.

A nova trama de Lemire é bem simplista, diferente da utilizada em Black Hammer, mas com uma história muito mas envolvente e crítica. A história se passa em um universo onde robôs gigantes destruíram planetas e civilizações inteiras. Com isso, ao longo dos anos foram estabelecidas em toda a galáxia políticas de perseguição e extermínio das máquinas.

Descender Volume 1 | Imagem: Divulgação

Em meio a essa caça implacável, conhecemos Tim-21, um jovem robô de aparência humana que pode conter em seu código vestígios dos assassinos do passado — o que faz dele o ser mais procurado do universo. Ao lado dos amigos Bandit e Perfurador, ele se aventura por planetas e galáxias, enfrentando inimagináveis perigos com um único objetivo: sobreviver.

Neste universo a tecnofobia é o que rege a maioria das ações dos 9 planetas. Cada desavença, mesmo que tenha acontecido bem antes deste ataque dos misteriosos robôs gigantes, serve de desculpa para que venha a tona todo ressentimento entre estas sociedades.

Descender Volume 1 | Imagem: Divulgação

A narrativa proposta por Jeff Lemire é fluente e atemporal. Dá para se pegar muitos fatos da história da humanidade onde se usou de desculpa os males da nação, sendo jogadas em um povo. É apenas lembrar da II Guera Mundial, onde os Judeus eram os culpados de tudo e uma chacina começou contra eles. Podemos utilizar este mesmo exemplo nos tempos atuais, com estrangeiros que chegam em um país e se tornam os mesmos bodes expiatórios em serem culpados pela falta de emprego da população local. A crítica é ampla e pode-se seguir com exemplos infinitos que o autor utiliza nesta graphic.

O fato mais perturbador dentro disto tudo, é percebermos que ainda são necessárias histórias deste estilo para que possamos ver o óbvio. A ficção sempre foi uma vertente para fazer perguntas e nos mostrar quais caminhos podemos ou não seguir.

Dentro de Descender, temos exatamente isto tudo e como sempre, muito mais. Jeff Lemire entrega um ótimo roteiro, quase cinematográfico para sua história. Infelizmente, a arte de Dustin Nguyen em certos pontos é incerta e até atrapalha, principalmente na montagem de seus quadros. Existem momentos em que não dá para saber se a narrativa segue para baixo o para os lados.

Descender Volume 1 | Imagem: Divulgação

A arte fica a desejar em alguns pontos, com ótimas cenas e em outras que atrapalham a narrativa. Os balões também ganham um ponto negativo, principalmente na variação de cores, com o uso de magenta com amarelo, do tamanho e das letras que mudam constantemente.Outro aspecto negativo é não entender o que está acontecendo com o que é descrito em texto. O leitor fica parado procurando por uma nave descrita, quando na realidade nem se sabe se ela realmente está ali, para na sequência descobrir que o trabalho foi apenas desenhar um único objeto.

Mesmo com estes pontos negativos, o desenho dos personagens é muito bem feito, assim como o uso de cores. O problema fica para os detalhes das cenas e dos personagens secundários da trama.

A edição que recebemos da Intrínseca, possui um bom acabamento, com um papel de gramatura que torna a leitura fácil, mas com problemas no uso de cores dos balões, onde o uso do magenta com o amarelo, com um texto pequeno, com certeza irá atrapalhar a leitura em locais um pouco menos iluminados ou em transportes públicos. Outro aspecto negativo, é o uso da fonte (letra), para o diálogo de alguns robôs, que são do estilo do logo de Blade Runner, que também dificultam a leitura, por serem letras cortadas, onde os números como o 3 e 5, acabam ficando semelhantes.

De qualquer forma, Descender: Estrelas de Lata é uma excelente história e deve ser adquirida por todo aqueles fãs de ficção, robôs e do autor, principalmente por ter um roteiro simples que pode ser lido por qualquer tipo de leitor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui