Resenha: Ninfeias Negras- Michel Bussi

0
8838

 

Michel Bussi fez sua fama com O Vôo da Libélula, onde apresenta a complicada situação de uma bebê que foi a única sobrevivente em um vôo e cuja identidade é praticamente impossível de se provar- ninguém conseguiu provar em qual das duas possíveis famílias a menina nasceu. A trama é muito bem explicada, o autor não deixa no ar explicações do motivo de não usarem soluções óbvias, como teste de DNA, mas o que impressiona é o final, totalmente imprevisível, porém muito lógico. Ninfeias Negras segue o mesmo caminho, dessa vez mostrando um assassinato, Bussi nos leva por uma trama igualmente enigmática, que consegue novamente surpreender no desfecho.

A pacata cidade de Giverny é conhecida por ser onde o grande Claude Monet, um dos grandes nomes do impressionismo, imortalizou seus quadros se baseando nas lindas paisagens. Por isso, a cidade praticamente gira em torno da arte. Mas nesse cenário acontece um assassinado, um médico é encontrado morto e uma investigação agita a população.

Entre muitos personagens, o grande foco está em três mulheres, que narram a trama alternadamente. A primeira é uma observadora senhora idosa que está sempre a par dos acontecimentos; a segunda é a professora da única escola local, que está presa em um casamento sem amor e a última é uma talentosa menina de 11 anos que está tentando se tornar uma pintora famosa.

Michel Bussi leva o mistério do assassinato até as últimas páginas, onde encerra de uma maneira impressionante. Sempre surpreendendo, o autor entrega novamente uma questão praticamente impossível de desvendar, não por falta de evidencias, na realidade as peças se encaixam até formar a única explicação lógica, mas por ser muito mais complexo do que se imagina no início.

A escrita de Bussi é muito descritiva, e até mesmo um pouco lenta, mas isso é essencial para o desfecho desejado. Mesmo sendo lenta, não chega a ser cansativa, o mistério e as pequenas dicas conseguem prender a atenção de tal maneira que as excessivas descrições não chegam a incomodar.

Por ter muito de arte, a obra lembra um pouco os livros de Dan Brown, porém sem usar a arte como artifícios de elaboradas pistas, apenas explica as Ninfeias, carro chefe da investigação. Há também um quê de Agatha Christie nas escritas de Bussi, seus enredos sempre lembram muito da autora, tanto que uma de suas obras mais famosas seja a ser mencionada em Ninfeias Negras.

Michel Bussi acertou novamente, Ninfeias Negras é uma leitura muito agradável, com um final recompensador. É um livro que sem dúvidas irá agradar aos fãs de boas histórias policiais, mas vai além da investigação, analisa questões intimas e românticas, tendo potencial para agradar também quem não gosta de romances policiais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui