Resenha: O Mestre das Chamas- Joe Hill

0
5093

 

Distopias e diferentes visões apocalípticas são argumentos muitos usados na literatura ultimamente. Tanto que acabam ficando um pouco repetitivos e por isso geralmente o interesse do público diminui. Esse não é o caso de Mestre das Chamas, onde Joe Hill consegue unir esses dois elementos em um argumento tão original que torna toda a trama incrivelmente nova para uma temática tão utilizada.

A originalidade começa pela doença que assola a população, que simplesmente faz com que o infectado entre em combustão espontânea e é altamente contagiosa. Quando a enfermeira Harper Grayson contrai a Escama do Dragão, seu marido Jakob fica realmente nervoso por provavelmente ter sido infectado também, mas seu comportamento agressivo chega ao auge quando descobre que Harper está grávida e não pretende abortar a criança. Levado pelo pensamento de que o bebê provavelmente nascerá com a doença ou que a esposa vá queimar antes do filho ter alguma chance, Jakob se convence de que Harper precisa morrer.

A única chance da enfermeira acaba sendo o Bombeiro, um cara misterioso que de alguma forma conseguiu controlar sua doença e ao invés de ser ameaçado por ela consegue usá-la a seu favor e incendiar o que for preciso. Com sua ajuda, Harper acaba chegando a uma comunidade onde várias pessoas infectadas conseguem conviver com sua doença e se unem para fugir de todos que tentam exterminar as pessoas que contraíram a doença. Entretanto, em pouco tempo, ela irá descobrir que a Escama do Dragão não é a maior ameaça nesse recinto e a ganância dos companheiros pode colocar a vida de todos em risco.

Através de uma narrativa informal, que acaba dando um tom bem cômico à obra, Hill leva o leitor por uma sucessão de acontecimentos frenética, que consegue aguçar a curiosidade e transformar a leitura de um extenso livro em algo tão fluido que mal parece ter quase 600 páginas. As incontáveis referências à cultura pop ou outras obras literárias ajudam bastante a deixar a leitura mais gostosa, porém vale informar que, mesmo não sendo algo que acabe com a qualidade do livro, há uma boa quantidade de palavrões. Mas não se engane, mesmo tendo seus momentos de alívio, ainda é uma trama bem tensa.

A escolha de colocar uma protagonista grávida ajuda bastante a deixar os acontecimentos ainda mais pesados, visto que dá a chance de colocar um momento triste mesmo sem nenhuma ameaça evidente. Harper luta durante todo o livro com a possibilidade de não poder cuidar de seu filho, pois é muito possível que ela morra ao dar a luz. Por isso ela usa de algo que corta o coração de qualquer um: a Mãe Portátil, onde ela estoca tudo que pretende deixar para seu bebê se não puder estar ao seu lado.

[…] Eram os beijos de emergência. Harper estava estocando a Mãe Portátil com eles, para que quando seu filho precisasse de um beijo tivesse vários disponíveis entre os quais escolher.

Cheio de reviravoltas e momentos surpreendentes, Mestre das Chamas é um livro incrível, que irá se revelar ainda melhor para os fãs de terror que irão entender os universos citados na obra. Hill consegue entregar uma trama original, instigante e dinâmica, que não se torna cansativa e fornece ao público uma leitura misteriosa e diferente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui