Resenha: Meia Guerra – Joe Crombie

0
4392
Meia Guerra Book Cover Meia Guerra
Joe Abercrombie
368
Mar Despedaçado
Fantasia
Arqueiro
5/01/2018

A princesa Skara vê todos os que ama morrerem na sua frente e o seu palácio ser consumido pelas chamas. Tudo o que lhe resta são palavras... Mas palavras podem ser tão letais quanto armas. Disposta a se vingar, ela enfrenta seus medos e aguça a inteligência, indo atrás de pai Yarvi. O ministro de Gettland já percorreu um longo caminho desde a escravidão, fazendo aliados entre antigos rivais e estabelecendo uma paz instável. Porém, agora, a cruel avó Wexen arregimenta o maior exército desde que os elfos guerrearam contra a Divindade Única e põe Yilling, o Brilhante, como seu comandante – um homem que venera apenas a Morte. Skara pode ser a peça que faltava para forjar de vez a aliança entre Gettland e Vansterland, alicerçada na fortaleza de seus antepassados, pronta a enfrentar a fúria do Rei Supremo. Nessa guerra, ela contará com o apoio de uma ministra inexperiente, mas leal, e de um matador imprudente que espera superar fantasmas de antigos conflitos sangrentos.

Site oficial  Compre

 

Encerrando a trilogia Mar Despedaçado, Meia Guerra não deixa a desejar como volume final e entrega um desfecho satisfatório para os antigos personagens, enquanto apresenta outros novos e igualmente importantes.

Joe Abercrombie entregou uma proposta interessante em sua saga de fantasia, onde cada livro era focado em um protagonista diferente. Começando com Yarvi, o garoto que possuía uma deformidade, que iniciou a aventura em Meio Rei, um livro fechado mas que começou a guerra que daria continuidade à trilogia. Em Meio Mundo, a forte Thorn Bathu carrega a trama, que poderia ser uma aventura totalmente nova se não tivesse menções à Yarvi. Agora, o autor apresenta a princesa Skara, que após perder tudo acaba cruzando seu caminho com Pai Yarvi, o antigo meio rei.

“A confiança é como vidro. É linda, mas só um idiota coloca muito peso em cima.”

Abercrombie possui uma imensa capacidade de desenvolver personagens e em Meia Guerra é onde essa capacidade fica mais evidente. Ao longo dos acontecimentos, o leitor consegue presenciar as mudanças em Skara, que passa de uma garota irritada para uma inteligente e astuta. Nesse volume, ele consegue manter os personagens ainda mais realistas, são humanos comuns que fogem completamente do clichê dos heróis destemidos, aqui, eles se entregam aos seus desejos e egoísmos como todo ser humano.

O grande foco dessa obra é a inteligência. É preciso muito mais astúcia do que força para se vencer uma guerra e é isso que a trama apresenta. É através de decisões sábias que as famosas lições de moral de Joe são colocadas, assim como questionamentos religiosos e políticos. Com menos magia e mais estratégias, Meia Guerra encerra a trilogia de maneira mais madura e realista.

“Apenas meia guerra é travada com espadas. A outra metade é travada com palavras.”

Mar Despedaçado é uma trilogia Young Adult com vários pontos positivos, por isso, se torna extremamente interessante para esse público, ainda mais por apresentar questões relevantes que funcionam como verdadeiros ensinamentos. Entretanto, pode ser cansativa para os adultos saturados de tanta obra de fantasia. De qualquer maneira, são obras bem colocadas e escritas de maneira muito criativa por Abercrombie, que se mostra muito talentoso nessa saga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui