Resenha: O Que Há de Estranho em Mim- Gayle Forman

21
21289

 

Gayle Forman é uma daquelas autoras que você lê a primeira obra e automaticamente quer ler todas as outras. Sempre tratando de um assunto sério, mas com uma sutileza impressionante, Forman sabe colocar fatores psicológicos para ditar seus livros.

O Que Há de Estranho em Mim é a primeira ficção de Gayle Forman. Passado dentro da instituição Red Rock, conhecemos meninas que teoricamente possuem graves problemas comportamentais e estão ali para se tratar. Por que teoricamente? Porque a maioria das internadas ali não tem problema nenhum, são enviadas por pais que não sabem lidar com elas ou acham que possuem um problema que não tem. Para dar um exemplo, uma delas é lésbica e está ali para uma “cura gay”

“Portanto, logo nos primeiros dias na Red Rock, acho que consegui entender como se sentem os animais de um zoológico.”

Brit, nossa narradora, é quem menos merece estar ali. Enviada por seu pai, por supostamente sofrer de TDO (Transtorno desafiador opositivo), desde o inicio mostra ser uma adolescente comum. Mesmo tendo algumas tatuagens e o cabelo colorido, ela não é nada rebelde. Também não bebe ou usa drogas, sua paixão é sua banda, apenas quer formar sua carreira na música.

Conforme avançamos na leitura, descobrimos que a Red Rock é uma clinica horrível, e bem enganosa. Os pais não sabem, mas utilizam de técnicas pesadas, que incluem xingamentos incentivados pelos organizadores, além de ter uma péssima condição de alojamento, alimentação muito pouco balanceada e forçar tardes debaixo de um sol forte construindo muros.

Quando Brit conhece Bebe, Matha, Cassie e a veterana V., sua situação melhora um pouco, sua estadia fica mais suportável.  As cinco amigas resolvem se juntar para acabar com essa terrível situação em que estão vivendo.

“Bem –vindas ao nosso Divinamente,Fabuloso e Extraexclusivo Clube de Malucas”

Mesmo sendo uma ficção, O Que Há de Estranho em Mim é baseado em uma matéria que Forman teve que escrever sobre internatos. A mesma ficou tão chocada com o que descobriu, que resolveu escrever esse livro. Por isso, como de costume, tem muita coisa real nesse enredo, sempre puxando bastante para o psicológico.

Assim como Se eu Ficar ou Eu Estive Aqui, essa obra é envolvente e profunda, onde só paramos a leitura quando conseguimos saber o motivo das meninas estarem ali e como pretendem sair. A única coisa que difere O Que Há de Estranho em Mim dos antigos livros da escritora é o tom mais aventureiro, dá até pra ter um pouquinho de suspense em alguns momentos.

Quem é fã de Gayle Forman já sabe como sua narrativa prende o leitor e suas histórias sempre provocam um momento de reflexão, além de serem muito instrutivas.

Mesmo tendo amado esse livro, tenho que confessar que não é meu favorito dela. Ainda assim, posso garantir que não irão se arrepender de ler.

21 COMENTÁRIOS

  1. Eu li Se eu ficar e gostei muito. Me interessei também pelos outros livros da autora, inclusive esse que me chamou a atenção logo pela capa! Adoro esses livros que abordam uns temas diferentes (pelo menos isso é diferente para mim, rs), pretendo ler esse livro em breve ☺

  2. Um livro da autora q fiquei com vontade com ler o/
    Ate hoje nenhum dos outros livros me interessaram e nem o filme assisti, mas esse livro tema diferente, já vi filmes parecidos só não li nada assim antes.

    Coração leitor

  3. Concordo e discordo com algumas coisas que você disse.
    Sim, a escrita dela nos tráz reflexões, mas não, pelo menos para mim, não é aquela escrita que me faz desejar ler todos os livros dela.
    Pedi esse livro porque fiquei com vontade de dar uma chance para a autora. Espero não me decepcionar de novo.
    Bjs, bjs.

  4. Não li nada da autora e assim eu olhando e vendo as resenhas, não tenho a minima vontade de ler, mas vc me deixou curiosa nesse paragrafo: Gayle Forman é uma daquelas autoras que você lê a primeira obra e automaticamente quer ler todas as outras. Sempre tratando de um assunto sério, mas com uma sutileza impressionante, Forman sabe colocar fatores psicológicos para ditar seus livros.
    Agora quero ler kkkk
    http://marifriend.blogspot.com.br/

  5. Oi, tudo bem?
    Não conhecia este livro da Gayle, achei bem interessante, porque como você mesma disse é diferente do que estamos acostumados a ver dela.
    Gostei muito da sua resenha !
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

  6. Concordo contigo, já li um livro da autora e ando querendo ler até os bilhetinhos que ela escreve hahaha

    A escrita dela é tão envolvente que mesmo quando o livro acaba a gente permanece preso à história 😀

  7. Olá 😀
    Eu ainda não li nada da autora. Não que os livros dela não me chamem a atenção, mas sempre tenho certo medo da intensidade que eles parecem passar, sou uma pessoa bem sensível, que chora e fica dias pensando em um livro. Então, sempre escolho bem o que ler, para não ficar com ressaca literária depois. Esse livro parece ser incrível e fiquei bem curiosa, mas vamos ver… Bjs

  8. Olá! Acredita que nada sabia sobre esse livro? Sendo psicóloga, me interessei bastante pelo enredo e pelo modo como a autora desenvolveu a história no contexto dos internatos. É triste pensar que a realidade pela qual lutamos tanto na reforma psiquiátrica ainda existe em tantos lugares. Espero ler a obra em breve.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui