Resenha: Um Presente da Tiffany- Melissa Hill

2
13424

 

Certa vez, ouvi de uma pessoa algo como “livraria é um ambiente mágico” e meio que tenho que concordar. E esse livro, especificamente, caiu como magia. Não, a própria livraria me deu de presente – no sentido figurado, é claro. Começando pela localização da obra: de frente para a entrada principal da loja, sobre a prateleira superior escrito “novidades”. Sem falar na capa,absurda de linda e super convidativa.

Resenha Um Presente da Tiffany
Um Presente da Tiffany- Capa

Não resisti, fui à prateleira e ali tivemos o primeiro contato: a capa do livro é como se fosse aveludada emborrachada com os desenhos em alto relevo. O azul-turquesa te convida a sentar e desfolhar suas páginas. Hipnotizado. Recuperei os sentidos como meio que saindo de um transe e foquei no meu objetivo: procurar o livro que havia em mente para adquirir. Decepção, não tinha o tal livro. Nem ali e nem em outra livraria. Estava esgotado. “Mas que coisa! Nem é lançamento, por que esgotado assim?”, pensei e fui dar uma volta pela livraria a fim de me encantar com outra obra.

Algumas voltas depois e lá estava eu novamente de frente para a prateleira superior com a plaquinha “novidades”. Quando dei por mim, estava desfolhando o mesmo livro e sem me dar conta, carregava comigo um outro exemplar. “Só pode ser um sinal”, pensei. Trouxe o livro pra casa e posso dizer, não me arrependi. Talvez se tivesse trazido o livro que eu tinha em mente como primeira opção, a leitura não teria sido tão prazerosa quanto foi com esse.

Tiffany poderia ser um nome feminino – e é, mas se trata também de um sobrenome masculino. É o sobrenome do fundador da Tiffany & Co., uma empresa norte-americana especializada no ramo de jóias. Essa loja foi fundada por Charles Lewis Tiffany e Teddy Young em 1837 lá em Nova Iorque, onde até hoje, existe a loja na Quinta Avenida. Hoje, a Tiffany & Co. possui mais de 60 lojas só nos EUA e outras 103 espalhadas ao redor do mundo. No Brasil, a Tiffany & Co. conta com somente 5 lojas: uma em Brasília, uma em Curitiba, uma no Rio de Janeiro e duas em São Paulo.

A loja é a queridinha por todas as mulheres que amam jóias ao redor de todo o mundo inteiro, simplesmente por ostentar tradição, referência, romantismo e é claro, a caixinha azul-turquesa. E foi a partir dessa caixinha azul-turquesa que a autora Melissa Hill resolveu escrever Um Presente da Tiffany, que conta a história de dois casais em Nova Iorque, na véspera de Natal – Ethan Greene, pai de Daisy e viúvo, namorado de Vanessa e encontra nela uma esperança de refazer sua vida e construir novamente uma família; e Gary Knowles, um empresário não bem-sucedido no ramo de construções, namorado de Rachel, uma renomada chef de cozinha, dona de um restaurante.

Um Presente da Tiffany

Nenhum dos quatro se conhece e nenhum dos quatro são de Nova Iorque – Ethan, Daisy e Vanessa moram em Londres, enquanto Gary e Rachel, moram na Irlanda. Ethan aproveita a oportunidade de levar sua relação com Vanessa a um passo mais sério e seu objetivo é propô-la em casamento. Para isso, tem a brilhante (sem trocadilhos) ideia de lhe comprar um anel de brilhantes da Tiffany. Gary, que estava numa loja de roupas masculinas, ganhou a viagem de Rachel como presente de aniversário e enquanto só pensa em si, esqueceu do jantar de Natal com sua namorada e na tentativa de compensar o seu esquecimento para com ela, resolveu comprar qualquer coisa para Rachel na primeira loja que avistasse. E foi o que fez, lhe comprou uma pulseira de berloques, também da Tiffany.

Tentando chegar o quanto antes ao hotel onde estava hospedado, Gary sofre um acidente de carro e próximo do local do acidente, Ethan e sua filha Daisy, que também estavam voltando para o hotel, resolvem ajudar o acidentado. É aí que nossa história começa: as sacolas da Tiffany são trocadas no ato do socorro e somente se dão conta do que havia acontecido na manhã de Natal.

Repleto de pensamentos e flashbacks, a autora nos convida a conhecer um pouco do passado das personagens até chegarmos no tempo atual, mas não é algo cansativo. É importante tê-los na trama justamente para entendermos como as coisas estão, atualmente. Por exemplo, como Rachel conheceu Gary e passaram a namorar, como Rachel e Terri se tornaram melhores amigas e como se tornaram sócias no restaurante Stromboli, como Ethan conheceu Vanessa e como se deu sua viuvez, etc.

Embora pareça um livro feminino, Um Presente da Tiffany deveria ser “o manual do homem apaixonado aprendendo como conquistar uma garota”. Só posso adiantar que o final do livro é surpreendente. De uma leitura leve, tranquila e com uma linguagem super atual, Melissa nos faz acreditar que “o acaso vai nos proteger enquanto andarmos distraídos”.

Quando terminei a obra, uma sensação de bem-estar me invadiu e é como se eu tivesse terminado um trabalho bem feito, sabe? Uma espécie de congratulações a mim mesmo por ter feito uma bela aquisição. Lembram daquela história de que livros são mágicos e tudo mais, lá no inicio da resenha? Pois então, acho que foi o “efeito Tiffany” que reverberou as páginas. Palavras da falecida mãe de Daisy, Jane, que ensinou sua filha que quem entrava na Tiffany, era tomado por uma aura de magia.

Leia e apaixone-se. ♡

2 COMENTÁRIOS

    • Olá Debora, tudo bem?
      Então, até onde a gente sabe, “Um Presente da Tiffany” é livro único. Fizemos uma super pesquisa na internet e não encontramos nada que fale sobre uma continuação da história, até porque, a trama não pende para um segundo livro nem fala sobre trilogia ou série literária. Super beijo! 😉

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui