Resenha: Eleanor e Park- Rainbow Rowell

8
17258

 

“Eleanor & Park me lembrou não apenas de como é ser jovem e apaixonado por uma garota, mas também de como é ser jovem e apaixonado por um livro.” – John Green, autor de “A Culpa é das Estrelas”

Eu poderia encerrar a resenha dessa obra-prima apenas com as palavras de John Green, mas insisto em dizer algumas palavras. Por favor, se me derem licença, gostaria de resenhar sobre Eleanor & Park, de Rainbow Rowell.Resenha Eleanor e Park

Bem, tudo começou quando eu fui comprar um determinado livro, não o tinha e eu não queria sair da livraria de mãos vazias – já estava sem algo inédito para ler. Foi quando, repentinamente, me lembrei desse livro, sem indicações de amigos, levei-o para casa. De primeiro momento, desfolhei algumas páginas e era época de aulas, o que me fez demorar um pouco para lê-lo. Mas em meus trajetos de ônibus, o pus na mochila e tive o prazer, repito: TIVE O PRAZER DE DESFOLHÁ-LO.

Sabe aquele livro que você pega e o degusta sem pressa, sem pensar em devolver pra biblioteca ou para o amigo que o emprestou? Esse livro é desses, de ler cada linha tranquilamente e aquilo entranhar em seu coração. É como se Rainbow lhe transportasse para a historia e a cada relato da autora, você observa as cenas bem de perto.

“A gente acha que abraçar uma pessoa com força vai trazê-la mais para perto. Pensamos que, se a abraçarmos com muita força, vamos senti-la, incorporada em nós, quando estivermos longe.”

A trama começa em agosto de 1986 e conta a história de Park Sheridan e Eleanor Douglas, dois adolescentes de dezesseis anos que vivem em Omaha, Nebraska. Park é descendente de coreano, de família estruturada e é apaixonado por músicas e HQs. Não chega a ser exatamente o cara mais popular da escola, mas não deixa de ser visado por todos. Já Eleanor, é o tipo de garota que não é bem vista pelos colegas da escola – literalmente falando, ela sofre bullying meio que constantemente; é ruiva, tem estilo próprio (na verdade, se veste com umas roupas bem estranhas) e se autodenomina “gorda”.

Até terem um real contato, demora alguns capítulos, mas a leitura é tão gostosa que você não vê a demora e é feito como algo natural. O primeiro contato entre Park e Eleanor é no ônibus escolar, onde Park está lendo alguns gibis e Eleanor dá aquela espiadela de canto de olho. Os dois se aproximam, graças à troca de músicas e gibis – insistentemente feito por Park, e um romance começa a se desenvolver. Coisinhas de adolescentes mesmo, sabe? Mas a história, caros leitores, não tem nada de adolescente não.

O grande diferencial nesse livro, é que dentro de cada capítulo (sempre nomeados como ELEANOR e PARK), existem subcapítulos também com os mesmos nomes e de forma com que os personagens centrais são os próprios narradores – meio que os donos de seus próprios destinos. A trama é intrigante, envolvente e de bom gosto musical dos personagens (da autora, vai!). Cada desenrolar da história é uma risada e você sente como que o amor é algo renovável no melhor estilo adolescente de ser.

”Sempre que via Eleanor, ele não conseguia mais pensar em se afastar. Não conseguia pensar em mais nada. A não ser tocá-la. A não ser fazer qualquer coisa que pudesse ou tivesse de fazer para vê-la feliz.”

O grande legal de tudo isso, é que a DreamWorks comprou o direito de filmagens do livro e em breve, teremos Eleanor & Park, O Filme. Não se sabe muito sobre a escolha do elenco, locais de filmagens, equipe de direção e produção. O que sabemos é que a autora escreverá o roteiro e isso soa bem aos ouvidos dos fãs, principalmente no quesito “diferenças entre filmes versus livros”.

Eleanor E Park

Em suma, Rainbow entrou para o hall de melhores autoras da vida, e não é porque se tornou best-seller do The New York Times… Se vale uma dica, leia e se emocione com esse livro incrível e o tenha bem pertinho da sua cama, você sempre voltará para ele quando puder. Poucos livros me fizeram chorar, “Eleanor & Park” foi um deles.

8 COMENTÁRIOS

  1. Oie,
    Vai parecer estranho, mas não consegui amar esse livro tanto quanto leio nas resenhas para mim. Acho que não sofri o mesmo impacto que todos ou li no momento errado, só pode ser isso. Claro que gostei da leitura, mas nada que me fizesse torná-lo uma excelente leitura. Acho que ando mais crítica. Mas lendo suas palavras eu pareço ter apreciado mais, do que quando li propriamente a obra.

    Se eu não tivesse lido, teria comprado somente pelo que você disse.

    Beijos
    http://amagiareal.blogspot.com.br/

  2. Olá !!!
    Eu também não consegui ler esse livro,como a Elis comentou, comecei,mas a leitura nçao fluiu e eu acabei deixando para outro momento,não desisti e cada vez que leio uma resenha como a sua,que mostra o quão encantador a narrativa pode ser tenho vontade de tentar de novo. Eu gosto da autora,li Ligações e adorei,senti toda a emoção que Raibow queria passar.

    É , por culpa sua vou atrasar minhas outras leituras e pegar logo esse livro.
    hahahahahaha
    bjsss

    http://www.apaixonadasporlivros.com.br/

  3. Já faz um bom tempo que quero ler esse livro. Vi ótimas críticas sobre ele, mas sempre deixo para ‘um dia’. Apesar de tua resenha ter me chamado muito atenção – e me feito querer ler – só mesmo se eu ganhar ou tiver numa promoção muito boa! kkkkkk Achei a história fofa, pela forma como tu conta. E vou ficar no aguardo de notícias para o filme!

    Beeijos
    Danni
    Garotas e Livros

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui