Resenha: Um Menino em Um Milhão- Monica Wood

0
4510

 

Uma senhora de 104 anos e um guitarrista que leva a vida de bico em bico tentando ter uma carreira- e abandona a família enquanto isso. Como esses personagens poderiam ter uma amizade? Através de uma ligação em comum, um menino de 11 anos que morreu de repente e criou uma conexão entre eles.

A senhora Ona Vitkus é uma centenária com uma disposição e uma língua afiada de dar inveja em qualquer um. Morando sozinha em um condomínio, ela costuma ser ajudada por jovens escoteiros que se comprometem a ir todo sábado, durante algumas semana, fazer os trabalhos mais pesados em sua casa em troca de um distintivo. Em uma dessas visitas, ela conhece um garoto diferente, muito organizado e viciado em listas que reacende nela a vontade de fazer algo a mais da vida- e esse algo a mais acaba sendo entrar no livro dos recordes, sonho do menino.

Porém, o menino morre do nada, de um ataque misterioso que pode ser resultado tanto de uma doença genética silenciosa quanto dos remédios que tomava para ansiedade. Seu pai ausente, Quinn, acaba assumindo a obrigação do filho na casa de Ona por algumas semanas, a pedido da sua ex-mulher e mãe do garoto Belle. Enquanto lida com a centenária senhora, acaba criando uma ligação com ela e a vontade de ajudar no sonho que ela e o garoto estavam perseguindo.

Um Menino em um Milhão é, acima de tudo, uma obra de autoconhecimento. Todos os personagens passam por uma evolução pessoal durante a trama, desde Quinn que descobre o quanto deixou seu filho de lado para perseguir um sonho que provavelmente nunca será o bastante até Belle, que lida com o luto de uma maneira diferente e só consegue começar a superar quando ajuda Ona. Mas o verdadeiro foco é o passado de Ona- que tem muita história pra contar- e como o garoto conseguiu ligar todas essa pessoas em um objetivo tão vago.

Monica Wood entrega uma história triste, o passado de Ona é complicado e até as menções ao garoto acabam cortando o coração. Porém os personagens não chegam a criar uma ligação com o leitor, que acaba sendo um pouco prejudicial, visto que o foco é o desenvolvimento pessoal desses mesmos personagens. A trama se foca apenas nisso, correndo o risco de agradar muito mais aos que se identifiquem com algum dos problemas apresentados.

Um Menino em um Milhão abrange de uma maneira interessante os dilemas pessoais, porém não é para qualquer um. Quem é chegado em um drama com uma pegada de auto-ajuda com certeza irá gostar muito mais do que o resto, mesmo que a trama não seja abertamente sobre auto-ajuda. É um livro interessante para refletir e pensar sobre como estamos sendo como pessoa, mas tendo em mente que a história central não será muito empolgante.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui