Resenha: Sete Minutos Depois da Meia-Noite- Patrick Ness

0
11996

 

Siobhan Dowd escreveu ótimos livros voltados ao público jovem. Após sua morte, em 2007, suas obras ainda são publicadas e suas ideias ainda são transformadas em histórias. Esse é o caso de Sete Minutos Depois da Meia-Noite, escrito por Patrick Ness, mas baseado na ideia de Dowd. Segundo o autor, Siobhan já tinha escrito os personagens, a premissa e o começo, porém infelizmente não teve tempo de finalizar.

Sete Minutos Depois da Meia-Noite é narrado por Connor, um garoto de treze anos que está com vários problemas em sua vida: Sua mãe está gravemente doente, como isso não fosse problema o suficiente, esse fato fez com que Harry começasse a implicar com ele na escola, por achar que ele se safa de tudo por conta da doença da mãe, e o resto da escola o trata como invisível. Para piorar, ele ainda sofre com um pesadelo terrível que quase toda noite perturba seu sono.

A vida de Connor começa a ficar ainda mais complicada com a visita de um mostro, todo dia às 00:07, que aparece para contar histórias, que para o menino são sem sentido. O monstro não chega a ser assustador para Connor, mas o que ele deseja sim: a verdade.

“Histórias são o que há de mais selvagem. Histórias perseguem, mordem e caçam”

Sete Minutos Depois da Meia-Noite é uma belíssima obra que fala sobre medo, solidão, superação e compaixão. De uma maneira devastadora, a história consegue prender o leitor do inicio ao fim, ansiando pelo desfecho dos contos que a árvore conta. O livro é curto, um pouco mais de 150 páginas, o que deixa a leitura ainda mais difícil de largar, em poucas horas já é possível terminar, mas garanto que o desfecho ficará na mente do leitor por dias.

Gradativamente, o enredo, que começa simples, vai aprofundando até virar uma enorme análise da vida, de como lidamos com nossos sentimentos e o quanto mentimos para nós mesmo. É impressionante como uma obra tão curta consegue abranger tantos tipos de relacionamento- Connor tem problemas com o pai que deixou a mãe, sua relação com a avó não é boa, perdeu sua melhor amiga por não saber perdoar e não possui amigos na escola.

No topo de todas essas questões, está a doença da mãe. Fica claro desde o principio o quanto os dois são apegados, já que há anos são os únicos na casa e aprenderam a se virar. É muito interessante ver como a mente de um jovem que teve sua vida virada de cabeça pra baixo por culpa da doença da pessoa que mais ama pode trabalhar, e no fim, é disso que realmente se trata o livro.

“Nem sempre há um mocinho. Nem sempre há um bandido. A maioria das pessoas fica no meio termo.”

Mesmo sendo muito profunda, a obra tem uma linguagem muito sutil, e isso foi uma das coisas que mais me impressionou. Patrick Ness conseguiu manter o foco juvenil, analisando a fundo as questões filosóficas, porém sem apelar para palavras pesadas. Um bom exemplo é a maneira como ele abrange a doença, sabemos desde o principio o que a mãe de Connor tem, mas nem uma vez foi dito o nome.

Sete Minutos Depois da Meia-Noite tem uma história tão boa, que foi rapidamente vendida para o cinema. O filme, que conta com Sigourney Weaver, Felicity Jones, Toby Kebbel, Lewis Macdougall e Liam Neeson no elenco, estreia só dia 5 de janeiro, enquanto espera, leia essa incrível e emocionante obra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui