Resenha | O Cemitério – Stephen King

0
3655

Famoso por suas adaptações cinematográficas – com a nova versão chegando em maio nos cinemas-, O Cemitério é uma comentada obra de Stephen King que aborda perdas e más decisões.

Mudando de Chicago para Ludlow, em Maine, Louis Creed pretende tentar ter uma vida mais calma com sua família. O médico conseguiu uma proposta de emprego na área de emergências de uma universidade e com isso poderá passar mais tempo em casa e se dedicar a sua esposa Rachel e seus dois filhos, Ellie e Gage.

Porém, não é paz que a família Creed encontra. A casa em que vão morar fica no terreno de um cemitério (Simitério, como descrito no livro) de animais, onde na sua divisa está uma antiga terra indígena parece ter o poder de trazer de volta a vida aqueles que ali são enterrados.

Em clima de muito suspense, a narrativa de King deixa o leitor apreensivo desde o início, desconfiando de tudo que está acontecendo. Até mesmo do simpático e enigmático vizinho Jud, que parece estar sempre disposto a ajudar, mas esconde um grande mistério sobre o “simitério”. Esse clima torna a leitura ofegante e instigante, mesmo que nada grave esteja acontecendo naquele momento, é evidente que as coisas seguirão por um caminho medonho e a curiosidade para ver quando tudo isso irá acontecer leva o leitor a não conseguir largar o livro.

Através dos conhecidos elementos sobrenaturais de King, a trama aborda o sofrimento com a morte das pessoas amadas. Começando pequeno, com o amados animais, a obra cresce até chegar em momentos sufocantes onde conseguimos sentir o desespero dos personagens com suas perdas- e prever as más decisões que virão a seguir.

O terror vai além das assombrações e possíveis assassinatos, é o teor realista que cativa nesse livro. É quando as mortes totalmente plausíveis dos personagens, seja em narrativas do passado ou no presente, aparecem para mostrar o quão frágil a vida pode ser e são descritas com momentos tão comuns, que assustam o leitor pela possibilidade de ocorrem na sua vida.

As analises psicológicas são sensacionais, são tão profundas e interessantes que acabam se destacando sobre todo o horror da trama e se transformam ao mesmo tempo no maior ponto positivo e negativo de O Cemitério. Ao longo da leitura somos tão absorvidos pelas intensas análises, que o desfecho se torna rápido e um tanto vazio em comparação com o resto do livro.

Stephen King sabe explorar os medos das pessoas em suas obras e ao lidar tão drasticamente com a morte consegue entregar uma trama muito simples, mas devastadora em seus detalhes realistas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui