Resenha: Outlander- A Cruz de Fogo Parte 2

0
6818

 

A Cruz de Fogo parte 2 é o oitavo livro e quinto volume da série Outlander, escrita por Diana Gabaldon e publicada agora pela nossa parceira Editora Arqueiro.

***Atenção! Não continue a leitura se não leu os primeiros volumes da série, pode conter Spoilers.***

Os leitores fiéis de Outlander certamente já acostumaram o padrão dos exemplares divididos no Brasil. Geralmente, a parte 1 começa meio parada, para compensar a ação nos fatos narrados na parte 2. A Cruz de Fogo Parte 1 é o livro mais parado da saga até o momento, porém, como de costume, A Cruz de Fogo Parte 2 chega com momentos de tirar o fôlego

Os Tambores de Outono mudou drasticamente o rumo da história, inserindo Brianna e Roger em acontecimentos que parecem ser tão complicados quanto os que atingiram nosso querido casal principal. Nesse novo volume, as inseguranças de dois jovens que cresceram em uma época diferente é muito explorada. Com a questão do filho que Roger precisou assumir, muito da carga dramática fica a cargo da relação dos dois, enquanto a diferença de época é demonstrada nas faltas de habilidades de Roger.

Entretanto, há mais problemas na questão da paternidade do pequeno Jemmy do que apenas a questão emotiva de Roger. Há o risco do terrível pai verdadeiro da criança ir atrás dele e, levados por esse pensamento, Jaime e Roger pretendem começar uma perigosa busca por vingança. Esse e outros acontecimentos marcantes trazem muita ação para o livro.

Enquanto insere novos personagens, e retorna outros que não são tão queridos pelo público, Diana apresenta uma reviravolta sufocante que força Claire e Brianna a tomarem as rédeas da situação.

Novamente, Diana nos prepara para o choque ao se aprofundar no emocional dos personagens na parte 1. Quanto mais envolvente e cotidiana a situação fica, mais pesado é quando a reviravolta chega e é exatamente isso que a autora consegue fazer em A Cruz de Fogo Parte 2.

Extremamente emocionante e sufocante em vários sentidos, A Cruz de Fogo Parte 2 lembra o começo os primeiros volumes da saga, onde o leitor se torna tão envolvido na trama que parece sofrer junto por muito tempo. Novamente, Diana prova seu talento e demonstra que, mesmo longa, Outlander ainda tem muita história pra contar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui